Por Katiuscia Couto

Jornalista que troca séries por livros. Apaixonada pelo universo da escrita.

Publicado em 10/10/2019. | Atualizado em 13/09/2019


Que tal realizar seu sonho e dar sequência no seu projeto de escrever um livro? Confira o passo a passo que preparamos para você se tornar um escritor!

A ideia de escrever um livro já passou pela sua cabeça? Ela vem e vai, mas nunca se concretizou? Ou você já escreveu, mas abandonou o projeto por achar essa ideia uma infantilidade?

Calma, você não está sozinho. Até mesmo os grandes escritores já passaram por esse processo. Ainda bem que existem hoje diversas técnicas para facilitar o desenvolvimento da escrita e, assim, sentir-se menos perdido em meio às páginas em branco.

Quer, finalmente, realizar esse sonho por aprender como escrever um livro? Então junte seus rascunhos e continue a leitura!

1. Livre-se das crenças de autossabotagem

“Para vivermos uma vida criativa precisamos perder o medo de estarmos errados.” — Joseph Chilton Pearce

O primeiro passo a dar na escrita de uma obra é ser livre — livre de todas as crenças, medos e inseguranças. Livre-se da síndrome do impostor.

Nós, seres humanos, temos uma estranha mania de nos comparar. Ou de criar coisas na mente que nos impedem de chegarmos aos nossos sonhos, como: “eu nunca vou ser um Stephen King”, “vão me chamar de ridículo por escrever romances”, “ninguém vai ler” e coisas assim.

Mas a verdade é que não temos essa certeza, é só uma forma de mascarar os nossos desejos. Não temos a real noção da nossa capacidade, por mais que os amigos e familiares falem o contrário.

Portanto, sugiro que preencha uma grande lista com tudo o que vem à mente e está lhe impedindo de dar o próximo passo. Depois, troque essas afirmações negativas por coisas positivas sobre a sua escrita, treinando o cérebro para o que realmente merece foco.

2. Brainstorming

Dentro do processo criativo, o ponto inicial deve ser o brainstorming, aquele momento em que você não tem critérios, escreve sem julgamentos e coloca em um papel tudo que vem à cabeça.

Faça disso parte do planejamento da escrita do seu livro. Essas ideias podem incluir temas, personagens, cenas e estilo de escrita, por exemplo.

Deixe qualquer pré-conceito de lado e aproveite a criatividade do momento, mesmo que as coisas mudem depois.

Com o objetivo de ajudar na elaboração dos principais conceitos, responda questões como:

  • Para quem vai escrever?
  • Por que criar essa história?
  • O que ela tem de diferente das demais?

Além de já definir o público, você pode construir a narrativa a partir dessas respostas.

3. Defina o gênero literário

O próximo passo agora é definir qual tema será abordado. Pode ser aquele com o qual você se identifique mais, pois, para se desenvolver na escrita, é preciso dominar o tema. Caso contrário, o projeto será muito desgastante.

Além disso, você vai precisar ler bastante sobre esse gênero escolhido, a fim de criar sua própria linguagem, coletar informações relevantes e agregar na sua pesquisa. Ou seja, mais um motivo de escolher um tema gostoso de consumir.

Caso você já saiba o gênero literário em que vai se aprofundar, pense em um conceito geral sobre o livro. Faça também uma possível sinopse, assim fica mais fácil ter um norte para se basear na hora de desenvolver.

Para isso, é possível optar pelo texto corrido ou blocos de anotação, na mesma ideia que usou do brainstorming, se desejar. Ou você pode apostar em aplicativos que auxiliam com mapas mentais, por exemplo, tornando visualmente mais fácil de unir os conceitos.

Saiba que mesmo esses dois passos simples já fazem parte do processo de escrita do seu livro. Então capriche no que vai colocar, mesmo que haja mudanças depois — o que provavelmente vai acontecer.

4. Estude sobre escrita

Estudar sobre escrita aqui vale para regras tanto de ortografia e gramática quanto de linguagem literária.

Lembre-se dos diferentes formatos em que você pode escrever, depois disso, pesquise sobre como são os comportamentos dos leitores em cada um dos gêneros e estude em cima do que decidir falar.

Capítulos menores são aconselhados a quem tem interesse em escrever para Kindle ou Wattpad, por exemplo. Assim você dá a sensação ao leitor de que ele está lendo mais rápido.

Mais do que escrever o português corretamente, você precisa encantar os leitores com o que vai falar. Isso também faz parte dos estudos: a narrativa certa.

Torne a sua narrativa memorável usando as seguintes técnicas:

  • ensine enquanto escreve;
  • use metáforas e analogias;
  • faça o público pensar;
  • desperte a curiosidade.

Você também tem a opção de usar uma das técnicas de Peter Guber sobre construir uma história em três passos:

  • ganhe a atenção dos leitores com uma questão inesperada;
  • conte uma história de superação que levará à conquista;
  • estimule seus leitores com um chamado para uma ação.

5. Desenvolva a sua criatividade

A escritora Julia Cameron, em seu livro O Caminho do Artista, recomenda que, no processo criativo, o autor se dedique a desenvolver três páginas por dia. Isso é sobre qualquer coisa, não necessariamente a narrativa da sua obra, já que o objetivo é despertar o lado da criatividade que pode estar engessado.

Se você não sabe sobre o que escrever, comece narrando como foi o dia anterior ou como está o processo de planejamento do livro, por exemplo. O importante é relaxar e deixar a criatividade surgir depois de começar a trabalhar profissionalmente na escrita.

Outra maneira de desenvolver a criatividade é a partir da leitura. É imprescindível que todo bom autor seja bom leitor e um dos muitos benefícios dessa prática é justamente despertar a criatividade.

O escritor da saga Apocalipse, Eduardo Spohr, também recomenda que o autor jogue RPG durante o final de semana, com o objetivo de se manter criativo. Aproveite!

6. Pense na voz de escrita da obra

“Escreva o livro que você quer ler. Faça o trabalho que você quer ver pronto.” — Austin Kleon

Produtor de conteúdo está acostumado a falar a verdade, com autoridade e tom informativo. Como autor, você deve falar sobre o que quase ninguém percebe: o interior. Observar cenas e descrever com o objetivo de testar pode ser um bom começo.

Além disso, é preciso conhecer os diferentes tipos de gêneros literários. Então, faça do momento de leitura parte da pesquisa da sua obra.

Por falar em estudo, mesmo para um livro de ficção é preciso tornar a história o mais verdadeira possível.

Conheça autores que escrevem semelhante aos seus preferidos ou até totalmente diferente, até que consiga identificar o tom.

Use a sua experiência, que é única, foi vivida apenas por você, e crie a sua linguagem. Crie conexões da vida com a história facilita a narrativa.

Tenha isso como diferencial e escreva a partir do que você passou, com um toque de ficção, seja um romance, drama, suspense ou fantasia.

7. Elabore a construção dos personagens e do enredo

Para livros de ficção, é essencial dedicar tempo na construção de bons personagens e você precisa começar a criá-los antes de tudo, já que a história vai se desenrolar a partir deles.

Construa as características psicológicas antes das físicas, pois assim você pode ter insights sobre como criar a narrativa. Não é aconselhado elaborar muitos personagens, crie um ou dois marcantes, que serão lembrados durante todo o livro.

Neste ponto é aconselhável que o autor tenha domínio de storytelling com o objetivo de criar uma boa Jornada do Herói, deixando a história ainda mais interessante e com um bom enredo.

O autor Carmine Gallo, em um de seus livros, aponta o seguinte:

“As pessoas constroem uma relação com personagens de que gostam e cujos conflitos se identificam. Caso contrário, não ligam para a solução.”

Aposte nisso para o seu livro. Aposte também em metáforas, analogias e gatilhos mentais, e use-os com o objetivo de atrair o leitor.

8. Estabeleça uma rotina de escrita

“Você pode encarar o ato de escrever com nervosismo, animação, esperança ou até desespero — aquele sentimento de que nunca será possível pôr na página tudo o que está em seu coração e em sua mente. Você pode ficar com os punhos cerrados e os olhos apertados, pronto para quebrar tudo. Encare a escrita como quiser, menos levianamente.” — Stephen King

Parece muito conceitual sentar-se em uma cafeteria e escrever sem critérios, mas saiba que no começo de carreira pode ser que essa não seja a melhor opção para compreender como escrever um livro.

Esses espaços tendem a ser barulhentos e gerar distração, por isso, pelo menos no início, tenha um espaço silencioso a fim de escrever.

Estabeleça uma rotina de escrita, com um horário livre de, pelo menos, uma hora dedicada a isso, ou tenha metas por páginas, se preferir. Nisso o aplicativo Scrivener pode ajudar, uma vez que ele permite que você crie metas de escrita.

“Quando não escrevo todos os dias os personagens começam a apodrecer na minha cabeça.” — Stephen King

Teste os horários que melhor se encaixem ao seu perfil. Há pessoas que preferem acordar mais cedo para se dedicar a isso, outras no final do dia. Nesse ponto não há regras, o que melhor se ajustar ao seu estilo, abrace.

Alguns escritores recomendam que os rascunhos sejam escritos primeiro no papel, antes de passar para o computador, pois a praticidade em apagar algo escrito na tela pode ser um ponto sabotador.

Então compre um caderninho para suas ideias e use-o em diferentes momentos do seu dia. Assim você já vai treinando a escrita. Anote diálogos e descreva cenários que está vendo.

9. Evite a procrastinação

Uma das técnicas de Stephen King na escrita e que você pode adotar para entender como escrever um livro é, depois de começar a escrever, não parar ou diminuir o ritmo até que seja extremamente necessário. Caso contrário, a excitação de criar algo novo começa a perder força e se transforma em trabalho.

Saber identificar o que lhe faz procrastinar pode evitar que ela se propague. O misto de sentimentos enquanto escreve é natural. O medo, por exemplo, pode te paralisar, mas lembre-se do seu primeiro conteúdo web.

Você não desistiu, mas persistiu e está hoje expandindo a escrita e quase escrevendo um livro! Por isso, deixe a síndrome do impostor do lado de fora do quarto e permita que só a criatividade entre.

Se precisar, dê tempo ao tempo, mas não deixe que ele tome conta da sua vontade de escrever. Faça outras coisas que lhe dão prazer além da escrita. Vá a parques, converse com os amigos, se distraia. Depois volte e escreva tudo isso, quem sabe não vira uma cena nova?

Caso o seu motivo para procrastinar seja o bloqueio pela vergonha, saiba que ela sempre existirá, mas se escrever todos os dias, não vai nem ter tempo de se lembrar dela.

Aposte na tecnologia para ajudar nesse quesito. Use aplicativos como Pomodoro e Forest, ou até mesmo aqueles destinados aos autores, como Omm Writer, Zen Writer e Scrivener.

Essas ferramentas podem ajudar com respeito a elementos que nos distraem. Além disso, são próprios para escritores, ou seja, tornam a organização do livro mais fácil a partir das características próprias da rotina de um autor.

10. Faça uma boa revisão textual

Chegamos ao último tópico para você compreender como escrever um livro. Depois de ter passado longos dias solitários escrevendo, chegou o momento de revisar.

É possível contar com um profissional de revisão editorial, caso seu interesse seja realmente publicar, ou um revisor especialista para colocar o português em ordem, ou até mesmo você pode fazer isso.

Depois dessa etapa, convide alguns amigos a lerem o seu livro e darem um feedback. Só então faça uma revisão final, já com os ajustes devidos.

Leve os seguintes pontos em consideração na hora de revisar:

  • divida a leitura e a revisão por capítulos;
  • tenha o rascunho do enredo guardado. Além de lhe guiar durante a escrita, você poderá usá-lo na hora de editar, confirmando se foi seguido de maneira coerente;
  • exclua passagens longas demais e que não dão em nada;
  • leia em voz alta;
  • aposte nas ferramentas de edição.

É claro que durante a trajetória como escritor vão surgir dúvidas e você se sentirá solitário e inseguro. Mas é importante persistir, pois tudo é ajustável. Com o passar do tempo, você escreverá cada vez melhor.

Não bloqueie seu desejo a partir de pensamentos de como começar ou terminar um capítulo, por exemplo. Torne esses momentos os mais sedutores possíveis, para sempre sentir inspiração para escrever.

Agora que você já tem um guia completo de como escrever um livro, só tem uma coisa a fazer: Começar a escrever!

Mas se ainda está em dúvidas, baixe agora mesmo o ebook “O guia da escrita criativa”!

Guia da escrita criativaPowered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto