Passo a passo de como escrever um artigo com maestria!

Passo a passo de como escrever um artigo com maestria!

Escrever uma redação épica requer atenção a vários fatores ao mesmo tempo, o que pode confundir o redator. Aprenda agora quais passos seguir para criar um artigo magistral, priorizando a qualidade e a produtividade!
Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

Sabemos que escrever bons artigos para web não é uma tarefa simples. Afinal, há vários detalhes para os quais um redator deve se atentar, como o tipo de persona, o estágio do funil de vendas, a qualidade gramatical e ortográfica, a precisão do conteúdo, uma call-to-action adequada às necessidades do cliente, entre outros. Então, como escrever um artigo com maestria?

Para te ajudar a se organizar com tudo isso, montamos aqui um passo a passo detalhado que todo redator web deve seguir. Vamos lá?

1. Leia a pauta com atenção

Não há como começar a escrever sem saber algumas informações relevantes sobre a pauta do conteúdo a ser produzido: o tema do texto, o tipo de leitor pretendido, o tom da linguagem, entre outros. Tudo isso são traços fundamentais para a elaboração de um texto coerente com as necessidades do seu cliente.

Se preciso, copie e cole a descrição geral da sua pauta no mesmo editor que está usando para produzir seu conteúdo. Assim, você mantém a sua escrita mais focada nas instruções de redação do texto e não se esquece de seus detalhes e sugestões enquanto elabora o seu material (só não esqueça de apagar antes de entregar, hein?).

Lembre-se de que os conteúdos fazem parte de uma estratégia muito maior do cliente, e que você deve contribuir como copywriter para um objetivo final de captação de consumidores de produtos e serviços.

Por isso, jamais escreva um texto tendo como referência apenas o título: por mais que sua pauta (ou pitch) não esteja aparentemente relacionada ao objetivo comercial imediato do cliente, é importante saber onde seu texto se encaixa nessa história antes de começar a escrever.

2. Entenda quem é a sua persona

A quem se destina o seu artigo? Quem será seu provável leitor? As respostas para essas perguntas vão definir o tom da sua linguagem, o tipo de vocabulário utilizado ou até mesmo a forma de apresentação do conteúdo.

Ao somar todas as informações disponíveis sobre o público, uma prática muito útil do marketing de conteúdo é criar uma representação semifictícia do seu leitor.

É como se fosse um personagem que tivesse uma média de todas as características observadas em seu público. A essa representação, damos o nome de persona.

Uma empresa pode ter mais de uma persona. Logo, ainda que você já conheça um determinado cliente, preste atenção à persona descrita na pauta para escrever os textos adequadamente

3. Conheça melhor o cliente

Por falar em conhecer o cliente, o que você sabe sobre o produto ou serviço que seus clientes oferecem? Você consegue imaginar a importância do seu texto para a estratégia de vendas dele?

É fundamental visitar o site institucional da empresa, perfis das redes sociais ou até mesmo o seu blog, para perceber características que devem estar presentes em seu texto.

Essa é uma tática que pode te economizar muito tempo de revisão e de pesquisa. Além disso, você poderá encontrar diversos posts importantes para seu texto, seja para incluí-los como hiperlink, seja para tê-los como referência!

4. Atente-se para as palavras-chave

Normalmente, as palavras-chave de uma pauta devem ser estrategicamente posicionadas no texto. Afinal, elas foram cuidadosamente pesquisadas para garantir as melhores chances de ranqueamento do conteúdo nos sites de busca, além de direcionar sua escrita para que ela se aproxime dos objetivos finais do cliente.

Por isso, não negligencie essa parte! Na plataforma da Rock Content, por exemplo, as palavras-chave são tão importantes que o próprio sistema impede a entrega de uma tarefa sem a inclusão dos termos solicitados no corpo do texto.

Sendo assim, ao escrever seu artigo, você deve planejar como encaixar essas palavras ao longo do texto de forma natural, sem deixar que sua presença apareça de forma descontextualizada e forçada.

5. Pesquise a partir das sugestões da pauta

Normalmente, a pauta do seu texto contém referências preliminares de pesquisa. Essas são fontes valiosas: além de serem confiáveis, elas dizem muito sobre o que o cliente (e o leitor) espera de seu texto, quais conceitos devem ser usados como referência, entre outras informações relevantes para a produção. Por isso, o ideal é iniciar sua pesquisa a partir dessas páginas.

Mas atenção: seu texto deve ser 100% original! Para evitar conteúdos duplicados, a plataforma da Rock Content conta com um eficiente identificador de plágios, que alerta redatores e moderadores sobre a cópia de qualquer trecho existente na web.

6. Complemente sua pesquisa

Os links de referência servem como um bom início, mas não se restrinja a eles. Você pode até fazer isso e ter seu texto aprovado, mas com certeza não será um artigo suficientemente original e surpreendente para o cliente.

A prática de overdelivering (entregar mais do que aquilo que lhe pediram, em inglês) é uma ótima maneira de melhorar sua reputação como redator, ganhar mais respeito de seus colegas de trabalho e continuar recebendo pautas interessantes e desafiadoras!

Mas como complementar sua pesquisa? Bom, isso vai depender do tipo de conteúdo sobre o qual você precisa escrever. É possível fazer pesquisas direcionadas em sites de busca, Google Scholar, SSRN, sites institucionais, com amigos e até mesmo em fóruns de debate online.

O importante é que a sua pesquisa seja fundamentada em fontes ricas e confiáveis, que possuam autoridade para falar sobre aquilo e, claro, sejam relevantes para o conteúdo a ser escrito.

7. Elabore o esqueleto do seu artigo

Pesquisou tudo que você precisava saber sobre o tema? Já decidiu quais informações precisam constar no seu texto? Então chegou a hora de fazer o esqueleto do seu artigo!

Uma dica que funciona para muitos redatores é estabelecer o começo, o meio e o fim do artigo. Basicamente, você escreve a introdução, na qual apresenta o tema-problema, inclui as seções, trechos e intertítulos do seu texto; por fim, inclui o CTA de acordo com os direcionamentos da pauta.

Note que, nessa etapa, ainda não é necessário elaborar fielmente cada um desses trechos, nem mesmo redigir nessa ordem. Se as ideias ou a criatividade estiverem em falta, comece pela parte mais importante do texto de forma resumida, para depois planejar a sua introdução e conclusão.

Não se preocupe com os detalhes agora, você poderá desenvolver melhor sua abordagem depois. Basta rascunhar o caminho que você pretende percorrer durante a escrita para guiar sua produção e pronto: você já tem o esqueleto do seu texto!

8. Utilize intertítulos a seu favor

Os intertítulos em seu texto não são apenas uma maneira de facilitar a leitura, mas também de direcionar a sua escrita. Quando alguém busca uma informação em um texto, esta pessoa provavelmente consultará os intertítulos do texto para localizá-la.

Esse recurso deve entrar em cena na hora de selecionar diferentes partes do texto, introduzir um novo tópico ou destacar algum determinado assunto dentro de seu artigo. Se possível, tente usar a sua palavra-chave ao escrevê-lo. Essa é uma excelente tática de SEO.

Aproveite o uso dos intertítulos para planejar seu texto, verificar qual a melhor ordem de cada fato, argumento, ou informação, além de planejar a extensão do artigo para que suas seções fiquem relativamente uniformes.

9. Dê uma ordem natural para o texto

Saber como escrever um artigo também significa saber se organizar. E por falar em ordem de informações, o arranjo de intertítulos também vai influenciar a ordem dos conteúdos do seu texto.

É muito importante que um artigo siga uma ordem natural e lógica de argumentação, que leve o leitor desde a introdução (explicação do tema-problema) até a conclusão (com o CTA). Por isso, aproveite o estágio de planejamento da estrutura e intertítulos do texto para se atentar à organização!

Geralmente, as informações e argumentos de um texto seguem uma ordem do mais geral para o mais específico, ou começam por aquilo que vem cronologicamente primeiro.

Uma dica para elaborar um material atrativo é começar com um gancho direto na introdução: inicie o texto com questionamentos ou promessas sobre o assunto de interesse da sua persona. O importante aqui é prender a atenção do leitor, para que ele não tenha vontade de abandonar a leitura.

Um exemplo simples: se você está ensinando a sua persona como cuidar de seu jardim, pode abordar o leitor com perguntas do tipo “Você gostaria de saber como preparar e adubar a terra, combater pragas e cuidar de plantas com a maestria de um jardineiro profissional?”. Como autor, você sabe que a resposta do leitor será “sim!”, certo?

Em seguida, é uma boa ideia apresentar a solução aos poucos em forma de dicas, passos, informações técnicas ou regras. Você já deve saber que dividir toda essa informação em tópicos é fundamental para uma boa interpretação e escaneabilidade.

