Por Jardel Rodrim

Criatura de fevereiro: músico que estudou Letras e já foi ator.

Publicado em 26/07/2018. | Atualizado em 30/08/2019


Algumas pessoas são naturalmente talentosas quando o assunto é economizar dinheiro e gerir contas a pagar e receber. Para todas as outras, existe este artigo. Veja como assumir o controle financeiro da sua vida freelancer.

Dinheiro, essa palavra. Todo profissional está em busca de melhores rendimentos, maior liberdade financeira, mais jobs, ganhar mais em menos tempo e dicas de como economizar dinheiro.

O trabalho freelancer — principalmente o dos redatores que fazem home office — reúne características invejáveis: ficar em casa, controlar a própria rotina e reservar tempo para outros hobbies e ocupações, o que aumenta a qualidade de vida.

No entanto, existem incertezas financeiras que podem acompanhar esses benefícios, se você não souber como juntar dinheiro e manter uma reserva.

Verdade seja dita: algumas pessoas são naturalmente talentosas quando o assunto é economizar e gerir contas a pagar e receber. Para todas as outras, existe este artigo. Nele, você confere 10 dicas de como economizar dinheiro e os aspectos financeiros mais importantes — e preocupantes — da vida freelancer.

Se seguir à risca nossos conselhos, estará apto a começar uma nova rotina, entregando seu tempo a um novo tipo de ocupação, em que você é quem está no controle. Mãos à obra!

Organizamos as dicas a seguir em uma ordem lógica. Ou seja, vamos partir do pressuposto de que você pretende começar agora a dar seus primeiros passos financeiros para trabalhar como freelancer.

Se você está lendo este texto porque já é freela, mas não consegue organizar recebimentos e pagamentos, não faz mal. Aplique as dicas a seguir no seu lide com as finanças, considerando-os como organizadas em ordem de importância.

1. Tenha capital de giro

Não é à toa que o capital de giro é o primeiro tópico desta lista. O fundamental para uma carreira freelancer dar certo é você encarar a gestão dela como se fosse a de uma empresa.

No mundo dos negócios, o capital de giro serve para, nas palavras do Portal do Sebrae, “bancar a continuidade do funcionamento do seu negócio”. Ou seja, ele supre algumas emergências que, se não forem previstas, podem interromper suas atividades.

Pense no seu computador, por exemplo. O que você faria se ele parasse de funcionar inesperadamente? Concorda que, se não tivesse uma reserva para consertá-lo ou comprar um novo dispositivo, você não teria como continuar trabalhando?

Há outras necessidades da sua “empresa de uma pessoa só” para as quais o capital de giro serve: compra de livros para se atualizar sobre um tema para o qual vai escrever, cursos que podem melhorar sua performance e renda, entre outros.

Toda vez que uma quantia é retirada do capital de giro, ela deve ser restituída, de modo que esse montante nunca diminua.

2. Separe as contas

Outra vantagem de começar a pensar sua atividade freelancer nos moldes de uma empresa é conseguir separar os gastos, recebimentos e orçamentos.

Imagine-se em uma situação em que você é, ao mesmo tempo, dono do negócio e funcionário. Assim, quando um dinheiro entra, ele vai para a conta da empresa e, no início do mês seguinte, você faz um pagamento a si próprio.

Isso parece burocrático, mas não é. Existe uma lógica de que você deve primeiro receber de um cliente, para então custear os gastos que teve com aquele trabalho. Depois, paga contas da empresa. Em seguida, paga a si mesmo e, com esse dinheiro, dá cabo das suas despesas pessoais.

A maior parte dos freelas perde a chance de economizar misturando as coisas: eles não sabem mais o que são contas advindas da sua ocupação e o que são despesas pessoais, o que os impede de estabelecer prioridades e cortar gastos.

Powered by Rock Convert

3. Mantenha uma reserva financeira

Repare que reserva financeira e capital de giro são coisas diferentes. A reserva financeira atende a objetivos da sua vida pessoal e, assim como acontece com o resto, não pode ser misturada com as contas profissionais.

Ou seja, se quiser saber como guardar dinheiro, você precisa manter dois fundos diferentes, um para a esfera profissional e outro para a pessoal.

E por que manter dinheiro guardado ajuda a economizar? Primeiro, porque permite que você gaste esse dinheiro, quando necessário, comprando à vista e evitando juros de financiamentos.

Em segundo lugar, porque existe uma lógica segundo a qual você paga mais caro em algo quando tem urgência de comprar. Com uma reserva, é possível detectar necessidades futuras e ficar à espera de uma oportunidade para comprar mais barato.

Ou seja, é muito melhor adquirir um computador novo na Black Friday, mesmo que o atual ainda funcione, do que ver o seu estragar justo perto do Natal — quando tudo está mais caro — e gastar muito mais por causa da emergência.

4. Defina uma rotina de trabalho

Tendo separado as contas pessoais das profissionais e criado um tipo de reserva financeira para cada esfera, agora, você está pronto para estabelecer metas de trabalho.

E é aqui que o grosso da economia começa a acontecer, já que você deve se fazer certas perguntas. A primeira, por exemplo, é que tipo de economias valem a pena para justificar o seu novo modo de vida.

Ser freelancer o atraiu por algum motivo. Se for como a maioria de nós, você queria liberdade para fazer seu trabalho e controlar sua rotina, ter qualidade de vida, ser nômade digital etc.

Então, definir uma rotina de trabalho tem a ver com a quantidade de horas que você pretende trabalhar, e você não se decidiu por essa nova vida para se matar de tanto escrever, certo?

Suas metas não devem ser tão ousadas, e o melhor é cortar alguns gastos. Viver de uma maneira um pouco mais modesta pode ser o primeiro passo para a tão sonhada qualidade de vida e, principalmente, para economizar dinheiro.

Aproveite para conferir outros conteúdos sobre Finanças Pessoais! 💰
Como investir meu dinheiro: o guia básico com o passo a passo para começar
LCI e LCA: o que são e o guia básico sobre como investir neles
Controle de Gastos Pessoais: 6 aplicativos e planilhas para se organizar
O que é Volatilidade? Entenda como funciona no mercado financeiro
Como organizar sua vida financeira: 6 dicas essenciais!

5. Reveja certos gastos

O grande vilão da economia são os gastos com lazer. No entanto, a solução para esse problema está no “como” você gasta dinheiro nas suas horas vagas, e não no “que” gosta de fazer.

Por exemplo, comer fora de casa nos fins de semana sai muito mais caro que cozinhar para os amigos. Se você bebe, cerveja e outras bebidas podem ser compradas mais barato em supermercados. Programas culturais podem substituir, ao menos em alguns fins de semana, as baladas e assim por diante.

Além disso, em certas ocasiões, pegar Uber não é necessário, e há uma linha de ônibus que passa perto e pode te deixar ao lado de aonde você pretende ir. Faça essa pesquisa antes de sair de casa.

Se tem carro próprio, vale a pena se perguntar se os gastos com o veículo compensam os benefícios que ele traz.

6. Fique de olho no orçamento

Há vários métodos para controlar o orçamento: planilhas, aplicativos, softwares, papel e caneta. Seja qual for o seu, o mais importante é que o acompanhamento seja feito em tempo real.

Além disso, seus gastos devem ser divididos em categorias, de modo que você saiba a cada momento onde o seu rico dinheirinho escoa pelo ralo. Veja algumas dicas de categorias para as suas finanças:

  • alimentação;
  • aluguel;
  • cartão de crédito;
  • condomínio;
  • higiene e beleza;
  • internet;
  • lazer;
  • luz;
  • móveis e equipamentos de trabalho;
  • melhorias na casa;
  • presentes;
  • roupas;
  • saúde;
  • transporte.

Se for como a maioria dos pobres mortais (ou mortais pobres, o que não é a mesma coisa), os vilões do seu orçamento pessoal serão aluguel e despesas com alimentação, por exemplo. A primeira é uma despesa fixa, mas a segunda pode sair do controle muito facilmente.

Então, fique de olho no orçamento, realizando controle semanal ou quinzenal e faça intervenções. Não espere o fim do mês chegar para ter surpresas desagradáveis.

E, mais uma vez, separe as contas pessoais das profissionais. Um almoço com um potencial cliente ou o Uber que você paga para encontrar com ele são despesas da empresa. Comer fora porque está com preguiça de cozinhar em um determinado dia é despesa pessoal. Pergunte-se sempre qual foi a motivação de você gastar aquele dinheiro.

7. Estabeleça metas

A capacidade de economizar e racionalizar seus recursos é um benefício inegável. Mas ela pode ser também uma armadilha, caso se torne uma obsessão.

Muitos de nós são tão cuidadosos com o trabalho e a economia que acabam desenvolvendo uma relação pouco saudável com a vida freelancer. Nesse sentido, estabelecer metas é importante por vários motivos:

  • ter previsibilidade financeira;
  • conseguir calcular e aumentar a produtividade, se necessário;
  • saber calcular o tempo gasto em um novo trabalho (e precificar a partir dele), com base nas metas já batidas;
  • principalmente, evitar o excesso de trabalho, estresse e burnout.

Afinal, se você tem metas bem traçadas, não precisa ir além dos seus limites. Gerar renda e economizar dinheiro não são coisas que devem ser feitas às custas da sua saúde física e mental, concorda?

8. Faça um contrato

Qual é a relação de um contrato com o assunto de como poupar dinheiro? Bom, isso tem a ver com economia de tempo, um recurso tão importante para o freela quanto o dinheiro. Aliás, tempo é dinheiro.

Ou melhor, tempo é mais importante que dinheiro. Você pode reaver umas centenas de reais que perde, mas as horas que passaram não voltam mais. Em muitas situações de nossas vidas, nós compramos tempo. Pagamos mais caro para chegar mais rápido e contratamos pessoas para resolver problemas que não queremos solucionar, por exemplo.

Clichês financeiros à parte, quando começa a trabalhar para si próprio, você entende melhor essa relação. O dia não vai deixar de ter 24 horas, nem a semana, 5 dias úteis. Mas, em alguns casos, você continua precisando ganhar mais e gastar menos.

Nesse contexto, ajustes de última hora, demora na aprovação pelo cliente (e, consequentemente, no pagamento) são inaceitáveis. Busque respaldo em um bom contrato com cláusulas claras e impeça que a desorganização de outras pessoas atrapalhe sua rotina financeira.

9. Pesquise preços

Quem trabalha como redator não precisa de muito: um computador razoável (de preferência um notebook, que dá mais mobilidade), um smartphone para agilizar as pesquisas, uma mesa e cadeira confortáveis e café.

Tudo bem, se você é do tipo que não tem vícios na vida, pode cortar o café.

Quanto ao resto dessa infraestrutura básica, nem sempre o mais barato é o mais econômico. Itens que duram pouco tomam seu tempo quando precisam ser substituídos.

Computadores e smartphones que param de funcionar repentinamente, por exemplo, causam transtornos e prejuízos. Móveis pouco confortáveis podem prejudicar a sua saúde e deixá-lo de molho, perdendo tempo e dinheiro.

Ao pesquisar e comprar, coloque na balança o custo-benefício daquilo que for adquirir, e não apenas o preço.

Leve em consideração, por exemplo, se os objetos têm bom valor de revenda, isso pode gerar uma renda extra quando você for trocá-los. Economizar dinheiro nem sempre é tão óbvio quanto parece.

Powered by Rock Convert

10. Tenha uma planilha de controle financeiro

Há várias formas de monitorar a vida financeira, mas a gente, aqui da Comunidade Rock Content, duvida que você encontre uma tão específica para as suas necessidades quanto a nossa planilha de controle financeiro.

Com ela, você soluciona vários problemas ao mesmo tempo e tem uma visão melhor do seu trabalho, o que permite guardar dinheiro. Só para citar alguns exemplos de funcionalidades úteis dessa planilha:

  • visualizar mais facilmente os prazos de entregas das tarefas e definir prioridades;
  • ter controle do valor médio pago pelos artigos;
  • controlar textos a entregar, entregues e a aprovação dos clientes;
  • projetar e analisar o seu controle financeiro mensal e anual;
  • calcular o tempo médio decorrido entre as datas em que seus trabalhos são entregues e quando o pagamento chega;
  • ter controle de tarefas paradas há muito tempo;
  • aumentar a produtividade com base em dados reais;
  • calcular uma média mensal dos seus rendimentos.

Afinal, trabalhar em casa, ser seu próprio chefe, ter flexibilidade de horários e determinar sua rotina são ótimas maneiras de aumentar a qualidade de vida e ser feliz. Mas, de certa forma — e deixando o romantismo um pouco de lado — a sua vida vai ter que caber em uma planilha do Google para que as coisas estejam sempre sob controle.

Assim, você tira de letra as questões financeiras e fica livre para curtir todos os benefícios do seu novo trabalho, sem se preocupar excessivamente em dinheiro. Ah, o dinheiro, essa palavra.

E antes que eu me esqueça: você pode baixar a nossa planilha de controle financeiro para freelancers clicando na imagem abaixo. Acredite, não há melhor maneira de descobrir como economizar dinheiro.

Planilha de Controle FinanceiroPowered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *