exemplos de introdução

Como fazer uma introdução: guia com exemplos para você utilizar nos seus textos!

1. Crie uma USP para o seu artigo 2. Seja extremamente sincero 3. Prometa revelar um segredo 4. Conte o começo de uma história 5. Mostre que o leitor está fazendo tudo errado 6. Faça perguntas retóricas

Suponha que você está iniciando a leitura de um outro post de blog. Agora, escolha qual dos três exemplos citados abaixo melhor representa um parágrafo introdutório de um texto para web:

  1. “Introdução. A difícil tarefa de encantar o leitor.”
  2. “No universo do marketing de conteúdo, a introdução dos textos desempenha um papel de extrema importância. Logo após o título, ela será o primeiro contato dos leitores com o conteúdo produzido pelo redator, o que será decisivo para que estes prossigam ou não lendo o que está escrito. Diante disso, os redatores possuem o grande desafio de elaborar introduções relevantes e atrativas para prender seus leitores logo no primeiro momento, afinal, existe um conteúdo importante e preparado com carinho esperando por eles ao longo do desenvolvimento do texto.”

Ok, você nem deve ter lido o segundo até o fim, afinal já percebeu que é um exemplo de introdução longa e enrolada demais. Vamos então ao terceiro:

  1. “‘Recebi o briefing, li as referências, organizei todas as informações que precisava e, aí, justo na hora de escrever… não tinha ideia de como começar.’ Essa situação parece familiar para você?”

E aí? Diante dessas três introduções, qual mais te atrairia até o final do texto? Se você respondeu a última, isso é um excelente sinal. Agora, continue acompanhando este post para conhecer 5 exemplos que vão te ajudar a prender a atenção dos seus leitores!

Como fazer uma introdução de qualidade

Existem algumas dicas que você precisa conhecer para fazer uma introdução chamativa. Prender os leitores logo na primeira frase pode parecer uma tarefa impossível, mas tudo fica mais fácil se você souber quem são esses leitores.

Para isso, é importante que você esteja atento à persona e tente se colocar no lugar dela. O que ela deseja? Do que ela precisa? E o mais importante, como o meu texto pode ajudá-la?

Outra dica é reforçar o convite para que o leitor continue lendo o texto até o fim. Termos como “confira”, “conheça”, e até o que usamos neste post, “continue acompanhando”, são ótimos para despertar a curiosidade das pessoas sobre o que está por vir — e, claro, é muito importante que o restante do texto seja tão envolvente quanto a introdução.

Lembre-se também de inserir a palavra-chave do post no primeiro parágrafo da sua introdução. Além de ser uma prática importante de SEO, isso reforça a ideia principal do texto, mantendo os leitores focados.

Com essas dicas em mente, você terá uma melhor noção de como fazer uma boa introdução para o seu texto. Agora vamos aos exemplos:

1. O “miniguia”

Uma boa opção para conquistar quem está lendo é deixar claro o que será visto no texto. Excelente para posts mais longos, a introdução ao estilo “miniguia” vai listar os principais pontos do texto de maneira resumida, para ajudar o leitor a decidir se aquele conteúdo é relevante para ele.

O miniguia é um grande aliado para quem busca praticidade. Porém, tente não deixá-lo tão descritivo; você tem muito texto pela frente para explorar o conteúdo em detalhes, não precisa entregar o ouro assim de cara — mesmo porque você quer que as pessoas leiam até o fim, e descobrir tudo na introdução fará com que abandonem seu texto.

Neste post, por exemplo, poderíamos ter começado com uma pequena contextualização do problema do nosso leitor, não saber como fazer boas introduções:

“No post de hoje, você vai aprender algumas dicas básicas para fazer uma introdução atrativa, além de 5 exemplos para utilizar em seus textos.”

Assim, de maneira simples e objetiva, chamaríamos sua atenção para acompanhar o texto. Porém, não teríamos explicitado a parte mais importante, que são os cinco exemplos de introdução.

2. O “amigo sincero”

Ainda focando em praticidade, chegamos à introdução “amiga sincera”. Se seu público tem pressa na hora de fazer as buscas, nada melhor do que criar uma introdução sincera e objetiva para o seu texto.

No entanto, ser sincero vai muito além de não prometer o que você não pode cumprir. Uma dica interessante é que você comece a introdução apresentando um problema ao leitor e demonstre que você o entende.

Dependendo do tom da escrita, você pode utilizar a primeira pessoa para se aproximar do leitor. Observe:

“Você sabe o que é produzir um conteúdo relevante, mas ser dispensado pelos leitores logo nas primeiras linhas? Nós também. Entretanto, ao modificar a forma de criar introduções, resolvemos esse problema de uma vez por todas!”

Esse exemplo de introdução é interessante porque várias pessoas procuram conteúdo na internet para resolver problemas. A partir do momento que o texto mostra logo no início se poderá ajudá-las, você já ganha pontos por não atrasar a vida de ninguém.

É importante que você mantenha a sinceridade em todo seu texto, da introdução ao call-to-action. Você gostaria de ler este post até o final e sair sem nenhum exemplo prático de como fazer uma introdução chamativa? Com certeza não, e funciona da mesma maneira com os seus leitores.

3. O “contador de histórias”

Calma, você não precisa ser o Forrest Gump para que as pessoas ouçam tudo o que você tem a dizer. Para fazer uma introdução “contadora de histórias”, escreva como se estivesse narrando uma história — real ou fictícia, dependendo do teor do texto — e, se possível, faça perguntas para instigar quem está lendo.

Assim, contando a história sem revelar o final e chamando o leitor a refletir sobre ela, você consegue ativar alguns gatilhos mentais, como a curiosidade e a memória afetiva. Isso ajuda tanto na intimidade com o público quanto a despertar seu interesse no conteúdo. Confira como fazer:

“Ana é redatora profissional, mas está um pouco desatualizada sobre as melhores práticas de introdução de textos. Ao utilizar essas dicas, seus textos passaram a gerar quase duas vezes mais tráfego do que antes.”

Você pode ir além e dar espaço à sua criatividade. Transforme o relato em um storytelling, o que ajudará a manter o caráter de “história contada” ao longo de todo o texto e te motivará a criar uma narrativa consistente.

4. A “boa anfitriã”

Tem jeito melhor de ser recebido do que com um sorriso no rosto, um abraço e um café? Quando nos sentimos acolhidos, direcionamos toda a nossa atenção para quem nos recepciona.

Com a introdução “anfitriã” é mais ou menos assim. Imagine seu texto como a sua casa, e o leitor é um amigo que está com problemas e vai te visitar. Veja:

“Se você precisa de uma solução definitiva para introduzir os seus textos, pare de se preocupar agora mesmo. No post de hoje, você aprenderá todo o necessário para produzir introduções matadoras, além de poder compartilhar todas as suas dúvidas conosco!”

A introdução anfitriã cria intimidade com o público, para despertar seu interesse em ler o texto completo.

Utilizando a segunda pessoa do singular, expressões características à persona e uma linguagem próxima, você pode mostrar até aos leitores mais exigentes que consegue resolver seu problema.

Além de gerar credibilidade, esse tipo de introdução proporciona uma leitura bastante fluida.

5. A “autoridade no assunto”

Falando em credibilidade, textos mais específicos podem aproveitar bastante esse exemplo. A introdução de “autoridade” é aquela que apresenta dados de pesquisa ou relatos de especialistas para o leitor, buscando gerar mais confiança para que ele acompanhe o conteúdo até o fim.

Textos relacionados a temas mais complexos são ótimos para utilizar essa dica. Imagine que você é um investidor de uma grande empresa lendo um artigo sobre a bolsa de valores: você confiaria mais em um conteúdo com dados de fontes confiáveis ou em um texto cheio de achismos, sem o mínimo embasamento teórico?

