Como o É o Tchan me ensinou a escrever para a web!

Como o É o Tchan me ensinou a escrever para a web!

Muito mais do que apenas ícone musical dos anos 90, a banda É o Tchan é frequentemente considerada como visionária. Tendo perspectivas de muitos anos à frente e valorizando o que viriam a ser as técnicas de marketing de conteúdo, a banda foi responsável por ensinar e educar milhares de jovens sobre as preciosas técnicas de escrita para a web.

Muito mais do que apenas ícone musical dos anos 90, a banda É o Tchan é frequentemente considerada como visionária. Tendo perspectivas de muitos anos à frente e valorizando o que viriam a ser as técnicas de marketing de conteúdo, a banda foi responsável por ensinar e educar milhares de jovens sobre as preciosas técnicas de escrita para a web.

Se você reconhece o valor das melodias desenvolvidas por Cumpadre Washington, Beto Jamaica e companhia, mas não conseguiu identificar muito bem como foi que eles participaram da educação de tantos jovens, confira estes trechos de músicas que deixam transparecer o objetivo educativo.

Está preparado? Tchu tchu tchu páaa!

“Essa é a mistura do Brasil com Egito”

Uma das primeiras coisas antes de fazer um texto que vai ser direcionado para o público da web é pesquisas referências. Com referências de linguagem, público alvo e, principalmente, sobre o conteúdo a ser abordado, o redator tem muito mais facilidade de visualizar as principais diretrizes para o seu texto e conseguirá concretizá-lo com maior facilidade.

Assim, conseguimos perceber o primeiro sinal do caráter visionário das músicas do É o Tchan. Como sabiam da importância de pesquisar referências em diversas fontes, fizeram uma música que mostra aos ouvintes como um bom texto para a internet é caracterizado pela mistura das referências encontradas nas diferentes fontes, totalizando em um texto novo e inovador.

“Ela é um AÉ REORÓ PLEAPLÂ NEONÓ: um avião”

Do que seria a escrita para a web se não fosse a criatividade exaltada pela banda? Assim como foram necessários muitos insights e brainstorms para desenvolver este verso, é fundamental que os redatores consigam trazer para os seus textos momentos de inspiração e ideias próprias para complementar as informações que devem estar presentes nos textos.

Mas, neste mesmo verso poético, podemos identificar uma crítica sutil. É importante que os redatores saibam até que ponto estão sendo criativos, mas sem deixar de serem compreendidos. O equilíbrio entre estes dois princípios é fundamental para a qualidade do texto.

Ah! Também não podemos deixar de citar o mais importante sobre esta metáfora: um redator nunca deve inventar as informações que deseja colocar no texto! A criatividade consiste em como os fatos serão organizados e apresentados aos leitores.

saia_da_inercia-750x200

“Que abundância”

Este é uma expressão que é repetida quase como um mantra pelos cantores justamente por ser extremamente importante para uma estratégia de marketing de conteúdo.

Assim como a grande variedade de sucessos emplacados pela banda, uma empresa que deseja ter sucesso com a produção de conteúdo deve se jogar de cabeça na produção de muitos conteúdos.

Desta forma, é possível abranger uma gama muito grande de dúvidas e questionamentos que a persona apresenta, se tornando referência no assunto.

“Vai descendo na boquinha da garrafa”

Esta foi uma das frases que mais trouxe sucesso para o É o Tchan. Isso se dá justamente por causa da grande sabedoria de marketing que se esconde por trás do ritmo envolvente.

Como já foi muito abordado aqui no blog, para uma estratégia de marketing de conteúdo, é fundamental ter em mente a distância que as personas se encontram em relação ao momento da compra. Ou seja, o funil de vendas é um dos principais fatores para guiar a produção de conteúdo.

Através desta frase, a banda conseguiu traduzir para os estudantes do marketing a importância de conduzir os leitores através do funil de vendas, aumentando a eficácia e as taxas de conversão da estratégia.

“1,70m de altura, que gostosura”

Como forma de descrever a Nova Loira do Tchan, esta música apresenta diversas formas de medir e quantificar os atributos da pessoa em questão. Além da altura, são analisadas as circunferências corporais, juntamente com alguns comentários sobre cada uma das medidas.Para o mundo da escrita na web, é importante traduzir este ensinamento como sendo a importância de ter mensuração e feedback sobre os textos produzidos.

Assim, é importante fazer uma análise crítica sobre a quantidade de textos que estão sendo aprovados, reprovados e comentados, assim como os comentários que os seus revisores fazem, conseguindo avaliar quais os seus principais pontos fortes e quais as maiores dificuldades, podendo consertá-las com mais facilidade.

“Mexe, mexe para um lado, mexe, mexe para o outro”

Muito além do que a icônica dança de Carla Perez, Scheila Carvalho e Sheila Mello, estes versos traduzem outro dos maiores pilares da escrita para a internet. Assim como nesta dança, o momento da correção e revisão dos textos é muito bem traduzido por estas expressões.

A importância de fazer a revisão após um certo tempo depois de ter terminado de escrever o texto se dá por aumentar as chances de ver algum possível erro de digitação, ou até mesmo algumas ideias que ficaram confusas, por exemplo. Assim, é importante reorganizar o texto, utilizando, mais uma vez, bastante criatividade, para garantir que a mensagem seja entregue corretamente, evitando qualquer tipo de mal-entendido.

E ai? Já está convencido sobre toda a sabedoria que se escondeu por trás das letras divertidas de É o Tchan? Se você já identificou outra técnica de escrita para a web por trás das músicas, compartilhe conosco. E, se mesmo assim, você não acreditou, só posso dizer que “Sabe de nada, inocente!”