Por Luiza Drubscky

Gerente de Marketing na Rock Content.

Publicado em 22/02/2016. | Atualizado em 16/06/2017


Nem gifs animados, nem fotos de gatinhos e nem os vídeos do Porta dos Fundos. Ao contrário do que muita pensa, a coisa mais importante para mantermos o bom funcionamento da internet são os links, essas pequenas ligações que nos levam de um lugar para o outro na rede e fazem da web um lugar […]

Nem gifs animados, nem fotos de gatinhos e nem os vídeos do Porta dos Fundos. Ao contrário do que muita pensa, a coisa mais importante para mantermos o bom funcionamento da internet são os links, essas pequenas ligações que nos levam de um lugar para o outro na rede e fazem da web um lugar tão interativo.

Sim, isso mesmo! Capazes não apenas de ligar um assunto ao outro, mas também de medir a relevância de uma determinada página, os links sempre estiveram presentes na história dessa tal rede mundial de computadores e até hoje são usados como indicadores de popularidade para um determinado conteúdo on-line.

No entanto, como muita gente que está afim de aprender a escrever para web talvez ainda não saiba qual é a relação que existe entre a criação de links (ou link building) e o sucesso de um site, resolvemos fazer esse post onde iremos explicar melhor como o bom uso dessa ferramenta pode fazer a diferença nos números do seu site.

Gostou da ideia? Então vamos lá!

Entendendo o que é Link Building

Antes de mais nada, para que você possa saber ao certo o que é link building, é bom voltar um pouquinho no tempo para entender porque diabos os links são tão importantes assim para o ranqueamento de uma página dentro da web. Mas não se preocupe, não iremos voltar muita coisa não, apenas uns 30 anos no passado.

Exatamente! Há algumas décadas atrás, quando não existia Google nem Yahoo e a internet era coisa do submundo nerd, também não existia essa história de ranquear um site dentro da rede, ou de tentar fazer com que um conteúdo aparecesse na frente de outro. E isso não existia simplesmente porque não havia uma ferramenta que buscasse todo o material presente na web. Simples assim.

Porém, com a popularização das interwebs e com a chegada dos mecanismos de busca, a coisa mudou um pouco de figura e foi necessário pensar em um sistema que encontrasse o máximo de páginas on-line e classificasse cada uma delas de acordo com a sua relevância no meio. E para medir essa relevância do conteúdo foi pensando num método que hoje nós conhecemos como pagerank.

Tá, mas o que é Pagerank?

Desenvolvido em 1995, o pagerank é uma avaliação de relevância (de 0 a 10) que mede a quantidade, a qualidade e o contexto dos links para um determinado endereço da rede. Avaliação essa que, algum tempo depois, foi usada como base para o algoritmo de buscas do Google e está presente nele até hoje. Mas como funciona essa avaliação?

Bem simples: primeiro ela vê a quantidade de links que apontam para uma determinada página. E aí vale tanto os links internos do seu site quanto o das redes sociais e até dos blogs dos seus amigos. Depois ela mede a qualidade desses links, observando se dentre eles tem algum que veio de algum nome com relevância dentro da web. E por fim ela avalia se o contexto daquele link está correto — afinal, nem todo mundo que gosta de jogar dominó gosta da banda dominó… ou pelo menos acreditamos nisso. Com esses 3 pontos avaliados, o sistema tira uma média dos resultados e voilà: temos a nota do pagerank.

E agora que você já sabe como funciona e qual é a importância desse pagerank para os resultados do Google, finalmente podemos responder o que é link building e onde ele entra nessa história toda.

De volta ao link building

De forma bem direta, o link building é a criação de links voltados para melhorar o pagerank de um site ou até de uma determinada página na web. Todavia, como sabemos que a análise do pagerank envolve não apenas a quantidade, mas também a qualidade e contexto dos links, não basta apenas jogar um monte de referências em uma página e esperar que isso funcione.

Não mesmo! Para que essas referências tragam resultados, devemos saber como e onde colocá-las, tanto dentro quanto fora do seu site. E como estamos aqui para isso, iremos mostrar para você como usar corretamente esses links nos seus textos para a web. Confira!

Como usar os links internos

Primeiro vamos falar sobre a parte mais fácil do trabalho de link building que é a geração de links para o conteúdo interno de um blog ou de um site.

Como você pôde ver, ter referências internas em seus conteúdos é de extrema importância para o bom ranqueamento de uma página dentro do Google. No entanto, muita gente se esquece de fazer essas auto referências em seus textos, jogando os seus leitores mais para artigos de fora daquele endereço do que para os de dentro dele. Algo que pode ser facilmente resolvido com algumas dessas dicas que iremos passar por aqui.

Saiba sobre o que você já escreveu antes

Como já falamos em outro artigo aqui do blog, é muito importante estudar para produzir conteúdo para blog de qualidade. E esse estudo também diz respeito ao conteúdo já produzido para o blog do seu cliente ou para o seu blog pessoal.

Por isso, antes de começar a escrever algum post, veja se existe algum material do seu próprio endereço que possa ser inserido por ali e que seja relevante para aquele assunto.

Dividir e conquistar!

Uma outra forma bastante eficaz de se produzir bons links internos para o seu site é criando materiais que podem ser divididos em partes (como séries sobre autores, onde você pode falar de um por semana, linkando sempre o conteúdo atual aos anteriores).

Nós aqui do blog da Comunidade Rock Content já até fizemos isso com a série “Como escrever ‘O Texto Perfeito” parte I, II e III.

Amplie o seu conteúdo

Se você escreve para algum endereço que também produza podcasts, videocasts e outros tipos de conteúdos para a web, pode ser uma boa ideia linkar os seus posts com essas outras mídias — principalmente se houver alguma maneira de produzir tudo sobre um mesmo assunto.

Dessa forma, além de criar um ótimo sistema de link building, você ainda amplia a experiência do visitante com aquele conteúdo gerando uma experiência ainda mais rica para ele.

Viu como não é nenhum bicho de sete cabeças criar boas referências para as suas próprias páginas? Pois então agora é a hora de falar da etapa mais complicada do link building. A hora em que buscamos cravar os nossos links nos sites dos outros.

Vejamos como fazer isso.

Como usar os links externos

Como explicamos lá atrás, tanto a quantidade quanto a relevância dos links externos são partes muito importantes para o ranqueamento da nossa página pelo Google. No entanto, sabemos que isso não é uma tarefa tão fácil assim de ser executada.

Bem, não é fácil mas também não é impossível, já que assim como existem as dicas para produzir links internos para o seu conteúdo, também existem outras para tentar descolar aquele link maroto em outro lugar da web. Olhe só:

Velocidade

Nada melhor para tentar bombar um artigo do que ir na onda de alguma polêmica ou de algum hype atual. E, pode ter certeza, isso sempre funciona.

Fazer um artigo sobre a apresentação da Beyoncé no Super Bowl logo na segunda após a competição? Funciona. Responder artigos polêmicos do Medium com outro artigo no Medium? Funciona também! Mas tudo isso depende de uma coisa: velocidade. É preciso pegar o timming do assunto para que o material tenha relevância.

Representatividade

Outro assunto muito importante que já abordarmos por aqui no blog foi a necessidade de se pensar nas personas corretas na hora de escrever o seu conteúdo. E pensar corretamente nesse aspecto pode te ajudar (e muito) a aumentar as chances de colocar o seu conteúdo no site dos outros.

Por exemplo: quem escreve um texto defendendo os taxis frente ao Uber hoje em dia, tem boas chances de ver seu conteúdo sendo publicado em sites voltados para aquele público da bandeirada 2. E o mesmo vale para o outro time! Basta criar um material que converse de verdade com um determinado público que busca ser representado de alguma forma naquele momento.

Conteúdo atemporal

Assim como os posts com assuntos mais hypados têm a sua chance de serem compartilhados, existem outros que sempre podem ser encontrados e linkados por aí. São aqueles conteúdos atemporais, que podem ser lidos e relidos em qualquer época e continuam sendo relevantes. Principalmente se você atualizá-lo periodicamente — o que também ajuda um texto a ser bem ranqueado no Google hoje em dia.

Quer ver um exemplo? Posts com conteúdo histórico. Apesar de não ser um tipo de pesquisa com muita busca na web, sempre existe alguém procurando material a respeito de uma determinada fase da história. Daí, se você criar um bom conteúdo sobre isso, é fácil ser encontrado ao longo do tempo.

Interessante, não é mesmo?

Agora, nada te impede de também fazer a boa e velha política da boa vizinhança e procurar manter contato com outros produtores de conteúdo atrás de alguém que possa trocar links com você.

Pois então, agora que você já sabe o que é link building e qual é a sua importância para a criação de um bom conteúdo para web, não se esqueça de sempre ficar de olho nos links internos dos seus posts e também em novas maneiras de colocar referências do seu site em outros endereços da rede. Afinal de contas, como você descobriu por aqui, escrever para a web não envolve só escrever: é também pensar na relevância daquilo que você está dizendo para o mundo.

Curtiu o artigo? Então conta pra gente o que achou do texto e aproveite para também tirar alguma dúvida sobre o tema.

abc-do-copywriting-banner

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *