Por Samanta Jovana

Redatora da Comunidade Rock Content.

Publicado em 02/10/2017. | Atualizado em 02/10/2017


Se está na internet é verdade? Todo mundo sabe que não. Descubra agora as técnicas que blogs utilizam para mentir em um conteúdo, além de métodos para identificar conteúdos duvidosos e ser persuasivo sem enganar seus leitores.

Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

A internet está cheia de informações e você sabe que nem todas elas são verdadeiras. Mas o que faz as pessoas acreditarem em mentiras e darem credibilidade ao conteúdo de blogs e sites que elas desconhecem?

No post de hoje você vai aprender como mentir para os seus leitores e porque uma linguagem mais simples pode ser muito persuasiva.

1. Por que as pessoas tendem a achar que linguagem simples é verdadeira?

A maioria de nós sabe que não pode acreditar em tudo que vê escrito por aí, mas às vezes acha irresistível compartilhar uma notícia bombástica que leu na internet sem confirmar suas fontes. Como usuários são enganados tão facilmente quando eles deveriam estar mais atentos para o fato de que qualquer pessoa com um pouco de conhecimento de webdesign pode criar um site para espalhar mentiras? Alguns psicólogos, como o Dr. Douglas LaBier apontam para estudos que dizem que os nossos cérebros são um pouco preguiçosos.

Em uma entrevista para o Lifehacker, o renomado profissional comentou que o que acontece é o seguinte: nossos cérebros acham que considerar o fato de que podem estar mentindo para a gente é complexo demais para a cognição, enquanto simplesmente aceitar uma mentira como fato é um processo mais direto. Por isso, quando somos confrontados com a possibilidade de checar a veracidade de uma informação ou de aceitá-la simplesmente, tendemos a segunda opção.

Desde que um argumento pareça convincente o bastante, os nossos cérebros estão dispostos a aceitá-lo. E ainda há um outro aspecto que influencia nossa percepção, conhecido como preconceito de confirmação.

O preconceito de confirmação acontece quando nós já temos uma opinião sobre algo e precisamos de um fato para justificá-la. Quando este fato é apresentado, quer ele seja verdade ou não, ficamos satisfeitos em acreditar.

Mas não é só isso que faz com que acreditemos em inverdades que lemos por aí na internet. Você já reparou como sites que tem pouco ou nenhum compromisso com a verdade tendem a utilizar uma linguagem pouquíssimo rebuscada para transmitir informações? Isso não acontece por acaso.

Quanto mais simples e direta é a forma de falar, menor é a nossa tendência de acreditar que estamos sendo enganados. Talvez porque estamos acostumados a ver políticos e figuras públicas falarem “difícil” e nem sempre se aterem aos fatos, a tendência natural que temos é de acreditar quando alguém vai direto ao ponto, sem delongas.

Por isso, sites que querem enganar você não o fazem com uma narrativa complexa ou apresentando centenas de fatos e estatísticas. Eles não precisam! Basta afirmar uma série de “fatos” da forma mais simples possível para que você fique tentado a se convencer.

2. Como identificar mentiras escritas dessa forma?

Enquanto pegar alguém no flagra, mentindo para você pessoalmente, é algo relativamente fácil (exigindo apenas que se observe uma série de tiques não verbais de comunicação), o mesmo não pode ser dito quando uma mentira vem em forma de texto. Entretanto, há várias maneiras de apontar que alguém está tentando enganá-lo pela internet utilizando a tática de simplificar as coisas para conquistar a sua confiança. O passo a passo a seguir pode ajudá-lo a separar verdades de mentiras.

Faltam pronomes em primeira pessoa

Quando estamos escrevendo um conteúdo verdadeiro, é natural que o façamos em primeira pessoa. Porque nos referimos a nós mesmos como autoridade e proclamamos autoridade sobre um determinado conhecimento. Portanto, se você fizer a leitura de um artigo por aí que, em momento algum, fala na primeira pessoa, desconfie.

Verbos no passado

Quando uma pessoa está tentando enganar a outra, ela muitas vezes não percebe que comete uma série de pequenos erros imperceptíveis. Como o uso de verbos no passado para se referir a coisas do presente. Tal como uma mãe de um filho desaparecido que se refere a sua criança como falecida, isso pode ser um sinal de que há algo de errado.