Isso vale até mesmo para personas mais informais. Afinal, é sempre interessante adicionar uma fonte que tenha autoridade no assunto para cativar seu leitor. Assim, utilizando sempre boas referências, a sua própria imagem como autoridade vai sendo construída. Por exemplo:

“Em média, cada usuário lê apenas 20% do conteúdo de um texto. Qual é a sua desculpa para não investir em um conteúdo atrativo desde a introdução?”

6. O “questionador”

Uma técnica interessante de introdução para os seus textos na web é realizar uma série de perguntas ao leitor. Use as principais dúvidas da persona, que a levaram a entrar no seu conteúdo em primeiro lugar.

Para conseguir fazer essas perguntas, se coloque no lugar da sua persona e imagine como ela se questionaria sobre o tema do texto. Jamais faça perguntas que não serão respondidas, pois pode minar a confiança do leitor.

Confira um exemplo:

“Como escrever conteúdos que tenham vantagens em rankings de busca e dispensem gastos com mídia paga? Como fazer investimentos em marketing que durem mais? De que maneira o Facebook pode ajudar a trazer mais clientes para a sua empresa? Essas e outras respostas, você confere a seguir:”

Vai dizer que você não ficou curioso para ler o conteúdo deste texto? Essas perguntas tornam o leitor engajado e interessado em continuar a leitura. E esse é exatamente o objetivo da introdução, não é mesmo?

Dicas e aplicações práticas para sua introdução

Para terminar, veja algumas dicas finais para tornar sua introdução ainda mais encantadora:

Palavras estratégicas

Existem algumas palavrinhas mágicas que devem passar por nossa mente quando pensamos em como fazer uma introdução. São exemplos:

  • Dicas
  • Segredo
  • Truque
  • Comprovado
  • Infalível
  • Instantâneo
  • Simples
  • Agora
  • Imagine

Imagine uma introdução que promete revelar o segredo para o sucesso como redator web? E que te oferece dicas simples e infalíveis, que dão resultados instantâneos e comprovados? É o sonho de qualquer leitor!

É claro que nós exageramos nesse exemplo. Mas combinar algumas dessas palavrinhas estratégicas pode transformar sua introdução em um ímã de leitores! Porém, tome cuidado, pois elas aumentam o valor da promessa do conteúdo. Certifique-se de que o texto vai entregar o que for prometido.

Tamanho ideal

Como você viu no início desse artigo, introduções muito longas funcionam como sonífero para os leitores. Da mesma forma, introduções objetivas demais correm o risco de não conquistar atenção suficiente.

Para isso, tente seguir um padrão de tamanho para as suas introduções, entre 6 e 10 linhas. Esse tamanho é ideal para instigar a curiosidade e o interesse do leitor, sem cometer redundâncias ou apresentar muitos dados logo de cara.

Não há problemas em extrapolar o padrão, desde que a introdução se mantenha relevante e cumpra seu papel na estratégia do texto.

Estrutura básica

Algumas informações não podem deixar de figurar na introdução. Ela precisa informar, de forma breve, o que o leitor vai encontrar no decorrer do texto. Funciona mais ou menos assim:

  • para listas, a introdução deve esclarecer quantos itens o texto vai discutir;
  • em análises ou discussões teóricas, a introdução precisa antecipar de que forma a análise foi conduzida, qual metodologia foi utilizada, etc;
  • ao embasar o texto em dados de uma ou mais pesquisas, é interessante que a introdução já apresente a instituição responsável pelo estudo e até alguns números para situar o leitor.

Essas estruturas básicas garantem a fluidez da leitura, pois preparam o leitor para o que está por vir.

É interessante separar um intertítulo do texto para responder cada pergunta ou promessa feita na introdução. Inclusive, muitos redatores escrevem a introdução depois do texto já estar pronto, para ter certeza de que não vão se esquecer de nenhuma informação importante.

