Coluna Freela

Como investir e multiplicar seu dinheiro sendo freelancer?

Toda semana, elegemos um freela para escrever para a gente com pauta livre. Assim, conhecemos melhor a nossa Comunidade e você também. Essa é a história da Aline!

Viver de freelas traz vantagens incontestáveis. Afinal, é difícil encontrar alguém que não sonhe com a liberdade de fazer seus horários, ter ganhos proporcionais à sua produção e poder trabalhar de qualquer lugar do mundo! Entretanto, essa flexibilidade atinge também as finanças, e esse ponto pode não ser muito positivo.

Assim como a carga horária, o freela também tem certa liberdade em relação ao dinheiro — e, às vezes, abusa um pouco dela. Com isso, nem sempre é possível garantir que o pagamento caia antes do vencimento dos famigerados boletos mensais.

É motivo para desistir do trabalho autônomo e voltar para as 40h semanais do regime CLT? Não! É possível aproveitar a liberdade sem passar aperto financeiro. Mais do que isso: podemos conquistar mais segurança investindo nosso dinheiro. Vamos conversar sobre esse assunto?

Como investir se não sobra grana no fim do mês?

Eu não poderia discutir investimentos sem começar falando sobre como deixar um dinheirinho disponível para isso. Sei o quanto é angustiante ver todo seu trabalho se converter em pagamento de contas, mas achar que essa realidade não pode mudar é uma grande crença limitante.

Inicialmente, é preciso desmistificar a ideia de que investir dinheiro é apenas para quem tem muita grana. Na verdade, com valores bem baixos a gente já pode encher o peito de orgulho e dizer que é um investidor — dos pequenos, claro, mas que mal há nisso?

Se atualmente você não está terminando o mês nem com esse “valor bem baixo” na conta, é preciso rever algumas coisas! Em primeiro lugar, como anda o seu consumo? Pessoalmente, sou adepta de alguns princípios do minimalismo. Confesso que o que me levou a isso foi a necessidade (consumir sendo uma universitária sem dinheiro é algo especialmente difícil).

Mas os tempos de aperto promoveram ótimas aprendizagens e eu continuei controlando o meu consumo mesmo depois de me formar e aumentar (bastante!) minha renda. Então, aqui vão algumas dicas de alguém experiente na arte de fazer sobrar dinheiro:

  • livre-se de tarifas bancárias migrando para o pacote de serviços essenciais ou abrindo uma conta em um banco digital;
  • dê adeus também à anuidade do cartão de crédito (o Nubank está aí para isso);
  • registre diariamente seus gastos em um aplicativo e identifique aqueles que podem ser reduzidos ou cortados;
  • experimente consumir produtos com custo-benefício melhor, abrindo mão do apego a certas marcas ou status;
  • substitua alguns (só alguns) programas de lazer por alternativas gratuitas ou menos caras;
  • desenvolva sua educação financeira acompanhando (e escrevendo) conteúdos sobre o assunto;
  • saiba que a ideia não é deixar a qualidade de vida de lado, mas ser mais consciente dos seus gastos e economizar dinheiro fazendo escolhas melhores;
  • se, no momento, é impossível reduzir custos, tente aumentar sua demanda de tarefas — o valor de um post a mais já pode ser investido.

O que são investimentos?

De forma geral, um investimento é algo que lhe garante retorno financeiro. Assim, é possível investir em imóveis para aluguel ou na abertura de um negócio, por exemplo. Neste post, o foco é o investimento financeiro, que significa colocar seu dinheiro em aplicações que rendam juros.

Funciona basicamente como um empréstimo. Quem pega dinheiro com o banco paga juros por isso, certo? De maneira semelhante, alguém que investe no mercado financeiro está emprestando uma quantia para resgatar um valor maior depois.

No Brasil, é possível “emprestar” seu dinheiro para o Governo Federal (por meio do Tesouro Direto), para bancos (em diversas aplicações) e também para empresas (em fundos de investimentos ou na bolsa de valores). Neste post, vou comentar apenas sobre os dois primeiros grupos, pois são investimentos de renda fixa e, por isso, têm baixo risco.

Para começar as aplicações, basta ter uma conta-corrente. Entretanto, vale a pena abrir uma conta em uma corretora de valores para aproveitar melhores opções — elas ampliam o leque de possibilidades porque reúnem ofertas de vários bancos.