Por fim, é preciso fechar o assunto de forma didática e simples. Para isso, é possível recapitular o que foi ensinado no texto, relembrar a sua ideia principal, criar novas expectativas ou enfatizar os benefícios de seu conteúdo. Finalize seu trabalho com o uso da CTA.

Seguindo algumas dessas diretrizes, fica mais fácil cadenciar as informações do texto de forma mais natural e amigável para o leitor.

10. Escreva de forma clara, objetiva e coerente

Quando estiver escrevendo, tenha como mantra essas 3 palavras: clareza, objetividade e coerência.

A clareza está intimamente relacionada a uma boa gramática, pois diz respeito à estruturação de frases de maneira simples para facilitar a transmissão de ideias para o leitor. Se seu texto tem estruturas muito elaboradas e longas, isso pode acabar prejudicando a clareza das ideias.

O mesmo serve para a objetividade. Frases curtas costumam ser mais eficientes para transmitir uma ideia do que frases muito longas. Por isso, evite redigir blocos de texto em forma de parágrafos com 5 linhas ou mais.

O ideal mesmo é não apresentar mais de uma ideia por parágrafo, pois essa estratégia permite que você classifique seus pensamentos ou informações apresentadas de forma simples, além de ajudar o leitor a ter uma compreensão mais fácil daquele assunto.

Também não é recomendado fazer uso de ambiguidades, informações redundantes, ideias inconclusivas ou inserir diversas orações subordinadas em uma mesma frase, já que isso pode confundir seus leitores.

Na web, a leitura é mais objetiva e dinâmica. Qualquer sinal de enrolação é motivo para o leitor te perder em um clique.

Quanto à coerência, você deve se lembrar de que um texto precisa ser lógico e ordenado. Isso também vale para a elaboração de conteúdos que não se contradizem. Ainda que seu texto explique diferentes pontos de vista sobre um mesmo tema, por exemplo, você deve chegar a uma conclusão coerente a respeito dele.

Acredite, é possível escrever artigos excelentes tendo em mente apenas essas três palavras!

11. Atenção à call to action (CTA)

A call to action faz parte da estratégia de elaboração da pauta do seu texto. Não negligencie a necessidade de incluí-la na sua conclusão.

Em geral, aquela CTA já foi aprovada pelo cliente e tem como objetivo engajar leitores, trazer mais cliques para outro artigo de referência ou até mesmo aumentar o número de seguidores do cliente nas redes sociais.

O importante nesse momento é voltar às instruções da pauta a respeito do CTA e verificar se você cumpriu aquilo que foi pedido. Isso evitará a necessidade de revisões e refações futuras, o que beneficia a sua reputação como redator.

Na plataforma da Rock, essa informação estará presente junto à descrição geral da tarefa. Fique atento, pois cada texto exige um tipo de CTA específico.

12. Busque equilíbrio entre as partes do texto

Terminou seu texto? É hora de dar aquela conferida geral no documento. Além de verificar se você tem o número mínimo de palavras exigidas, que tal equilibrar as diferentes partes do artigo? Imagine, por exemplo, um texto cujo título é “10 dicas sobre como estudar melhor”.

Ao longo da redação, não é visualmente interessante que uma dessas dicas ocupe mais da metade do artigo, sendo que as outras são complementadas apenas por uma ou duas frases, certo?

Sendo assim, procure ter maior simetria na escrita, seja para enxugar o que já foi escrito, seja para elaborar partes que ficaram excessivamente concisas.

Veja uma lista de conteúdos que irão ajudar você a estruturar seus textos! ✍️
Título de texto: aprenda a causar a melhor primeira impressão
Como fazer uma introdução perfeita: o guia definitivo
Como fazer uma conclusão perfeita!
Textos Argumentativos: veja como trabalhar seus argumentos da melhor maneira
O que é resenha e qual é a diferença para o resumo?
Como fazer uma resenha: o passo a passo definitivo para uma resenha perfeita
Descubra como fazer um resumo de qualidade em 7 passos

13. Revise minuciosamente o texto depois de pronto

Por mais que você já saiba como escrever um artigo, já tenha o costume de elaborar textos diversos e confie em sua capacidade de evitar erros, é imprescindível revisar seu texto depois que ele foi escrito.

