Por Aline Melo

Um pé na Psicologia, outro em finanças. Os dois na produção de conteúdo.

Publicado em 07/04/2020. | Atualizado em 07/04/2020


Sem dúvida, saber como manter a calma em tempos de crise é um desafio. Momentos críticos são conhecidos, exatamente, por gerar dificuldades com as quais não estamos acostumados no dia a dia comum. Entretanto, é possível exercitar a inteligência emocional para as enfrentar com relativa tranquilidade. Em períodos complicados, precisamos lançar mão de algumas estratégias […]

Sem dúvida, saber como manter a calma em tempos de crise é um desafio. Momentos críticos são conhecidos, exatamente, por gerar dificuldades com as quais não estamos acostumados no dia a dia comum. Entretanto, é possível exercitar a inteligência emocional para as enfrentar com relativa tranquilidade.

Em períodos complicados, precisamos lançar mão de algumas estratégias de resiliência para encontrar saídas que mantenham ou recuperem nosso bem-estar. Contar com uma rede de apoio, organizar a rotina e nutrir a mente com coisas positivas são alguns exemplos de atitudes interessantes.

O equilíbrio emocional é fundamental na nossa vida — e se torna ainda mais relevante em situações críticas. Quem trabalha como freelancer pode se afetar bastante pelas incertezas. Então, veja algumas dicas para driblar os desafios!

Entender que é normal não estar calmo

Em primeiro lugar, vale a pena compreender o que pode estar acontecendo no nosso cérebro e no nosso corpo no momento de crise. Com tanto avanço social e tecnológico, é fácil que as pessoas esqueçam que também lidamos com influências das tendências biológicas do organismo.

Assim como outros animais, os seres humanos têm ações instintivas, especialmente ligadas à questão da sobrevivência. Quando estamos diante de uma ameaça é comum a ativação de mecanismos de defesa automáticos. E o que são tempos de crise, senão uma grande ameaça?

Saber que estamos enfrentando uma pandemia e acompanhar notícias sobre o assunto coloca nosso corpo diante dos riscos desse momento. Logo, são esperadas respostas de medo, ansiedade e estresse. Saber disso é muito importante para não se cobrar uma calma irreal.

Existem, sim, formas de tentar lidar melhor com a crise. Contudo, sentir culpa por estar nervoso e tentar, a todo custo, manter a tranquilidade constante não são os melhores caminhos. O primeiro passo é entender que a situação é incomum e que é normal se sentir mais ansioso do que o costume. Acolha suas emoções!

Fazer exercícios físicos

Depois de entender as nossas reações corporais mais frequentes em momentos críticos, é possível buscar estratégias para ajudar o cérebro a se regular. Uma das mais eficientes é a prática de atividade física. Afinal, o exercício libera hormônios ligados às sensações de calma e prazer, além de ajudar na disposição e na qualidade do sono.

Nesse momento, ter uma rotina de exercícios ficou mais desafiador, já que a orientação é para se manter o máximo de tempo possível em casa. Mesmo assim, há várias alternativas. Muitos educadores físicos e academias estão compartilhando dicas específicas para tempos de crise.

Mais uma vez: procure não se cobrar demais. A realidade de isolamento social e medo gera dificuldades para se sentir motivado a se exercitar. A dica é definir um horário e escolher uma atividade da qual goste. Com o passar dos dias, certamente ficará mais fácil manter a rotina e você sentirá os efeitos positivos disso.

Evitar a sobrecarga de informação

Você viu que nosso cérebro ativa mecanismos de alerta quando sente algum perigo, certo? Considerando isso, será que passar o dia envolvido em notícias sobre o novo coronavírus é a atitude ideal para cuidar do seu bem-estar?

Ainda que seja importante se manter bem informado para saber como cuidar de si e das pessoas que ama, também é preciso filtrar as informações para não se sobrecarregar. Afinal, cada notícia alarmante poderá ser gatilho para geração de mais medo, ansiedade e estresse.