Concreto versus abstrato

Como mentirosos muitas vezes estão tirando informações de suas próprias cabeças, muitas vezes seus recursos cognitivos estão todos sendo empregados para criar uma narrativa convincente. Portanto, eles se lembrarão de incluir em sua história muitos detalhes que são incomuns para alguém se lembrar, ou observarão coisas que normalmente passam despercebidas.

Juramentos

Se o seu interlocutor precisa prometer para você que o que ele está falando é a verdade e nada mais do que a verdade é hora de começar a pensar duas vezes sobre o que ele está falando.

Ninguém precisa repetir esse tipo de afirmação quando conta algo verdadeiro e o uso de palavras como “eu juro” ou “eu prometo” ou “para ser honesto” “na verdade” pode ser um indicativo de que você está lendo um texto mentiroso.

3. O que leva um blog a criar conteúdos mentirosos?

Vários são os fatores que levam um blog a criar conteúdo mentiroso. Mas o maior deles são cliques. Conteúdo que falta com a verdade pode ser extremamente atraente para o público e, consequentemente, gerar uma ampla renda em publicidade.

Um grande exemplo disso temos nas eleições norte-americanas do ano passado. Você deve ter ouvido falar no fenômeno das “fake news”, mas sabe exatamente o que ele significa?

Fake news, ou notícias falsas, são exatamente o que o nome indica. Conteúdo mentiroso, feito puramente para colecionar cliques e coletar renda de publicidade em blogs e sites pela web.

As fake news se espalharam por toda a internet e muitos analistas acreditam que tiveram grande parte na eleição do presidente Donald Trump, o que dá uma dimensão do impacto desse tipo de conteúdo. Se notícias falsas podem eleger um presidente, imagina o que elas não podem fazer pelo rendimento de um blog?

Há uma ótima relação de custo/benefício em se produzir conteúdo falso para a internet. Primeiramente porque é muito mais barato do que de fato investigar notícias e criar peças baseadas em fatos reais. Ademais, conteúdo falso geralmente é sensacionalista e nos atrai pelo instinto, fazendo com que queiramos ler sua mensagem. E este mero ato de clicar e ler um blog post que falta com a verdade se traduz em impressões publicitárias para quem o publicou.

O ciclo não para por aí. Quanto mais cliques uma notícia falsa tem, mais ela se espalha, porque ganha autoridade nos buscadores. E quanto mais ela se espalha, mais incentiva que outras pessoas produzam conteúdo similar, propagando a mesma inverdade até que ela se torne tão enraizada em nossa mente que pareça verdade.

Todos saímos perdendo com isso, no fim das contas. O jornalismo, o conteúdo para a web e os usuários, que são levados a acreditar em coisas que jamais existiram e que podem ser prejudiciais para a coletividade.

4. Quais são as evidências de um conteúdo com informações falsas?

As evidências de que algo se trata de “fake news” ou de uma mentira deslavada são inúmeras. Você confere os traços mais característicos desse tipo de postagem nos tópicos a seguir.

Considere a fonte

Sempre que você chegar a uma história ou postagem, confira se ela tem fontes para embasar aquilo que está dizendo. Lembra como lá em cima citamos um importante psicólogo e seus achados para explicar porque psicologicamente estamos tentados a acreditar em mentiras? Há um link para essa citação e na matéria você pode conferir melhor o estudo em que ele se baseou para afirmar isso.

Qualquer pessoa, quando está falando a verdade, não tem medo de citar suas fontes. Por isso, se você está lendo um artigo cheio de meias-verdades ditas sem nenhuma confirmação externa faça o que qualquer um faria: desconfie.

Leia além das headlines

Títulos podem ser bastante enganosos, já que eles são feitos para capturar a nossa atenção e fazer com que tenhamos vontade de compartilhar um conteúdo. Por isso, que tal ler um pouco além deles? Você vai notar que a maioria dos conteúdos falsos que estão por aí pela internet não passam de títulos elaborados sem um texto para suportá-los.

Faça questão de ler todas as palavras de uma matéria e, novamente, desconfie. Se o texto correspondente não for o suficiente para embasar um determinado título, provavelmente trata-se apenas de um conteúdo caça-cliques, no qual você não deveria acreditar, por mais honesto que pareça.

Cheque o autor

Faça uma breve pesquisa a respeito do autor de cada texto que você está lendo. Se ele for uma pessoa com uma boa reputação, provavelmente terá outras fontes na internet que afirmarão isso. O anonimato é onde se escondem, muitas vezes, pessoas mal intencionadas.

Verifique seus preconceitos

Talvez você esteja propenso a acreditar em tudo que está escrito em uma determinada matéria porque já considera aquilo uma verdade, não é mesmo? Por isso, confira seus preconceitos. Pode ser que eles estejam fazendo com que você caia em uma cilada.

Veja se não se trata de uma piada

Parte do conteúdo mentiroso que está na internet faz parte de uma tendência de notícias falsas que são, na verdade, paródias de jornais reais com o intuito de divertir. Antes de sair compartilhando essas informações por aí, confira se este não é o caso. Se for, não se preocupe e continue a leitura ciente de que trata-se apenas de um material de comédia.

Confira a data

Às vezes publicações até são verdadeiras, mas estão datadas. Ou seja, eram reais até um certo ponto histórico e hoje já foram provadas equivocadas. Por isso, sempre confira a data de um conteúdo antes de acreditar completamente nas suas informações.

Veja de perto as fontes

Citamos a importância de ter fontes credíveis em um texto, mas como você pode saber que elas o são? Conferindo-as. Quando vir um link ao longo de uma publicação, clique nele.

A leitura deste link deve ser o suficiente para que você compreenda se trata-se de uma informação verídica ou não. Dê maior credibilidade àqueles que se originam de fontes confiáveis, como grandes jornais e revistas especializadas, mas não descarte a possibilidade de blogs com muita autoridade estarem falando a verdade. Você precisa saber filtrar o que é boa e má informação.

5. Como utilizar essas técnicas para ser mais persuasivo (contando a verdade)?

Todavia, nem tudo que aprendemos aqui precisa necessariamente ser usado para o mal. O que queremos dizer é que, essas técnicas, que fazem de um texto mais persuasivo, podem ser utilizadas para contar a verdade e fazer com que seus leitores sejam convencidos e convertam com mais facilidade. O que vamos lhe ensinar a seguir é muito simples: como mentir com fatos e figuras precisas.

Faça chamadas incríveis

O primeiro passo para mentir contando a verdade é fazer chamadas incríveis. Convença o seu leitor, de cara, que você tem todas as respostas para os seus problemas e pode ajudá-lo a solucioná-los em alguns segundos. Deixe claro que apenas o seu blog tem aquele conteúdo e que é preciso ler aquela informação agora.

Fale do que seu leitor já acredita

Você conhece as pessoas que frequentam o seu blog e tem dados o bastante sobre eles para entender no que acreditam. Use esse conhecimento para se aproveitar de seus preconceitos, reafirmando suas crenças. Mostre, com dados, que eles estão certos e que a resposta para os seus problemas é exatamente aquela que eles pensavam ser.

Prometa e cumpra

Prometa, no início de seu artigo, dar ao seu leitor uma determinada coisa e, até o fim dele, cumpra essa promessa. Essa técnica é ideal para construir a confiança e solidificar seus laços com o leitor.

Simplifique

Nunca complique as afirmações que você tem a fazer. Dê a informação que o seu leitor quer, do jeito que ele quer. Encha o seu texto de bullet points, torne os dados contidos ali digeríveis e atraentes e maximize o efeito que as suas palavras têm sobre quem clicou.

É muito fácil convencer seus leitores do que quer que seja, se você conseguir aprender as técnicas de persuasão certas. Esperamos que as dicas contidas neste artigo sejam de grande ajuda para que você passe, a partir de agora, a criar artigos irresistíveis, que vão prender a atenção dos seus leitores e serão compartilhados por todos, conquistando a internet.

Hoje você aprendeu como mentir para os seus leitores. Mas também aprendeu que essa informação pode ser utilizada para o bem, ajudando-o a criar conteúdos mais convincentes. E aí, gostou deste post? Comente!

Posts populares com esse assunto