Se possível, dê um intervalo de algumas horas entre o fim da redação a revisão final. Essa prática ajuda a programar seu cérebro para prestar melhor atenção aos detalhes. Feito isso, durante a revisão atente-se principalmente para:

  • Erros gramaticais e ortográficos;
  • Evitar repetições: abuse de sinônimos;
  • Incluir hiperlinks e referências para enriquecer o texto;
  • Verificar quantas vezes e em quais partes do texto a palavra-chave foi mencionada;
  • Melhorar ou esclarecer frases que ficaram confusas;
  • Verificar se o tom da linguagem está adequado para a persona;
  • Se for necessário, edite!

14. Faça bom uso dos hiperlinks

Incluir hiperlinks em uma pauta é uma das responsabilidades do redator. Mas não significa que ele deva sair por aí colocando links de todos os posts que existem no blog do cliente. O que faz com que um hiperlink seja relevante dentro de uma postagem, quando nos referimos a SEO, é que eles estejam contextualizados dentro da pauta abordada no texto.

Então, ao fazer um artigo que traz resultados, o redator precisa se inspirar e tentar mencionar assuntos relevantes que já se transformaram em artigos dentro de um blog. Essas menções não precisam, necessariamente, ser extensas. O hiperlink funciona bem, por exemplo, em uma palavra-chave ou levando aos números de uma pesquisa.

Na hora de linkar seus posts, não se preocupe apenas com incluir conteúdo que já existe no blog do seu cliente. Muitas vezes será necessário justificar alguma menção específica com um artigo que possa comprová-la. A linkagem externa é tão importante para a relevância de uma postagem quanto o link building em si.

Para escrever um artigo com maestria revise-o com atenção e faça um esforço para incluir um número de hiperlinks que corresponda a seu tamanho.

15. Crie conclusões incríveis

É muito comum que redatores façam conclusões apressadas e isso pode matar um texto. Uma conclusão de fato boa deve incluir pontos que foram mencionados ao longo do artigo e trazê-los novamente à memória de quem o lê, mas sem parecer repetitivo. Portanto, é importante focar-se tanto na conclusão quanto na introdução se o seu objetivo é prender a atenção do leitor.

Uma conclusão preguiçosa traz alguns problemas para a sua vida e o principal deles é minar a eficiência da call to action. Sua conclusão deve ser construída levando em consideração o que será pedido do leitor no fim do texto. Assim, tudo faz sentido e é muito mais fácil que ele seja impelido a clicar nela concluindo o objetivo da sua postagem.

Pense na sua conclusão logo que começar a escrever o texto. Assim que souber como ele será direcionado e tiver certeza dos tópicos que ali incluirá, você já pode começar a testar algumas ideias de conclusão.

16. Fique atento à escaneabilidade

A escaneabilidade é um dos fatores que mais influenciam o leitor a terminar um texto. Você sabe disso porque provavelmente reproduz, ainda que involuntariamente, o comportamento que faz com que busquemos textos escaneáveis. Ao encontrar um conteúdo na internet, nós nunca o lemos por completo pela primeira vez.

Pelo contrário, aferimos se ele é relevante e fará uma diferença em nossas vidas lendo alguns de seus trechos. Um pouco da introdução, os seus intertítulos e a conclusão. Afinal, ninguém quer passar dez ou vinte minutos em uma leitura que será pouco produtiva.

Falamos de textos para a internet porque eles são o foco do artigo. Mas esse comportamento é reproduzido sem que sequer percebamos em textos acadêmicos e livros também.

Tornar o seu texto escaneável, portanto, é uma das maneiras de garantir o sucesso dele. Crie frases mais curtas e objetivas. Coloque a palavra-chave foco do texto em seus parágrafos mais relevantes e lembre-se de adequar o tamanho dos trechos para que eles não sejam extensos demais.

Essas mudanças podem fazer com que você consiga criar artigos com maestria sem nenhum esforço. Com o passar do tempo, atitudes como essas se tornarão naturais e o seu trabalho mais simples e efetivo.

17. Seja convincente em seus argumentos

É claro que um dos princípios de um bom texto para a internet é que ele precisa ser convincente. Mas como você pode garantir isso?

Na maioria dos casos, é uma questão de fazer uma boa pesquisa e encontrar o dados que corroborem a sua tese. Todo texto começa com uma tese, que é o que defenderemos para o leitor ao longo da nossa exposição. Essa tese é sempre mais crível quando podemos corroborá-la com fatos e informações de veículos de grande autoridade.

Se puder mencionar uma pesquisa que dê sentido às suas afirmações ou mencionar acadêmicos e cientistas que concordam com você será mais fácil convencer seu interlocutor de uma ideia. Por isso, fique atento a como você constrói seus argumentos e tente dar suporte a eles sempre que possível, ainda que evitando que seu texto fique maçante.

Muitos dados podem dar a impressão de que você copiou e colou informações, sem considerá-las. Equilibre isso e consiga um texto convincente e autoritativo sem enfrentar grandes desafios.

Confira um compilado de conteúdos para te inspirar a produzir textos incríveis! ✍️
Como escrever bem: 39 dicas para começar agora
Inspiração para escrever: 15 dicas de como ter ideias para escrever
Título de texto: aprenda a causar a melhor primeira impressão
Como fazer uma introdução perfeita: o guia definitivo
Como fazer uma conclusão perfeita!
Storytelling: tudo sobre a arte de contar histórias inesquecíveis
Copywriting: entenda como dominar a escrita persuasiva

18. Crie introduções incríveis

O papel da introdução é nos dar vontade de ler um texto até o fim. E, geralmente, isso tem efeito logo na página de buscas do Google. As primeiras linhas que aparecem abaixo de um link geralmente dizem respeito à introdução do artigo ou a um trecho especificamente selecionado pelo autor para representá-lo.

Quando você faz boas introduções, criar um novo texto para descrever o conteúdo não é necessário. Então isso já deveria ser motivo o suficiente para investir nesse aspecto do seu material. Todavia, ainda que não seja, você deve lembrar que introduções são o que vendem o argumento de um texto.

Se você conseguir construí-las de uma forma interessante e inesperada, o leitor terá mais vontade de ir até o final para saber o que fará com seus argumentos. Uma boa introdução não é algo que precisa ser repetido muitas vezes ao longo de um texto e sim um pano de fundo sobre o qual se constroem raciocínios.

19. Atenha-se a sua tese

Você se lembra que falamos que todos os textos começam com uma tese? Há um grande problema naqueles que exploram argumentos para além dela a não ser que eles sejam contextualizados como maneira de reafirmá-la. Se você começa um texto dizendo que o ovo veio antes da galinha, mudar de ideia no final pode acabar com toda a sua credibilidade.

No Marketing de Conteúdo não temos espaço para erros como esses. Se contradizer ou contemplar uma tese distinta daquela que vem sendo defendida apenas para completar o número de palavras mínimas em uma postagem é uma péssima ideia.

Aprofunde-se em seus argumentos e tente colocá-los em perspectiva sempre que possível. Mas jamais mude de tese se quiser realmente escrever um artigo com maestria.

20. Busque fontes estrangeiras de conhecimento

Conhecer uma segunda língua é uma das armas mais fortes que tem um redator. Afinal, isso abre um universo de possibilidades e referências que podem ser acessadas por ele a partir de uma mesma pauta. Se você é poliglota, logo perceberá que a vida de bilíngue não era justa e o privava de tantas outras fontes para construir um argumento realmente convincente.

Investir no estudo de idiomas e aplicá-lo, diariamente, na hora de buscar por suporte para as suas ideias é uma daquelas coisas que farão a sua vida mais simples. Como redator, você logo verá que nem sempre há materiais no seu idioma sobre um determinado tema e que é o seu papel dar início a uma biblioteca em português sobre alguns assuntos.

Isso vai diferenciar o conteúdo publicado no blog do seu cliente. Quando alguém for aos mecanismos de busca à procura de uma informação específica e encontrar, bem posicionada, aquela publicação que você criou com exclusividade e sobre um tema ainda pouco abordado no país ela ganhará relevância a cada clique. E isso fará bem não apenas para as métricas do seu cliente, mas também para outros redatores que publicarão sobre o mesmo assunto no futuro e terão você como referência.

Busque sempre se informar o máximo possível antes de escrever uma pauta e, se as suas especialidades exigirem, continue sempre estudando os demais idiomas que fala. Essa constante atualização o ajudará a se manter no topo da sua carreira.

Seguindo todos esses passos com cuidado e atenção, é possível redigir materiais relevantes, objetivos e engajadores, além de garantir a qualidade dos seus textos segundo os padrões da Rock Content!

Agora que você já sabe tudo sobre como escrever um artigo com maestria, aproveite para aprender mais! Que tal conhecer nossa incrível ferramenta de avaliação de títulos para verificar a qualidade da primeira impressão que você passa com seus textos? Acesse agora! 🙂

Avaliador de Títulos para SEO