Por Gustavo Massensine

Publicado em 12/03/2020. | Atualizado em 16/03/2020


Produzir textos para conteúdos visuais pode ser um desafio. Dúvidas sobre a padronização são comuns e tendem a gerar um produto final desalinhado. Por isso, criamos este artigo para mostrar como redigir e revisar e-books, infográficos e quizzes com a estrutura ideal da Rock Content.

Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

A redação e a revisão de conteúdos visuais — e-books, infográficos e quizzes, por exemplo — exigem processos de produção diferentes dos usados em blogposts regulares. Nesses tipos de materiais, devemos levar em conta algumas especificidades de entrega. 

Dúvidas sobre linkagem, escaneabilidade, estrutura dos conteúdos e produção de fluxos de nutrição e textos de landing page são muito comuns. Neste artigo, trouxemos algumas dicas sobre como produzir textos para conteúdos visuais. Não deixe de conferir!

E-book

Os e-books são muito utilizados como estratégia de geração de leads. Ou seja, para que o leitor consiga baixar o e-book, ele precisa preencher um formulário que, na maioria das vezes, pede o nome e o e-mail daquela pessoa. Com essas informações, o produtor do e-book tem tudo o que precisa para entrar em contato com o lead e tentar convertê-lo.

Os e-books produzidos pela Rock Content são padronizados e sequem algumas regras. Todos precisam ter introdução, desenvolvimento, conclusão e um intertítulo final chamado “Sobre o cliente”. Se, no título da tarefa, aparecer a tag “[Primeiro e-book]”, o redator deve procurar informações no site do cliente e produzir um texto institucional com escopo entre 70 e 100 palavras.

Caso o título não tenha essa tag, o freelancer terá de procurar o texto correspondente nas abas de “orientações para produção” ou “estratégia” do projeto e então copiar e colar o trecho no texto que está em produção. Caso essa informação não seja encontrada, é responsabilidade do redator entrar em contato com o Analista de Marketing de Conteúdo responsável pelo projeto. 

Além disso, é importante marcar alguns trechos com negrito e numerar os intertítulos. Vejamos algumas dicas!   

Negrito

O negrito é um recurso interessante para destacar algumas partes do texto e auxiliar na escaneabilidade. Entretanto, é importante tomar cuidado para que o conteúdo não fique poluído e com muitos trechos negritados. 

A dica é tentar destacar as informações que forem mais importantes para a persona e não deixar que o destaque passe de 5% a 10% do campo de visão do leitor. 

Link building

Os links são muito importantes para o conteúdo e para a estratégia de um blog, mas, em e-books, eles não são tão necessários. Isso porque os links tiram a persona da leitura do material, o que pode não ser interessante. 

Por isso, a recomendação é de que os links sejam utilizados apenas em casos específicos, como citação de pesquisas, leis e normas, entre outros casos. É obrigatório mencionar corretamente a fonte dessas informações para que o conteúdo tenha autoridade e não caia no temido plágio.

Numeração

Como sabem, os intertítulos dos e-books devem ser numerados. Por exemplo, a introdução deve ter o número “1.” e todos os outros tópicos — e subtópicos — devem seguir a numeração, por exemplo: “1.1., 2, 2.1.” 

Se o título do e-book for “x dicas”, apenas os intertítulos com as dicas devem ser numerados.

Fluxo de nutrição e landing page

Alguns e-books devem ser produzidos com fluxo de nutrição e um texto para a landing page (LP). Na maioria dos casos, o e-book precisa ter duas mil palavras.

É importante certificar-se de como fazer o fluxo de nutrição. Além disso, o texto da landing page deve ter uma linguagem neutra de gênero, com três chamadas em bullet points — isso pode variar de acordo com as orientações do projeto.

Infográfico

O infográfico também é um tipo de conteúdo muito utilizado pelos blogs. Esse material, com imagens e gráficos acompanhando o texto, favorece altas taxas de conversão e compartilhamento nas redes sociais, o que ajuda a atrair os leitores. 

Todas as informações de um infográfico precisam ser didáticas, curtas, diretas e objetivas. O conteúdo deve ser pensado de modo a ser dividido em pequenos blocos de texto com, no máximo, 200 caracteres cada. O texto deve ter entre 250 e 300 palavras no total.

Algumas outras características dos infográficos são: 

  • preferência pelo uso de tópicos em vez de texto corrido;
  • parágrafos pequenos e com destaque em termos importantes — como palavras-chaves — em negrito;
  • prioridade para informações em números (porcentagens, datas, valores, estatísticas etc.);
  • tópicos com quantidade de palavras semelhante;
  • intertítulos com tamanho padronizado em, no máximo, 60 caracteres.

Além disso, o conteúdo de um infográfico não deve ser excessivamente autopromocional. Seu objetivo é explicar, de modo visual, um determinado assunto. 

Uma dica para a produção é deixar o CTA junto da conclusão, para economizar palavras. 

Link building

Uma das principais orientações para infográfico é: o texto não deve ter hiperlinks. Isso porque o leitor não consegue clicar no link sugerido. Caso o conteúdo tenha algum dado ou pesquisa, os links para as fontes precisam estar listados e numerados corretamente ao final do texto.

Se o CTA indicado na pauta for “entrar em contato com o cliente”, o site da empresa não precisa ser linkado nem citado ao final. 

Quiz

O quiz é uma forma descontraída de criar, promover e distribuir conteúdo. Seu formato interativo faz com que esse conteúdo seja atrativo e fácil de consumir.

 Algumas orientações para a produção desse material são:

  • a introdução deve ter cerca de 100 palavras; 
  • as perguntas sugeridas na pauta precisam ser formatadas, adequadas com base no estilo e na linguagem da redação (no máximo duas frases por pergunta);
  • as opções de resposta têm de ser elaboradas para cada pergunta (4 ou 5 alternativas para cada pergunta, com apenas uma frase cada);
  • o infográfico demanda breves descrições para os resultados entregues ao final do teste (cerca de 70 palavras para cada um);
  • o tamanho do conteúdo do quiz não pode ultrapassar o limite de 500 palavras, contando com as respostas.

O conteúdo deve trazer, ao final, uma breve explicação da lógica do teste. Por exemplo: se o leitor assinalar mais opções da letra “A”, o resultado deve ser “X”, se marcar mais da letra “B”, o resultado deve ser “Y”, e assim por diante. Para cada padrão de resposta, devemos ter um CTA direcionando para um blogpost relacionado ao assunto ou então a uma página de produto, em casos específicos.

Saber as características de cada formato de conteúdo é indispensável para a entrega de textos cada vez mais alinhados e sem necessidade de ajustes. Por isso, recomendamos que, antes de redigir ou revisar um dos materiais que apresentamos neste post, você siga as nossas dicas de como produzir e-books, infográficos e quizzes.

Se ainda tiver alguma dúvida, entre em contato com o Analista de Marketing de Conteúdo responsável pelo projeto.

O artigo foi útil para você? Agora, para se aprofundar no assunto, confira o nosso post com 9 dicas sobre como revisar e-book!

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *