Como fazer uma conclusão
Sem tempo para ler tudo? Clique em ▶ e ouça este artigo na íntegra!

">

Como fazer uma conclusão: aprenda de uma vez por todas! [BÔNUS: INFOGRÁFICO]

Quer aprender como fazer uma conclusão inigualável e engajar cada vez mais o seu leitor? Essa é uma arte para poucos, mas você pode tudo aprender agora! Saiba como fazer uma conclusão aqui. Aproveite!


Sem tempo para ler tudo? Clique em ▶ e ouça este artigo na íntegra!

Neste post, você vai ver como fazer uma conclusão de sucesso:

  1. Retomar a introdução;
  2. Ressaltar a ideia principal do texto;
  3. Resumir os pontos chave;
  4. Enfatizar os benefícios do conteúdo que seu leitor acabou de ler;
  5. Criar uma expectativa para incentivar a audiência a procurar mais sobre o assunto;
  6. Utilizar uma chamada para ação (CTA)!

Quer se tornar especialista em conclusão e planejamento de conteúdo? Então, assista ao webinar com a Lana Kantor, nossa expert no assunto. Nele, você vai aprender como determinar o tamanho e o modelo de um conteúdo e muito mais!

E que tal vê-lo até duas vezes mais rápido e aprender melhor? Veja como fazer isso com o hack que ensinamos para aprender rápido e se torne especialista em planejamento de conteúdo na metade do tempo!


Você já esteve na situação de desenvolver o seu texto com maestria e, ao final, ficar sem saber como fazer uma conclusão para ele? Isso é muito mais comum do que você imagina.

Duvida? Dá uma olhada nesse infográfico incrível a seguir!

Como fazer uma conclusão perfeita

Quer publicar esse infográfico no seu blog ou site?

Pensando nisso, reunimos neste post algumas dicas sobre o que é uma boa conclusão de texto para web, o que ela deve e não deve ter, além de alguns exemplos para você aprender de uma vez por todas como fechar os seus textos com chave de ouro!

Que tal se tornar um especialista em conteúdo digital? Aproveite para baixar nosso guia definitivo de produção de conteúdo e aprenda a usar as suas redações para encantar a audiência. Confira:

O que é uma conclusão de texto?

A resposta para essa pergunta parece óbvia, não é mesmo? Mas é aí que muitas pessoas se enganam. Concluir um texto não é só repetir tudo que já foi dito com outras palavras em uma frase curta.

A conclusão é o fechamento do que você desenvolveu ao longo do conteúdo e o reforço da ideia principal, podendo até contar com chamadas para reflexão e ação dos leitores.

Claro, é importante que a conclusão seja sucinta e, de preferência, composta por apenas um parágrafo (pelo menos em textos mais curtos, de até mil palavras). Você já teve o texto todo para expor suas ideias e argumentos com detalhes, o ideal é que não enrole para terminar. Porém, mesmo com poucas frases, ainda é possível (e desejado) que você acrescente um toque final para que seus leitores não esqueçam tão facilmente de tudo que viram no seu texto.

Isso é possível por meio de uma síntese do que foi apresentado, uma sentença que retome a introdução e esteja de acordo com o que foi argumentado no desenvolvimento. Mas o que essa síntese deve ter para funcionar? É o que você vai descobrir a seguir!

Caso queira aprender a redigir um texto perfeito, baixe o nosso guia definitivo sobre o assunto. Mas não deixe de aprender sobre como fazer uma conclusão!

Conclusão de texto para web: qual a diferença?

De modo geral, quando pensamos na conclusão de textos, os conceitos são os mesmos. Independentemente de ser um texto para Enem, uma dissertação acadêmica, um post para blog, ou até mesmo um livro.

Porém, quando falamos diretamente do formato de conteúdos para web, é importante lembrar que um dos maiores desafios é manter o usuário interessado e engajado com o texto. Por isso, uma das melhores dicas para conclusões de texto nesse caso é a inclusão de CTAs, ou seja, as call to actions, ou chamadas para ação.

Assim, você incentiva que seus leitores se mantenham em contato com o seu texto e com o seu blog, alcançando melhores resultados nas estratégias de engajamento.

Está gostando de descobrir como fazer uma conclusão perfeita para o seu texto? Compartilhe este post com seus amigos agora mesmo!

O que uma conclusão deve ter?

Como vimos, a conclusão deve sintetizar a mensagem principal do texto e acrescentar algo ao leitor, o que fica bem mais fácil se você se fizer três perguntas básicas:

1. Que ensinamento eu posso tirar desse texto?

Qual é a “moral da história”? A noção de propósito é cada vez mais necessária dentro dos textos para web, já que as pessoas normalmente estão sem tempo nem paciência para tanto conteúdo circulando na tela.

Dessa forma, pense na principal lição que os leitores podem tirar do seu texto e insira-a na conclusão.

2. O que os leitores não podem esquecer?

De tudo que você escreveu, algo merece maior destaque. Tenha em mente que ponto é esse e aproveite o espaço da conclusão para reforçar essa ideia. Lembre-se de que este é o seu último momento de fazer com que o leitor termine a leitura tendo aproveitado o máximo possível do seu conteúdo.

3. Como resumir a minha solução?

A maioria das pessoas procura conteúdo na internet para resolver um problema. Por mais que o seu texto tenha a solução para determinado problema, você não pode demorar muito para apresentá-la ao leitor, sob o risco de perder a atenção dele.

Assim, é importante resumir essa solução em poucas frases — você vai conferir algumas formas de fazer isso no último tópico deste post.

Com essas três perguntas respondidas, só falta uma coisa para finalizar sua conclusão com a CTA. Como dissemos anteriormente, a “call to action” é uma chamada no final do texto para engajar de alguma forma quem está lendo. Você pode sugerir que o leitor deixe um comentário ou compartilhe o post nas redes sociais, por exemplo. A CTA é uma ótima forma de manter seu texto por mais tempo na memória do público e, claro, engajar os leitores.

O que uma conclusão não deve ter?

Depois de saber o que deve constar em uma conclusão, também é importante saber o que ela não deve ter. A principal dica aqui é não misturar conclusão e desenvolvimento, tanto para não confundir os leitores quanto para não perder o foco do que você precisa fazer: finalizar o texto.

Dessa forma, uma conclusão não deve apresentar novos argumentos. No desenvolvimento, você já teve a oportunidade de apresentar suas opiniões e dados, dividindo tudo por meio de intertítulos e fechando bem cada ideia.

Então, nada de aumentar a argumentação nem de adicionar ressalvas à conclusão para não se contradizer e correr o risco de perder credibilidade com o seu leitor.

Manter isso em mente é fundamental porque a conclusão não deve trazer surpresas aos leitores. Imagine que você mora em um apartamento pequeno e está lendo um texto sobre os benefícios de ter uma horta orgânica em casa. Aí, justo no final, o autor aponta que isso só é possível se você morar em um espaço grande. Seria uma surpresa nada agradável, não é?

Mas aí você pensa: “mas minha conclusão não deveria ter um toque final para acrescentar ao leitor?” Exato, e você pode fazer isso dentro do que já expôs ao longo do texto. Não deu para entender muito bem? Então vamos para a prática que tudo se resolve:

Exemplos de como fazer uma conclusão

Mesmo variando de acordo com o tipo e o gênero textual, existem elementos que ajudam muito na hora de fazer a maioria das conclusões, principalmente de textos para web. Confira alguns exemplos:

1. Retomada da introdução

O mais clássico de todos. Imagine um texto sobre decoração, no qual você afirmou na introdução que a tendência atual é pintar as paredes com cores mais claras. A conclusão poderia ser da seguinte forma:

“Assim, sabendo que a tendência do ano é decorar as paredes com cores mais suaves e (retomada de um dado importante que você apresentou no desenvolvimento), podemos esperar casas com ambientes bem mais tranquilos e aconchegantes daqui para frente.”

2. Pergunta

Um artifício muito interessante é fazer uma pergunta com tom mais desafiador para instigar o leitor e chamá-lo para ação. Esse exemplo é mais apropriado para posts mais informais, então lembre-se sempre de checar o cliente e persona para quem você está escrevendo.

Você pode perguntar algo como “O que você achou do texto?” ou até mesmo “E então, vai conseguir ficar de fora desta tendência?” e deixar a imaginação fluir bem nessa hora de interação.

3. Conjunção conclusiva

Conjunções como “portanto”, “diante disso”, “dessa maneira” e outras são excelentes para dar liga entre o desenvolvimento e a conclusão. Aliás, as conjunções são sempre bem-vindas na hora de amarrar as ideias de um texto, pois deixam o conteúdo mais organizado e fluido.

4. Análise/sugestão

Alguns textos pedem uma opinião mais forte do autor. Se esse for o caso, a conclusão é um bom espaço para apresentar uma rápida análise e, se possível, até deixar alguma sugestão para quem está lendo. Aqui vai a nossa:

“Depois de saber todos os truques para concluir seu texto sem problemas, sugerimos que você pratique bastante, afinal, a melhor forma de melhorar a sua escrita é escrevendo!”

Técnica infalível: como criar um filtro para uma conclusão perfeita

Já demos alguns exemplos de como você pode encerrar o seu conteúdo. Agora, é hora de praticar e verificar se as suas conclusões vão funcionar!

E, para isso, vamos usar um método tradicional, porém essencial: um filtro.

Primeiramente, escreva a conclusão que você tem em mente. Não tenha receio de errar, é justamente para corrigir erros que o teste do filtro existe. É melhor feito do que perfeito. 😉

Agora, de posse do seu rascunho de conclusão, verifique se ele cumpre os requisitos abaixo. Ah, e só prossiga quando tiver certeza de que sua conclusão satisfaz a condição anterior. Confira:

Primeiro filtro: a sua conclusão é verdadeira?

O filtro da verdade é o melhor — e principal deles —, pois não é possível encantar o leitor se o seu conteúdo não é verídico. E, para piorar, você pode estar criando um problema de longo prazo e arriscando a sua reputação na web.

Então, verifique se há alguma incoerência ao concluir o seu texto. Se houver algum ponto que você esteja omitindo do leitor ou alguma dúvida deixada no ar, reconsidere.

Sendo assim, faça os ajustes para que a sua conclusão sequer se pareça com uma mentira. A regra, aqui, não é apenas ser verdadeira, mas também parecer verdadeira.

Segundo filtro: a sua conclusão é boa?

Você superou o filtro da verdade e conseguiu criar uma conclusão fidedigna, correto? Então, agora temos um desafio: descobrir se o encerramento do conteúdo é bom.

Como podemos saber se é bom? Para isso, é preciso um pouco de reflexão. Afinal, o que é bom para mim, nem sempre é bom para os outros.

Portanto, pergunte a si mesmo se a conclusão que você redigiu é algo do qual você se orgulharia. Afinal, o fim de um texto é um momento muito propício para a geração de engajamento. Logo, se você não consegue passar do filtro da bondade, pode ser necessário até mesmo revisar os objetivos do seu conteúdo — por isso esse filtro é um verdadeiro desafio.

Se puder, peça a opinião de outras pessoas, uma avaliação em forma de nota também funciona. Em uma escala de 1 a 10, qual é o mínimo suficiente para uma avaliação “boa”? Estabeleça esses critérios e siga adiante.

Terceiro filtro: a sua conclusão é cordial?

Embora pareça estranho, a cordialidade é fundamental. E não tem nada a ver com ser exageradamente gentil ou bajular o leitor.

Cordialidade tem a ver com entender os problemas do leitor, sobre desenvolver empatia ao longo do texto. Afinal, ninguém navega por um conteúdo até o fim esperando receber elogios, mas sim ter um problema resolvido com aquela leitura!

Portanto, compare o fim do seu texto com a proposta do valor, feita na introdução. Se as respostas que você trouxe ao longo do conteúdo forem satisfatórias, prossiga.

Se você não tiver certeza, dê abertura para feedbacks, críticas e sugestões. Nesse caso, uma call to action sugerindo um comentário pode ser uma solução cordial.

Combine a isso o bom uso de ganchos e adequação da linguagem à persona. Isso, mais do que elogios, fará o leitor se sentir enaltecido.

Quarto filtro: a sua conclusão é útil?

Ao concluir um texto, uma conclusão mediana raramente consegue chegar a esse filtro. É a partir desse momento que conseguimos nos tornar realmente relevantes para o leitor. Até então, uma conclusão boa, verdadeira e cordial está apenas cumprindo condições mínimas.

Logo, surge a dúvida: o que é uma conclusão realmente útil?

O desenvolvimento do seu artigo tratou de resolver um problema do seu leitor (ou fornecer meios para isso)? A partir de então, é hora de demonstrar o quanto essas informações podem se traduzir em ações após a leitura.

Revisite os problemas do leitor e verifique se eles foram atendidos e, então, faça uma boa oferta na call to action, que fará seu espectador ir além do que ele inicialmente pretendia.

Quinto filtro: a sua conclusão é necessária?

Há diferença entre a uma conclusão qualquer e aquela que você está construindo? Vale a pena investir tempo e esforço em encerrar o texto dessa forma?

Uma conclusão é necessária quando ela faz toda a diferença no seu texto. Quando falamos sobre sintetizar a mensagem principal do texto e acrescentar algo ao leitor, estamos falando sobre utilidade.

Assim, a sua conclusão passa pelo último filtro quando provoca emoções em seu leitor, levando-o a tomar uma ação a partir da leitura.

Uma conclusão é necessária quando:

  • o leitor memoriza a sua mensagem;
  • o leitor é motivado a acessar ou compartilhar um conteúdo;
  • o leitor passa a estudar e refletir sobre o assunto;
  • o leitor se torna curioso sobre um ou vários assuntos;
  • o leitor passa a se importar com a proposta do texto;
  • o leitor compreende o quanto você se importa com ele;
  • o leitor se sente sensacional!

Os erros mais comuns ao fazer uma conclusão

Até aqui você aprendeu a fazer uma conclusão épica para os seus textos. Ótimo, certamente o conteúdo redigido melhorará bastante com as dicas apresentadas.

Porém, você sabia que o conhecimento empírico, ou seja, adquirido por meio de experiências, é a melhor forma para fixar o aprendizado? Isso significa que você terá que cometer diversas falhas até chegar no nível da perfeição.

Mas você não achou que te deixaríamos na mão em um momento como esse, né? Fique tranquilo. A seguir, adiantamos alguns passos e apresentamos os principais erros cometidos ao fazer a conclusão em um texto!

Quebra repentina do texto para finalização e falta de conexão dos argumentos

Um bom conteúdo argumentativo deve dispor as informações em cadeia. Ou seja, uma ideia leva a outra. De modo que é possível afirmar que, dentro de um mesmo texto, existem outras diversas pequenas conclusões.

A esse recurso linguístico damos o nome de cadência, ou seja, o seguimento de uma sucessão racional, cujo propósito é conectar os parágrafos entre si.

Porém, nenhuma delas é tão importante quanto o seu argumento final. E, é claro, ele deve seguir a sequência lógica das alegações citadas durante o artigo, não é mesmo?

Portanto, lembre-se de interligar a sua conclusão com o que foi dito anteriormente. Uma finalização sem pé nem cabeça pode afastar o seu leitor justamente no ponto mais importante da leitura.

Ausência de CTAs

Muitas pessoas decidem se arriscar no mundo dos blogs hoje em dia. E não é à toa. Afinal, o marketing de conteúdo, monetização de sites e outros tipos de arrecadação de renda são métodos que atraem diversas pessoas para esse modelo de negócios.

Apesar disso, muitos iniciantes acabam se esquecendo de que um texto tem sempre um objetivo de marketing. É preciso aproveitar a oportunidade do leitor que chegou até o fim do conteúdo para levá-lo a alguma ação.

Como dito anteriormente, essa é a função de uma CTA. Em blogs corporativos, geralmente ela está associada a uma estratégia de inbound marketing. Mas em blogs pessoais também é possível incitar uma ação, que pode fidelizar o seu público e mantê-lo engajado.

Alguns exemplos mais comuns de CTA incentivam o usuário a:

  • curtir uma fanpage;
  • compartilhar nas redes sociais;
  • inscrever-se em uma newsletter;
  • comentar em um post;
  • baixar um material rico;
  • assistir a um vídeo;
  • acessar outro artigo;
  • clicar em um link;
  • fazer um download;
  • solicitar um orçamento;
  • entrar em contato com a empresa;
  • responder um questionário;
  • comprar um produto;
  • visitar uma landing page.

É claro que isso pode variar, e você deve decidir por aquele que mais condiz com os seus objetivos.

Excesso de CTAs

Por outro lado, o excesso de CTAs também é outro erro que deve ser evitado. Afinal, se você solicitar múltiplas ações, é muito mais provável que o usuário não execute nenhuma do que todas elas.

Lembre-se: uma call to action deve ser exclusiva e direcionar para apenas um objetivo, aumentando as chances de o leitor interagir com ela.

Parágrafos muito longos

Certo, você redigiu todo o seu texto e agora tem a tarefa de fazer uma conclusão memorável. Mas isso não significa que você deva exagerar no tamanho. Afinal, ela está inserida no artigo e, como tal, deve obedecer as regras de escaneabilidade da web.

Parágrafos muito extensos podem desanimar o leitor. E, caso ele decida abandonar o texto na conclusão, não vai acessar a CTA, o que gera problemas na estratégia. Por isso, tente resumir o final do seu texto, deixando-o o mais sintético possível. Caso precise realmente de algo longo, divida a conclusão em parágrafos mais curtos.

Conclusão incoerente com o título

O objetivo de todo texto para web é responder à pergunta do título ou resolver um problema do usuário. Ao longo do conteúdo, o redator argumentará e discorrerá para, ao final, dar um parecer final acerca do que foi dito.

Sendo assim, antes de redigir a sua conclusão, volte ao começo. Releia o título e tente conectar ambos, em uma espécie de pergunta e resposta direta ao que foi proposto. Afinal, o leitor acessou aquela página com um objetivo e leu todo o artigo para alcançá-lo. Uma resposta definitiva pode agradá-lo e estimulá-lo a realizar a ação proposta.

Frases confusas

Do mesmo modo que o tamanho dos parágrafos influencia a experiência de leitura do usuário, a extensão das frases também é um fator comprometedor.

Então seja sucinto. Não tenha medo de usar a vírgula e o ponto final para resumir as suas frases e facilitar a compreensão do texto. Isso evita que elas fiquem confusas e exijam uma releitura. O usuário de internet está sempre com pressa e pode ser que você o desagrade logo ao fim do artigo.

Inexistência de desfecho

Muitos redatores no início de carreira acham que os textos para a web seguem os padrões literários, que muitas vezes deixam uma mensagem subliminar, inconsciente.

Mas a verdade é que as pessoas estão ali para esclarecer suas dúvidas, então encerrar o texto de maneira abrupta pode soar como uma tremenda falta de educação. Tente revisitar alguns pontos caso o artigo seja mais longo, retomar a ideia e inserir uma resolução final para os problemas da persona.

Uma boa conclusão deve cumprir a promessa do título, trazendo caráter utilitário como prioridade. Assim, as chances de agradar o leitor aumentam bastante, assim como a possibilidade de ele realizar a ação esperada.

Alternância de linguagem

Pense na seguinte situação: você definiu que a sua persona é um jovem que gosta de andar de skate e escreveu um conteúdo em formato bem maneiro para atingir em cheio a sua audiência. Irado!

Porém, ao concluir o texto, você seguiu o padrão: utiliza uma linguagem formal e quadrada, totalmente incondizente com o restante do artigo. Isso certamente não agradará o leitor ao final da leitura.

Portanto, você deve manter o estilo de escrita do início ao fim do texto, mesmo que a sua conclusão final não siga os padrões encontrados em manuais. Às vezes, regras demais podem atrapalhar.

Bônus: outros tipos de conclusão que podem te ajudar!

Já que o assunto é conclusão de textos, resolvemos ir ainda mais a fundo. Se você produz conteúdo para web, certamente vai tirar algumas lições de conclusões para outros tipos de redação.

Se você está prestando um concurso, tal qual o vestibular, ou entregando um trabalho acadêmico — como um TCC ou monografia —, é hora de misturar os conhecimentos e trazer o melhor.

Conheça agora dois métodos extras, que vão te dar insights para conclusões perfeitas, sejam elas de conteúdos para web ou não. Confira:

Como fazer uma conclusão de redação do ENEM?

Redações do Exame Nacional do Ensino Médio são breves, e não dá para dedicar mais do que um ou dois parágrafos para a conclusão.

Por isso, uma das melhores ferramentas para concluir uma redação do ENEM é o famoso parágrafo conclusivo. Aquele conjunto de frases que “amarra” as ideias principais defendidas no desenvolvimento.

Nesse caso, tome o cuidado de não inserir novas ideias, para que o texto não fique com algum fio solto. Em vez disso, aproveite o limite de espaço para se certificar de que nenhuma das teses da introdução e do desenvolvimento ficaram em aberto.

Uma redação para ENEM se difere de uma redação web por muitos aspectos. Uma delas é a problematização do assunto. Toda redação para ENEM precisa envolver um problema, que será base para os argumentos críticos ao longo do texto — e a sua resolução, que vem na conclusão.

Por isso, a maior parte do seu parágrafo de conclusão deve ser composta por propostas de intervenção. Em outras palavras, soluções para o problema abordado.

Então, sejamos objetivos: não é difícil fazer uma conclusão de redação para ENEM. O difícil é ter conhecimento sobre o que cai na prova, para elaborar uma ideia completa e com riqueza de detalhes.

Sendo assim, leia bastante. Assista aos principais noticiários, jornais e canais de jornalismo sempre que puder! Saiba o que está acontecendo, pois é desses veículos de comunicação que (provavelmente) sairão os temas das redações, editais do enem.

Como concluir um trabalho acadêmico (artigo, monografia, TCC etc)?

No caso de um trabalho acadêmico, não existe uma estrutura específica para encerrar um texto. Inclusive, cada trabalho possui um tamanho diferente, exigindo tamanhos diferentes de conclusão.

Portanto, o ideal é começar falando sobre quais pontos serão esclarecidos definitivamente na conclusão. Provavelmente, estes serão temas levantados no início do trabalho.

Como você realizou uma análise ao longo do conteúdo, em seguida a sua conclusão deve falar sobre o que você descobriu no decorrer da pesquisa.

No caso de um TCC, por exemplo, um resumo dos resultados obtidos em sua pesquisa pode aparecer nesse momento. Lembre-se de usar a terceira pessoa e fazer todas as referências necessárias.

Os aprendizados e observações realizados por meio da pesquisa, afinal, são a parte mais relevante da conclusão. Feito isso, você deve listar quais dos objetivos definidos no início do trabalho foram alcançados. Caso um ou mais deles não tenha apresentado o resultado desejado, não se preocupe. Basta explicar o porquê disso, o que provavelmente é uma resposta que você obteve ao longo da produção.

Após isso, colocar os objetivos alcançados é o próximo passo. Por se relacionarem mutuamente, os objetivos devem ser colocados junto com seus resultados finais.

Por fim, não se esqueça de listar as fontes que você utilizou para encontrar cada uma das respostas que você apresentou. Isso pode ser um pouco cansativo, pois você terá de recorrer à bibliografia. Então, não deixe de organizar o seu trabalho desde o início.

Agora que você já sabe como fazer uma conclusão, que tal aprender a melhorar a redação como um todo? Conheça o nosso post sobre como fazer uma introdução e descubra se você está escrevendo corretamente!

E não deixe de conferir nosso Guia do texto perfeito! É só clicar na imagem abaixo:

como fazer uma conclusão