Por Natália Meira

Publicado em 20/02/2018. | Atualizado em 12/02/2019


Você sabe como usar intertítulos corretamente nos seus textos? Descubra aqui como garantir a escaneabilidade das suas redações para web!

Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

Você sabe como usar intertítulos corretamente nos seus textos? Descubra aqui como garantir a escaneabilidade das suas redações para web!

Sabe quando você pesquisa sobre algum assunto na web e se depara com um texto estilo “blocão”? Ao longo desse tipo de estrutura você não encontra nenhuma divisão. A impressão que fica é que se trata de um texto maçante e de leitura tediosa. Por mais que seja um assunto de seu interesse, a chance de você desistir e abandonar o material é grande, certo?

Os intertítulos são frases colocadas ao longo do post, constituindo diferentes blocos de texto e desdobrando o conteúdo que o título promete. Eles são uma ferramenta extremamente importante para textos web em relação à organização, à visualização e também à compreensão.

Preparamos esse guia para que você possa entender um pouco mais sobre como usar intertítulos e, assim, fazer seu texto bombar na web. Confira:

Para que serve o intertítulo?

Normalmente, os internautas de plantão procuram conteúdo de leitura fácil e rápida. Um texto fragmentado em intertítulos possibilita que a pessoa faça uma espécie de escaneamento. O leitor analisa se é realmente aquele o conteúdo que ele está buscando e ainda tem uma prévia do assunto que será tratado.

Os intertítulos também tornam o texto mais organizado visualmente. São ferramentas para introduzir e separar os assuntos das diferentes seções do texto, facilitando a tarefa para quem busca uma informação isolada. Assim, a leitura fica mais fluida e direcionada.

Imagine que você se distraiu e interrompeu a leitura de um artigo por um motivo qualquer. Se for um texto longo e sem divisão, provavelmente você vai demorar a achar onde parou sua leitura e desistirá de continuar. Com os intertítulos, a leitura interrompida pode ser retomada de forma muito mais fácil, já que certamente o leitor lembrará em qual assunto parou.

Qual é a relação entre intertítulo e palavra-chave?

Sempre que possível, você deve usar a palavra-chave do seu texto em um intertítulo — lembrando que isso deve acontecer de maneira natural, sem forçar a presença dela na frase. Colocando em prática as técnicas de SEO, o seu blog será encontrado com mais facilidade, aparecendo nas primeiras páginas dos sites de buscas, como o Google.

Se a palavra-chave do seu texto é “intertítulo”, por exemplo, uma forma de utilizá-la seria: Como fazer um intertítulo eficiente? — dica que, por sinal, daremos logo a seguir.

Como fazer um intertítulo eficiente?

O título é uma promessa que o conteúdo do texto precisa cumprir. Eles funcionam de maneira semelhante: o conteúdo marcado por eles deve obedecer a sua proposta. Caso contrário, o leitor se frustrará em sua expectativa e por isso pode querer abandonar a leitura — fazendo com que seu conteúdo não passe credibilidade e afetando, consequentemente, a sua imagem.

Outra questão importante é não responder com um intertítulo o que o texto inteiro deve apresentar. Assim, no momento que o leitor “passar o olho” no conteúdo, ele identificará em um dos intertítulos a resposta que procura e não será mais do seu interesse ler o texto até o final.

Crie listas numeradas

Todos os intertítulos devem estar relacionados com o título do texto! Por isso, fique atento à proposta do seu artigo. Se o título é “6 dicas para abrir sua loja virtual”, cada tópico deve apresentar uma dica, por exemplo. Isto é coerência. Comunica autoridade e segurança.

A proposta desse tipo de texto é instigar a curiosidade do leitor e fazer com que ele tenha vontade de descobrir qual será a próxima dica dada pelo seu texto. O ideal é que você encontre um número apropriado de dicas — evite que a lista seja longa ou curta demais.

Se você pretende destacar alguma ideia ou precisa citar informações em tópicos, faça também uso de bullet points.