Fugir de clichês

Algumas expressões foram tão utilizadas que viraram clichês de introduções. Iniciar um texto com “atualmente” e “estudos comprovam que” não faz “brilhar os olhos” do leitor. Pelo contrário, o faz lembrar de quantas vezes ele já viu essas expressões, diminuindo o valor do seu texto.

Da mesma forma, frases como “fazer xxxx não é tarefa fácil” e expressões como “fechar com chave de ouro” e “voltar à estaca zero” são chavões que empobrecem o texto. Procure expressar ideias relevantes na introdução, e fuja de afirmações vazias ou redundantes. É melhor ser objetivo do que prolixo, sempre!

Aproximação com o leitor

Como mostramos no exemplo 4, a introdução é o momento ideal para se conectar com o leitor com sinceridade. Parece bobo, não é? Mas não se engane: uma introdução sincera estimula a confiança do leitor, que se sente mais preparado para receber o conteúdo.

Se você não está disposto a investir no seu negócio, não continue lendo este artigo“.

Poderoso, não é? Aqui, a sinceridade pode despertar a curiosidade dos leitores e incentivar a leitura, ou desencorajar o visitante que não está disposto a investir. De qualquer modo, você alcança seu objetivo, pois apenas os interessados (a persona para quem o conteúdo foi planejado) vão continuar lendo o texto.

A linguagem do texto também deve ser pensada para envolver o leitor. Use palavras como “você” e “seu”, que demonstram tratamento mais íntimo. De nada adianta escrever utilizando termos rebuscados se seu leitor não vai ser conquistado por eles. Prefira uma linguagem mais simples, sem coloquialismo, mas mantendo a aproximação.

Para seus próximos textos, tente explorar os exemplos e dicas que demos aqui até pegar o jeito de cada um. Com criatividade e muita prática, rapidamente você estará escrevendo introduções implacáveis, para especialista nenhum botar defeito!

Escrevendo uma introdução de artigo que vai prender a atenção dos leitores

Você já percebeu que bastam algumas linhas de um texto para decidir se você vai ler o conteúdo até o final ou não? Pois então…

A introdução é o primeiro contato do leitor com o corpo do seu texto, por isso ela deve ser convidativa!

Antes da introdução, a única coisa que seu leitor conhece é o título, ou seja, a promessa do que o seu conteúdo pode acrescentar a ele. Por essa razão, a introdução é imprescindível para garantir que seu texto será lido até o final.

Se você não conseguir prender o seu leitor nas primeiras frases, ele vai embora e dificilmente vai voltar.

A web é um paraíso de distrações e o dedo de seu leitor vai estar sempre pronto para clicar no botão de “voltar”, ou simplesmente fechar a aba do navegador.

Lembre-se: o objetivo do primeiro parágrafo é fazer o seu leitor querer ler o resto do texto! Para conseguir que isso aconteça, existem algumas estratégias, que ensino hoje. Confira:

Imagine quem é seu leitor ideal

Para quem seu artigo será escrito? Quais são seus objetivos, interesses e necessidades ao ler o texto? Pense em que tipo de pessoa é o seu público-alvo e tente então imaginar com o que ele se importa. Para isso, basta responder algumas perguntas:

  • Qual a maior preocupação do meu leitor? O que ele teme?
  • Quais objetivos o meu leitor quer alcançar? O que ele ambiciona?

Ou seja, evidencie um problema e demonstre que você tem a solução! Crie o seu primeiro parágrafo mostrando como seu conteúdo pode ajudar o leitor a evitar o que ele teme, ou até mesmo conquistar o que ele ambiciona.

Descubra qual é o tom de fala de seu leitor

É importante saber também qual é o tom adequado para se comunicar com ele. O tom adequado cria uma comunicação mais pessoal e, portanto, de maior engajamento.

Por exemplo, falar com uma adolescente sobre moda é bem diferente de falar com um advogado sobre o mercado imobiliário. Cada um desses tipos de leitores exige um tom diferente de conversa. Isso pode ser atingido por meio de expressões coloquiais, textos mais formais, gírias e até mesmo um vocabulário mais técnico.

Entenda o conceito de persona

Todos esses aspectos (tom de fala, tipo de problema, possível solução, etc.) dependem muito da persona para quem você está escrevendo. Muito mais do que simplesmente redigir um texto pensando em um público-alvo, é importante saber reconhecer a persona do seu texto, o perfil geral do seu leitor (hábitos, vontades, geração, interesses, entre outras características).

Assim, você terá maior facilidade de entender quais são as principais dores e dificuldades do seu leitor, e saberá também como fazer uma introdução de texto direcionada para solucionar tais problemas.

Defina claramente os benefícios do seu artigo

O que o leitor vai ganhar se ele gastar preciosos minutos de sua vida lendo o seu texto? Sua introdução deve atender às expectativas geradas pelo título e mostrar a qual o propósito de seu texto.

Pense em pelo menos um benefício que o leitor pode tirar do artigo e use como isca para fisgá-lo. Essa “isca” pode ser elaborada com uma série de técnicas. Veja algumas das mais eficientes:

Crie uma USP para o seu artigo

Uma USP (Unique Selling Proposition) é uma tática de marketing para criar uma frase de simples entendimento e comunicação que representa qual o diferencial de um produto. Sintetize, em apenas uma frase, qual é o valor do seu artigo e o apresente claramente ao seu leitor.

Seja extremamente sincero

Sim, pode parecer absurdo, mas sinceridade não é exatamente a coisa mais comum na internet hoje em dia. O tom de muitos textos é infantilizado e condescendente.

Ao ser completamente franco com seu leitor, ainda que isso possa destoar de algo que ele esteja acostumado a ouvir, ou de outras técnicas de venda de produtos e serviços, você estabelece uma imediata relação de confiança com ele. A partir dessa informação na introdução inicial, o leitor sabe que poderá confiar também nos parágrafos seguintes.

Prometa revelar um segredo

Pessoas adoram segredos porque eles despertam curiosidade. Prometa revelar os segredos das pessoas bem-sucedidas e você terá o interesse de seu leitor. Crie expectativa e não revele o seu segredo logo no começo do artigo.

É preciso criar curiosidade primeiro, falando sobre o mundo de possibilidades que vai se abrir para o leitor depois que o segredo for revelado. Ou seja, há um encadeamento de ideias e vantagens durante a leitura. A antecipação desse aprendizado é um forte motivador para a leitura.

Conte o começo de uma história

Contar uma história ao leitor é aproximá-lo da temática do texto. É possível dar exemplos do tema que você vai tratar logo no início de um texto, de forma que o leitor fique curioso ou se identifique com a situação que você expôs. Assim, há mais engajamento e vontade de descobrir qual será o desfecho daquela situação.

Mostre que ele está fazendo tudo errado

A possibilidade de estar fazendo algo importante de maneira errada é muitas vezes o suficiente para chamar a atenção das pessoas. Todos queremos fazer o nosso melhor nas nossas atividades e não queremos desperdiçar nossos esforços.

Geralmente, imaginar que mesmo depois de muito esforço podemos não obter os resultados que desejamos já é o bastante para perturbar nossos pensamentos. Por isso, esta pode ser uma ótima dica para usar como gancho nas introduções dos seus textos.

Faça perguntas retóricas

Quando você efetivamente conversa com o leitor, por meio de perguntas retóricas, obviamente não espera que ele responda ao texto. No entanto, a primeira reação que ele terá durante a leitura é de responder a esses questionamentos, ainda que inconscientemente. Ao fazer essas perguntas, você estimula a reflexão do leitor e faz com que ele perceba a relevância do tema sobre o qual você está escrevendo.

Muitas vezes a primeira impressão é a única chance que você tem. Aproveite-a bem! Escreva introduções intrigantes e veja o engajamento do seu conteúdo aumentar imediatamente!

Gostou destas dicas? Quer saber mais sobre redação web? Assine a nossa newsletter e fique por dentro dos conteúdos e novidades da Comunidade Rock Content!