Dessa forma, você vai ter acesso a investimentos diversos, com diferentes taxas de juros, prazos de vencimento e aportes mínimos. É importante ter atenção a esses pontos na hora de escolher onde investir. No próximo tópico, vou dar uma ajudinha nisso.

Veja outras Colunas Freelas com histórias sensacionais para se inspirar! 🤔💡
Show me the Money: como entender os clientes me fez ganhar mais dinheiro
De cliente a freelancer: como a Rock Content transforma vidas!
Minha vida mudou para melhor depois que virei freela em tempo integral
Entenda como ser Redatora e Revisora me tornou uma freela mais completa

Como saber onde investir?

Uma das primeiras coisas que aprendi nesse meio foi a dividir o dinheiro de acordo com meus objetivos. Essa simples ação revolucionou minha vida financeira. Por isso, separei dicas de investimentos baseadas em algumas metas fundamentais para todo freela. Vamos lá?

Reserva de emergência

Esse item é praticamente obrigatório para quem quer fazer do trabalho freelancer sua principal fonte de renda. Afinal, sem um salário fixo caindo na conta no primeiro dia útil de cada mês, a gente precisa muito de um planejamento financeiro eficiente. E tudo começa por aqui.

A ideia é ter um dinheiro disponível para ajudar em imprevistos. Assim, ele pode ser usado quando aparece algum gasto não planejado ou quando um cliente atrasa o pagamento, por exemplo. Todos estamos expostos a esses riscos, então, é melhor estar preparado.

Como não sabemos quando uma emergência vai acontecer, essa quantia precisa estar em um investimento que permita resgate rápido. Na linguagem financeira, essa característica é chamada de liquidez. Entre as melhores opções para retirar o dinheiro a qualquer momento sem perder os juros estão a Nuconta, o Tesouro Selic e CDBs de liquidez diária.

Aposentadoria

Com a polêmica envolvendo nossa Previdência atualmente, não é exagero dizer que precisamos pensar nesse assunto o quanto antes. Para os freelas que não contribuem para o sistema do INSS, ter investimentos visando a aposentadoria é ainda mais importante. Aliás, até quem contribui precisa abrir os olhos agora, hein?

Muitas pessoas fazem planos de previdência privada. Entretanto, o que acontece neles é que o banco cobra uma taxa para se responsabilizar por investir o seu dinheiro. Assim, é mais vantajoso estudar sobre finanças e fazer isso sozinho.

Uma das melhores opções para aposentadoria é o Tesouro IPCA. Ele tem alternativas com prazos bem longos (para daqui a 15 ou 20 anos) e rende sempre acima da inflação. Mas atenção: invista nele apenas valores que você não vai usar antes do vencimento, pois há risco de perder dinheiro se fizer o resgate antecipado.

Projetos e sonhos

Até aqui, apresentei investimentos para objetivos importantes na nossa vida de freela. Mas não é apenas para cumprir obrigações que nós trabalhamos, certo? Uma das grandes sacadas de investir é conseguir realizar nossos projetos de maneira mais segura e rápida.

Então, se você sonha em fazer viagens maravilhosas, comprar um veículo ou imóvel, abrir o próprio negócio ou simplesmente ter uma conta mais recheada, saiba que bons investimentos podem ajudar nisso. Afinal, aproveitando a rentabilidade, seu dinheiro multiplica e você conquista seu objetivo antes do que imaginava.

Nesse ponto, é importante citar que as aplicações com maiores taxas de juros (como CDB, LCI e LCA) exigem um valor mínimo maior para investir. Uma boa estratégia quando não se tem todo o dinheiro é juntar aportes em outros investimentos até conseguir a quantia necessária para aproveitar essas opções mais rentáveis.

Outra dica para escolher onde investir é observar os prazos. Defina a data em que você espera realizar seu projeto e procure opções com vencimentos próximos a ela. A renda fixa oferece períodos muito variados — desde alguns meses até muitos anos.

Pode parecer difícil entrar no mundo dos investidores, mas com o tempo tudo fica mais simples. E viciante! As dicas que compartilhei aqui organizaram minha vida financeira e me permitiram sair de um emprego com um salário bacana para me dedicar ao mestrado e aos freelas sem sofrimento. Espero que te ajudem também!

E você? Tem alguma experiência bacana para dividir com a gente? Escreva sua Coluna Freela!

Aline Melo

Aline Melo

Um pé na Psicologia, outro em finanças. Os dois na produção de conteúdo.

Você tem alguma história de vida como freelancer que gostaria de compartilhar com a gente? Confira o form abaixo.
powered by Typeform