Aposte nas perguntas

Quando você utiliza uma pergunta no seu intertítulo é como se estivesse dando uma consultoria para o seu leitor, permitindo que ele tire suas dúvidas e sinta que você está preparado para ajudá-lo. Por exemplo:

  • O que é um software de gestão?
  • Quando devo trocar meus pneus?
  • Quais os sintomas da dengue?
  • Quais são os benefícios desse sistema para a minha empresa?

Use verbos no imperativo

Ao seguir essa dica, você contribui para que o leitor sinta confiança em suas palavras. Dê orientações claras e que podem ser transformadas em ações práticas. Intertítulo vago demais é sinal de enrolação e acaba sendo ignorado.

Observe o intertítulo acima. Nele, usamos o verbo no imperativo, como uma forma de induzir que você faça uma ação — neste caso, usar verbos no imperativo em seus intertítulos.

Confira alguns outros exemplos que você pode usar como base:

  • Produza conteúdo de qualidade;
  • Crie sua persona;
  • Personalize as suas mensagens;
  • Mensure seus resultados;
  • Evite escrever períodos longos.

Padronize o formato dos seus intertítulos

Para que todos os seus intertítulos sejam bem-sucedidos eles precisam seguir algum tipo de padrão. Ou seja, quando um deles for uma pergunta, os demais devem seguir o mesmo comportamento. Isso também vale para o caso de afirmações e outros formatos de frase.

Se os intertítulos escolhidos para compor um texto não tem nada a ver um com o outro, temos um grande problema. O leitor, ao vê-los, tem imediatamente a impressão de que aquele conteúdo está desorganizado ou foi feito sem levar em consideração a melhor maneira de estruturar um raciocínio. Sabe quando você tem a impressão de que copiaram e colaram coisas de diversas fontes em um só lugar?

Quando um intertítulo não é padronizado, ele tem exatamente esse efeito. Então fique de olho nisso ao criá-los e sempre revise o seu conteúdo para garantir que desempenhou essa tarefa bem.

Faça com que eles tenham a ver com o título da postagem

Todos os seus intertítulos são nada mais do que subtítulos para uma postagem. E, assim como acontece com os subtítulos em um livro, nada mais óbvio que eles devam ter a ver com o tema abordado, certo? Quando nos deparamos com uma lista em que um dos itens se destaca (por não se conformar com os demais) isso nos gera um pequeno incômodo, que pode ser particularmente prejudicial à escaneabilidade do seu texto.

No momento em que todos os intertítulos são uma extensão do título (e o expandem, conferindo sentido ao tema abordado) temos a ideia de que estamos acumulando conhecimento. O que pode ser percebido facilmente nos exemplos abaixo:

Título: O que as eleições americanas nos ensinam sobre Big Data

  • Intertítulo 1: O que é Big Data?
  • Intertítulo 2: Como funcionam as eleições americanas?
  • Intertítulo 3: Big Data e eleições: no que ele pode ajudar?
  • Intertítulo 4: Tudo o que você sempre quis saber sobre tecnologia
  • Intertítulo 5: Como aplicar o Big Data na análise eleitoral?

Neste exemplo, o intertítulo número 4 se destaca e não é por um bom motivo. É que, ao contrário dos demais, ele não segue o padrão adotado (perguntas) e não é preciso o bastante para definir o que será abordado. Tecnologia é um termo amplo demais e pretender abordar tudo que sempre se quis saber a respeito dela pode ser a receita para o fracasso.

Esse intertítulo não parece fazer parte do todo que compõe o texto e, por causa disso, nos desencoraja de prosseguir com a leitura. Tente não cometer esse erro.

Resuma seu conteúdo na chamada

Outro dos problemas com o exemplo citado no tópico anterior é, como mencionamos, a amplidão do termo “tecnologia”. Mas por que isso faz com que o intertítulo supracitado seja menos eficiente do que os demais?

O grande problema é que ele não nos dá um contorno do assunto que será abordado no tópico. E é para isso que os intertítulos servem, a princípio. Eles devem resumir, em uma frase, o que esperamos encontrar naquele trecho do texto.

Portanto, se o seu intertítulo não faz isso muito bem pode haver um problema com ele. É claro que em alguns momentos não será possível exemplificar no intertítulo tudo que será tratado em uma porção do artigo. O que faz com que ele seja bem-sucedido, no entanto, é a sua capacidade de resumir a ideia principal.

Assim, ao passar pelo texto, o leitor já sabe exatamente onde está aquele pedaço de informação que o levou até ele. E isso faz com que ele seja conduzido a ler o resto do conteúdo, para entender o tema em sua amplidão.

Construa uma ideia pouco a pouco

Uma boa técnica para construção de intertítulos para a web é criar uma ideia que vai se tornando mais complexa conforme a leitura avança. Não entendeu? Estamos falando de entregar para o seu leitor o que o título do texto promete, pouco a pouco, a fim de fazer com que ele consuma o material integralmente.

Quando construímos uma ideia de maneira crescente ou decrescente, damos um senso de progressão para o nosso interlocutor. E ele pode se orientar melhor ao longo da leitura.

Um exemplo disso pode ser visto em livros didáticos. Em geral, nenhum deles começará com o tema mais complexo que aborda. Primeiro, serão fundamentados os princípios da disciplina e abordados os conceitos necessários para entendê-la completamente.

Já o exemplo de progressão decrescente é mais comumente utilizado em livros de mistério. Conhecemos o todo e então somos conduzidos aos detalhes, até no capítulo final descobrir quem é o assassino.

Coloque-se no lugar do leitor

A maneira mais fácil de fazer intertítulos que funcionam, todavia, é colocar-se no lugar do seu leitor. E isso precisa ser natural para você se quiser seguir uma carreira como redator. É entender os motivos que fazem com que alguém clique em um texto que nos torna capazes de compreender como melhor estruturá-lo.

Há sempre um problema que um artigo, e-book ou infográfico pretende endereçar. Esse problema, todavia, pode ser visto sobre uma série de ângulos. Compreender a persona para quem se está escrevendo é a melhor forma de descobrir qual o ângulo ideal para sua peça de conteúdo.

Um especialista em informática lerá um texto sobre gramática com preocupações diferentes das que teria, por exemplo, um aluno de Letras. Se você conseguir levar isso em consideração terá em mãos os recursos de que precisa para fazer os intertítulos ideais.

Enumere as ideias que deseja abordar previamente

Como é sua responsabilidade criar um bom texto, enumerar as ideias que serão vistas ali é um bom primeiro passo para intertítulos brilhantes. Ao fazer isso, você terá uma ideia do que funciona para chamar a atenção do leitor. E conseguirá saber exatamente por que um tópico é importante e onde ele deve entrar na sua composição.

Comece todos os seus textos listando o que deve ser dito ali. Assim, mesmo que os intertítulos não apareçam naturalmente, pensar neles será uma tarefa menos desafiadora.

Cumpra sua promessa

Do mesmo modo que ao fazer um texto você deve corresponder às expectativas traçadas em seu título, o mesmo é válido para intertítulos. Eles nunca podem prometer um pedaço de informação que só será entregue em um tópico seguinte (ou, pior, não será entregue em momento nenhum).

É isso que garante a sua credibilidade, faz com que o leitor fique satisfeito com o conteúdo que acaba de consumir e torna os seus intertítulos precisos e úteis.

Viu como é simples? Tenha em mente, todavia, que mesmo que você siga as nossas dicas, mas exagere no tamanho do conteúdo, escreva parágrafos muito longos e não faça uma formatação de qualidade, todas essas estratégias terão sido em vão.

E aí, caro leitor, gostou das nossas dicas de hoje? Você já sabia de todas essas funcionalidades do intertítulo? Tem ainda alguma dúvida? Conte para a gente!

E aproveite a sua passagem pelo blog para baixar nosso e-book exclusivo sobre escaneabilidade. Esse é outro aspecto da produção de conteúdo para a internet que você deve dominar para se tornar um profissional!

Posts populares com esse assunto