Em meio às reações fisiológicas de sobrevivência, fica mais complicado ser racional. Por isso, o ideal é limitar o acesso à informação. Procure eleger alguns canais confiáveis e horários específicos para ler as notícias. Além disso, busque também ler dados positivos, que ajudem a se acalmar em tempos de crise.

Ficar em contato com família e amigos

Um dos maiores desafios para o nosso bem-estar atualmente é ter que lidar com o isolamento social. Não poder manter o cotidiano normal fora de casa, ter acesso limitado a passeios e aos encontros com familiares e amigos etc. Felizmente, a tecnologia pode ajudar nisso.

Estamos em isolamento físico, mas os relacionamentos podem continuar acontecendo por telefone, chamadas de vídeo, interações nas redes sociais etc. Conversar com as pessoas que você ama é de grande ajuda em momentos difíceis. Além de distrair, é possível desabafar, ser compreendido e pedir auxílio.

Procurar manter uma rotina

Em geral, as crises mexem com nosso planejamento e nos colocam diante do fato de que a vida não é totalmente previsível. Não é nada fácil elaborar essa realidade — especialmente para quem vê sua rotina virar de cabeça para baixo. Até mesmo quem já trabalhava em casa está com dificuldades.

Em um primeiro momento, é comum ficar abalado com a falta do cotidiano de antes. Consequentemente, fica difícil se motivar para criar uma rotina nova, adaptada às limitações atuais. Mas é importante fazer isso. Montar um planejamento semanal, dentro de suas possibilidades, oferece mais normalidade ao período.

Assim, é possível levantar estratégias para manter a calma em tempos de crise. Procure se planejar de maneira leve, organizando as atividades que gosta de fazer e as obrigações que existem nesse momento. Lembre-se, ainda, de rever o planejamento para fazer mudanças quando for preciso. Talvez, seja necessário ter um ritmo de trabalho mais flexível em nome do equilíbrio emocional.

Ter metas para o período

Um dos efeitos muito frequentes em uma crise é colocar nossos desejos e metas em espera. Pode ser que você sinta estranheza em continuar se planejando para o futuro em um período como esse. Contudo, vale a pena lembrar que as crises passam, não é mesmo?

Ter metas é uma prática que orienta nossas ações e nos mantém ligados à realidade atual — com suas limitações e potencialidades. Então, pense sobre o que pode ser feito e elenque alguns objetivos realistas. Por exemplo, realizar leituras que estavam sendo adiadas, fazer cursos ou conversar mais com algum amigo, por exemplo.

Um cuidado importante nesse ponto é não se render à cobrança por superprodutividade. Mesmo quem tem mais tempo livre disponível provavelmente não está no clima para isso. Então, organize também suas metas de entretenimento — assistir filmes e séries, escutar suas músicas preferidas ou descansar mais.

Pedir ajuda profissional

Apesar de estamos dando dicas de algumas atitudes simples que são úteis para manter a tranquilidade, é fundamental que você saiba quando procurar ajuda profissional. Cuidar da nossa saúde mental deve ser uma prioridade tanto no cotidiano normal quanto em períodos críticos.

Então, quem está enfrentando muita dificuldade em fazer isso sozinho, ou com o auxílio de familiares e amigos, deve considerar os benefícios de buscar um profissional da área. Durante o isolamento social, psicólogos estão atendendo online para prestar suporte às pessoas que precisam.

Identificar e acolher suas emoções são cuidados indispensáveis para saber como manter a calma em tempos de crise. Lembre que o momento é desafiador para todos, mas que toda crise tem um fim. Dias melhores estão logo ali no futuro, mas, enquanto eles não chegam, precisamos nos cuidar da melhor forma.

A arte é mais um elemento importantíssimo no enfrentamento de crises. Aproveite para escutar uma playlist que foi feita especialmente para quem é freela, mas que agora é útil para todos os que estão buscando mais foco para trabalhar em home office. Desfrute!

Foca no Freela: a playlist de produtividade da Comunidade Rock ContentPowered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *