Por Beatriz Fontenelle

Redatora na Rock Content.

Publicado em 06/03/2018. | Atualizado em 06/06/2018


Conteúdos web podem ser textos formais ou informais, mas você deve saber como equilibrar a linguagem da sua escrita para a sua persona. Aprenda como fazer isso no artigo de hoje!

Desde que eu comecei a trabalhar no time de Produção de Conteúdo da Rock, noto que grande parte dos nossos redatores têm uma dificuldade em comum. O cara pode fazer tudo direitinho, escrever um conteúdo impecável, sem um errinho de ortografia, mas adequar o texto à linguagem exigida no pitch é onde o bicho pega pra eles.

Escrever um texto com uma linguagem mais formal costuma ser muito mais fácil para os redatores. Não tem muito mistério sobre o motivo: no geral, quando sentamos para escrever alguma coisa que não seja um post no Twitter ou mensagens no WhatsApp, é esse o tipo de linguagem que usamos normalmente.

Depois de ler vários textos muito mais formais do que deveriam e ter que adaptá-los sem reescrevê-los, acabei descobrindo algumas técnicas e características da linguagem informal para textos da web que passam despercebidas para nós. Confira as minhas dicas!

Fuja das palavras rebuscadas

Evite aquelas palavras que não são muito usadas no dia a dia das pessoas — as famosas “palavras difíceis”. Por exemplo: pra que usar “imprescindível” se você poderia usar um “muito importante” no lugar?

Se, ao reler o texto, você encontrar esses termos mais rebuscados, procure uma forma correspondente mais simples.

De olho nas formas verbais

Na hora de escrever, parece que alguma coisa dentro da nossa cabeça faz com que a gente esqueça as formas verbais mais simples, como “ter”, “fazer” e “usar”. Já reparou que é quase automático fazer a substituição por “possuir”, “realizar” e “utilizar”, por exemplo?

É claro que usar essas formas não é errado, mas, quando se trata de linguagem informal, quanto mais simples for o texto, mais fluida fica a leitura.

Use expressões de interação

Interagir com o leitor é sempre uma ótima forma de dar um tom mais próximo ao discurso. Então, quando a linguagem do texto for informal, vale usar saudações no início ou fim do texto, dar exemplos práticos e fazer perguntas retóricas ao longo do artigo. Experimente e você vai ver que faz uma diferença e tanto!

Adote um tom mais pessoal

Outra forma de aproximar o leitor e dar um tom mais leve é usar táticas para deixar o texto mais pessoal. Você pode fazer isso usando a 1ª pessoa do plural (ou do singular, quando o pitch pedir isso) e também se referindo diretamente a quem lê o texto usando o pronome “você”.

Dê toques de humor

A parte mais divertida de escrever um texto em linguagem informal é que você tem mais liberdade para brincar com as palavras e o conteúdo não precisa ser quadrado. Os toques de humor costumam ser bem-vindos nesse tipo de texto, além das expressões de senso popular — essas que “todo mundo” sabe o que significa.

Mas tenha cuidado e segure a onda nas piadas: não se esqueça de que a intenção do seu texto e transmitir um conteúdo. A dica aqui é usar o humor com uma boa dose de bom senso.

Brinque com os intertítulos

Outra maneira legal de deixar seu texto mais leve e informal e brincar com os intertítulos. Fuja do óbvio e tente bolar uma coisa mais chamativa e diferente. Outro dia, revisando um texto sobre crioterapia (uma técnica em que os atletas ficam “de molho” em uma banheira cheia de gelo para evitar lesões), um dos intertítulos era “Entrando numa fria!”. Uma escolha bem criativa, você não acha?

Saiba o que não pode

Não é por que a linguagem é informal que o texto vai virar a casa da mãe Joana! Adotar essa linguagem é diferente de escrever como se você estivesse falando, e as regras tradicionais de ortografia e gramática ainda estão valendo.

Tome cuidado também com as gírias e os regionalismos: o seu texto estará na internet, disponível para leitores de todas as partes do mundo, que poderão não entender bem algumas palavras que você usar.

E aproveite que você está aqui e aprenda tudo sobre os Segredos do Português assistindo ao webinar com a Lívia Chaves. É só preencher o form antes de prosseguir com a leitura 🙂


Adeque-se à persona

Outro fator de extrema importância descrito na pauta é a persona. Alguns redatores acreditam que todos os textos, por estarem expostos na web, precisam necessariamente de obedecer aos padrões de língua portuguesa utilizados nas redações da escola. E isso não é verdade.

A persona deste texto, por exemplo, é um freelancer. Não se sinta mal, mas eu sei que você preza pela sua liberdade e gosta de fazer sua própria rotina. Também posso usar alguns termos despojados, sem trollagem, né migos? Se eu errei, peço desculpas. Falha minha. Ou melhor, fail.

E é claro que posso citar a última temporada de Narcos, os vídeos do Porta dos Fundos ou aquela página do Chapolin no Instagram. E, apenas para deixar bem claro: não, não estamos rastreando os seus dados. Você apenas se encaixa no que chamamos de “pessoa ideal” para compor nossa base de freelas.

Outro exemplo: certa vez eu precisei revisar alguns textos para um cliente que era especialista em skates e moda streetwear. A persona era um jovem de 18 anos, ou seja, permitia a utilização de termos adaptados e gírias.

Maneiríssimo, né? Muitas vezes um papo irado é tudo que falta para fechar um negócio. Esse não é um desafio tão cabrero. Então pratique um pouco do seu freestyle e evite o capote!

Aproveite os recursos de linguagem

Os recursos de linguagem, às vezes chamados de figuras de linguagem, são grandes aliados na hora de redigir um texto informal. Eles podem ser utilizados tanto para descontrair quanto para evitar a repetição de palavras.

As metáforas, por exemplo, fazem sorrir o coração do leitor. A metonímia faz um redator sentir o cheirinho de notas altas na plataforma. Já a catacrese é o cérebro do texto. Antíteses fazem o usuário sonhar acordado.

Repare que, no parágrafo anterior, cada uma das frases faz referência à figura de linguagem referenciada na oração.

Mas há mais. O eufemismo é utilizado para tornar mais leves expressões que poderiam ter uma conotação desagradável. Assim ó: João Pedro “entregou a alma para Deus” ou “passou dessa para melhor”. Ana clara “subtraiu” os bens de seu colega. Ou Antônio exercia a função de “garoto de programa”. Não preciso citar as palavras reais para que você entenda o sentido, não é mesmo?

Já a hipérbole tem o efeito contrário, e aqui o objetivo é exagerar. Eu sei que você está “morrendo” de vontade de utilizar os ensinamentos nos seus textos agora mesmo.

Ironias, quando bem utilizadas, também têm um efeito fascinante. Todos nós sabemos que um bom político é aquele que faz tudo por dinheiro, vide as ações recentes de alguns representantes do Congresso.

No caso da apóstrofe, invoca-se outra pessoa para completar o sentido da frase: “Virgem Maria, o que você está fazendo acordado até essa hora?”. Você, como freela, já deve ter ouvido isso uma centena de vezes. Acertei?

Paradoxos também são bem úteis. É um ótimo meio para revelar a sua sábia ignorância ao mundo.

Até mesmo elementos que muitas vezes são considerados erros podem ser úteis para manter a linguagem agradável. Um redator e um revisor, por exemplo, formam uma ótima dupla de dois, não é mesmo? E aí está uma boa utilização para o pleonasmo.

Cite exemplos práticos

Ao longo da leitura deste texto, você observou alguns exemplos práticos. Eles são ótimos para contar histórias e prender a atenção do leitor.

Certa vez, enquanto eu redigia um texto para os freelancers da Rock Content sobre como criar textos informais, me deparei com um texto muito interessante no blog da Comunidade. “Uou”, pensei eu. Isso era tudo que eu precisava para melhorar a minha escrita.

O exemplo anterior, aliás, é verídico. O texto em questão era o “Como escrever bem”. Se tiver um tempinho, dê uma passada por lá também, belê?

Pratique a empatia

Se você chegou até aqui, provavelmente tem dificuldades para escrever textos informais. Não, eu não sou a Mãe Diná. Mas se você viu este texto em algum post no Facebook, recebeu no seu e-mail ou o encontrou pelo Google, é fácil saber o motivo pelo qual clicou no link.

Se você quer aprender a relaxar um pouco enquanto escreve, uma ótima dica é gerar empatia com a sua persona. Mostre a ela que você entende seus problemas. Crie uma conexão psíquica com o seu leitor.

Aposto que você tem um job para amanhã, não é? E o quanto você odeia quando acaba a luz bem no meio da redação?

Viu só? O que estou fazendo aqui é me colocando no seu lugar. Essa é uma das técnicas mais interessantes para que o usuário prossiga com sua jornada.

Sendo assim, podemos dizer que todo leitor é um Frodo Bolseiro rumo a Mordor. Exceto pelo fato de que aqui não haverá nenhum mago gritando “Você não deve passar”. Prossiga a leitura sem problemas. Você tem meu machado.

Entenda o contexto e use referências

Na frase anterior, você viu que utilizei uma referência da cultura pop. Todo mundo já assistiu a “O Senhor dos Anéis”. Se não for o caso, corra, pois você está perdendo um grande filme!

Utilizar essas citações, aliás, é um ótimo meio para aprender como escrever um texto informal. Não, Luke, eu não sou seu pai e não estou dando uma lição de moral. Nem mesmo sou a mãe dos dragões, embora me sinta extremamente empolgado ao gritar “Dracarys” sempre que vou ligar o fogão.

Mas lembre-se: adeque o seu texto à persona. Certa vez um cliente que vendia cardgames me pediu para revisar alguns textos. Eu, como grande fã de Pokémon, amei a proposta.

A persona tinha oito anos. Então, é claro, fiz questão de incluir alguns “choque do trovão”, “pokebola, vai!” e alusões ao Ash Ketchum, protagonista da série. O resultado foi positivo, muito embora eu tenha ficado na 87ª posição no torneio que participei.

Outro exemplo: um cliente tinha como persona homens que eram fãs de futebol. Obviamente, são permitidos alguns termos diferentes nesse caso. Referências a títulos, casos específicos, jogadores famosos… Tudo isso foi utilizado para incrementar os textos. Me senti o próprio Cristiano Ronaldo dos textos com os elogios do cliente (calma, Neymar, sua hora vai chegar).

Viu como escrever um texto em linguagem informal pode ser bem mais fácil do que você imagina? A minha dica para quem tem dificuldade é: escreva todo o texto e, na hora da revisão, confira todos esses pontos e vá fazendo as modificações. E, se mesmo assim você precisar de um exemplo, é só ler o meu texto novamente — ou você não reparou que ele foi escrito em um tom bem informal?

E aí, curtiu as minhas dicas? Então agora veja também o nosso Guia do Texto Perfeito. Depois de aprender como escrever um texto informal, certamente você gostará de mandar bem na escrita de qualquer conteúdo!

Guia do texto perfeito

Posts populares com esse assunto