Guia do Networking: como construir uma incrível rede de contatos para decolar na carreira!

Assistimos à palestra do gerente de networking da Endeavor, Allen Taylor, dia 18/10, no RD Summit 2017. Para ele, Networking é se importar de verdade com os outros, e estar preparado para oferecer ajuda antes de pedir algo em troca. Você está preparado?

Se você é uma pessoa inovadora, você pode mudar o mundo. Inovar significa imaginar alguma coisa diferente e gastar o seu tempo tentando torná-la real.

Na Endeavor, o gerente de networking Allen Taylor é responsável pela rede de 50.000 mentorados, 6.000 mentores e investidores que que se conectam por meio da Endeavor.

O que é networking?

Networking vem da palavra “net” e “work”, ou “rede” e “trabalho”.

Hoje, a maioria das pessoas acha que networking é o número de contatos que você tem no LinkedIn, somados às pessoas com quem você conversa e troca ideias no mundo corporativo.

Contudo, isso não é exatamente uma verdade.

Na verdade, networking é selecionar pessoas no seu círculo e se preocupar com elas, oferecer algo, investir o seu tempo nelas para, no futuro, receber algo em troca.

Esse conceito está muito mais ligado à ideia de investir em uma relação com as pessoas à sua volta, sejam elas do seu time, da sua empresa, seus clientes, competidores etc.

Para explicar esse conceito com clareza (e segundo as técnicas do especialista), vamos desvendar os pilares do netowrking, segundo Allen Taylor.

#1 — Confiar e compartilhar

Para ter uma rede de contatos e ser bem-sucedido com isso, é preciso criar uma cultura de confiança. A confiança é, antes de mais nada, uma competência essencial para a inovação.

Então, o primeiro passo é confiar nas pessoas à sua volta e, em seguida, compartilhar o que você sabe sem receios. Vale ressaltar que o ato de compartilhar conhecimentos é uma excelente maneira de oferecer algo e dispender tempo investindo em sua rede.

Espera aí. Mas e se alguém roubar a minha ideia?

Essa é uma pergunta recorrente em se tratando de networking. Esse tipo de pensamento é, na verdade, um dos maiores entraves à inovação.

Conversar com alguém sobre as suas ideias é uma forma de demonstrar confiança e, assim, receber feedbacks úteis e abrir a sua mente para um projeto iniciante.

Da mesma forma, ao demonstrar essa confiança, seus interlocutores passarão a se preocupar com a sua ideia e, consequentemente, com você.

Na maior parte dos casos, as ideias não são roubadas. Inclusive, ideias sem ação não são praticamente nada.

#2 — Mentoria e “friend-tors”

Ter alguém para quem pedir conselhos é um dos portos seguros de um empreendedor. Quando você é um iniciante em qualquer coisa, tal qual uma profissão, é absolutamente normal ter um monte de dúvidas.

E a primeira vontade que os iniciantes têm é de fazer perguntas, descobrir como dar os primeiros passos.

É aí que as pessoas procuram mentores, especialistas em assuntos que podem ajudar muito a acelerar o crescimento da carreira.

E, quando os mentores se tornam amigos dos mentorados, esse processo se acelera ainda mais. A amizade eleva os níveis de confiança e melhora os canais comunicativos.

Além de tudo, mesmo os mentores experientes um dia precisaram de ajuda, e essa é uma excelente forma de retribuir e, ao mesmo tempo, investir em networking.

#3 — Curiosidade

Essa parte tem muito a ver com fazer perguntas. Dúvidas na carreira, temos aos montes, não é verdade?

Contudo, não é apenas expor as dúvidas, mas aprender a ter dúvidas e encontrar meios de saná-las. Segundo essa lógica, você deve aprender a fazer perguntas do jeito certo.

Você só aprende fazendo as perguntas certas, não exatamente fazer um monte de perguntas.

Fazer perguntas inteligentes produz resultados incríveis no seu trabalho e na sua rede de contatos — e esse hábito precisa ser praticado.

#4 — Cultura de ajudar primeiro

Esse tipo de conduta, para Allen Taylor, é inspirado no modelo adotado pela aceleradora TechStars, do Vale do Silício. Em outras palavras, significa oferecer algo primeiro antes de pedir algo em troca.

Sempre que possível, ajude alguém. Quando é um pedido sincero, mesmo que você esteja ocupado, responda e ajude.

Assim, isso cria um círculo virtuoso, pois incentivar as pessoas a oferecer a mão sem necessariamente esperar algo em troca. Essa prática pode criar um ambiente maravilhoso e super criativo.

Imagina se todo mundo fosse assim? O mundo certamente seria um lugar diferente.

Da mesma forma, ser ajudado é uma forma nobre e admirável de nutrir expectativas e criar contatos relevantes. Ajudar primeiro é, digamos, contagiante.

#5 — Oportunidades

Serendipidade. Ou, como diz o ditado, “o acaso favorece a mente preparada”. Ter um mindset orientado para o aprendizado é uma maneira de construir a sua própria sorte.

A Endeavor é muito ligada ao Venture Capital, mas isso é válido para qualquer segmento profissional, inclusive os freelancers! Vale lembrar que ser freelancer, inerentemente significa ser empreendedor.

Em um ambiente acelerado como o de hoje, tendemos a desenvolver muitas relações com pessoas que não estão próximas. Parceiros, investidores, mentores etc. São pessoas que conhecemos, mas só nos relacionamos com eles em ocasiões específicas.

Por isso, essas relações precisam ser incentivadas. Se você deseja potencializar esse ambiente, é preciso fornecer oportunidades para que essas relações se intensifiquem — e mais oportunidades sejam criadas.

Quanto mais informações e confiança um investidor tiver em um negócio, por exemplo, mais projetos e ideias podem surgir dali, e mais propenso a investir ele estará.

#6 — Estartando a si mesmo

Escalar uma carreira de alto crescimento é complicado, pois é necessário criar um estado de conforto, mesmo quando você está no meio do caos e tem centenas de coisas dando errado ao mesmo tempo.

Pense em si como uma startup, alguém que tem que coletar experiências, habilidades e pessoas para alcançar um crescimento meteórico!

É preciso aprender a representar vários papeis, a designar tarefas para si mesmo e não desistir.

Portanto, pense na sua própria carreira e também nas carreiras das pessoas que estão próximas de você!

Ajudar alguém em um ponto crucial pode render grandes retornos, mesmo que indiretos, além de criar um ambiente amigável e confortável — o que é essencial quando estamos em um cenário de alta competitividade.

Provavelmente uma das mais importantes formas de crescer é cultivar um networking saudável.

E você? Já pratica o networking saudável, oferecendo ajuda antes de pedir algo em troca e se importanto verdadeiramente com as pessoas? Então, baixe o nosso e-book sobre Networking para Freelancers e comece já!