Por Andressa Amâncio

Redatora compulsiva, futura linguista apaixonada, mãe maluca.

Publicado em 20/08/2019. | Atualizado em 20/08/2019


A presença digital faz uma baita diferença na carreira e não é exclusividade de empresas. Por isso, você vai aprender aqui como construir seu site pessoal do zero!

Entregar currículo de porta em porta é coisa do passado. Mas mandar materiais em PDF por email também já está ficando ultrapassado, viu? Para impressionar seus possíveis clientes ou empregadores de verdade, a dica é aprender como construir seu site pessoal!

Ter um portfólio bem charmoso ou, simplesmente, um currículo online, é uma forma muito atrativa de “vender seu peixe”. Assim, dá para caprichar mais na aparência e na organização das informações. Além disso, é o primeiro passo para estabelecer sua presença digital e ter mais visibilidade.

Não tem nenhuma experiência com a criação de sites? É mais fácil do que parece. Acompanhe conosco!

Use plataformas com templates prontos

Você não precisa estudar programação para desenvolver um site único. Existem plataformas que já trazem templates de design prontos, ou seja, você só precisa personalizar — são os construtores de site. No Brasil, Wix e WordPress estão entre os mais utilizados, e não sem motivo: são bastante intuitivos e funcionais.

A grande diferença entre os dois é que o Wix é mais voltado para leigos. Seu grande trunfo é, justamente, o de permitir a criação de um site em poucas horas e por qualquer pessoa. O segundo, por sua vez, conta com duas versões:

  • WordPress.com, com uma proposta simples de personalização, semelhante à do Wix;
  • e o WordPress.org, um software mais completo e com funcionalidades que exigem um conhecimento técnico maior.

Ao entrar nessas plataformas, você precisará escolher um dos templates. Eles são a base visual e funcional do seu site. Portanto, escolha algum que esteja alinhado ao seu objetivo, seja montar um currículo online, seja criar um portfólio ou mesmo um e-commerce.

Preencha seções básicas

Template escolhido, é hora de começar a personalizar com as suas informações. Algumas seções básicas são:

  • quem você é: deixe um pequeno resumo do seu histórico profissional e diferenciais bem na página inicial — capriche aqui para causar uma ótima primeira impressão;
  • foto de identificação: é interessante colocar uma foto para que as pessoas consigam imaginar a pessoa por trás da descrição. Mas olhe o bom senso na escolha, hein? Priorize o profissionalismo;
  • seus diferenciais: descreva suas habilidades, competências técnicas, cursos de especialização, conhecimentos de idiomas e maiores interesses;
  • suas experiências: compartilhe o que você já fez profissionalmente, bem como as principais conquistas, prêmios e reconhecimentos;
  • links para outros canais: se tiver um blog pessoal ou achar interessante dividir suas redes sociais, insira botões com links para esses canais;
  • dados de contato: se alguém gostar do que viu, vai querer contatar você. Então, não se esqueça de indicar seu email e telefone.

Enriqueça o site com organização

Se tiver como colocar exemplares dos seus trabalhos, faça isso! Você tem duas opções: deixar links que encaminhem para páginas em que esses materiais estão publicados, ou criar seções no seu site mesmo. Vale tudo:

  • artigos, se for um redator freelancer;
  • logotipos e materiais diagramados, se for um designer;
  • imagens de seus projetos, se for engenheiro;
  • e por aí vai.

E se você faz de tudo um pouco? Maravilha! Você é um profissional extremamente versátil. Só cuide da organização para que o leitor não fique confuso com tanta informação.

O ideal é separar os materiais em guias e seções, de acordo com a categoria. Assim, se alguém está passeando pelo seu site e se interessa pelos seus trabalhos de artesanato (sim, você também faz biscuit nas horas vagas!), essas seções direcionarão o usuário para os exemplares que ele quer ver.

Não menospreze os detalhes

Uma das partes mais gostosas sobre como construir o seu site é que dá para deixar a criatividade fluir na hora de personalizá-lo. E não se engane: os detalhes são decisivos.

Mesmo que você não tenha muito material para um portfólio completo, faça só um currículo simples online — mas faça com perfeccionismo. Aspectos como as cores utilizadas, a divisão de blocos de textos e até o tipo de fonte podem ajudar a ganhar o coração de um cliente ou empregador.

Layout

O layout é a organização dos elementos gráficos na página. Quanto mais agradável ele for para o leitor, maior a probabilidade de ele permanecer navegando no seu site. Algumas dicas são:

  • espaçamento entre componentes da página deixa o visual mais “limpo”, mas procure manter elementos relacionados mais próximos uns dos outros, para não gerar ruídos na compreensão das informações;
  • alinhamento dos elementos deve ser preferencialmente à esquerda. A centralização desfavorece a escaneabilidade e, por isso, deve ser reservada no máximo para títulos;
  • as fontes devem ser padronizadas em todos os textos, sendo, pelo menos, da mesma família tipográfica, além de manterem uma hierarquia visual para títulos, subtítulos e textos normais;
  • todos os botões que redirecionam para outra página também devem ser padronizados — experimente criar um “kit de botões” para o seu site;
  • use somente imagens com alta qualidade, garimpadas em bancos gratuitos, ou desenvolvidas exclusivamente para o seu site.

Estilo

O estilo dos elementos do site precisa ir ao encontro da sua personalidade e dos seus objetivos profissionais. Desde a escolha de linguagem, mantenha-se alinhado com quem você é, e como quer ser visto.

Por exemplo, se deseja conquistar visibilidade em áreas mais criativas, como a do design, você pode brincar mais na construção da sua bio e manter tons de escrita descontraídos.

Além do mais, tente manter seus exemplares de trabalhos também com um estilo padronizado. No caso de escritores, cada texto pode vir acompanhado de uma ilustração com traços semelhantes, ou imagens em um mesmo tom de cor.

Cores

Já ouviu falar na Psicologia das Cores? É um estudo das impressões inconscientes que cada tonalidade causa, como o vermelho, que é muito utilizado em restaurantes, porque está associado à sensação de fome.

A série Breaking Bad é famosa pelo uso das cores como reforço visual para a impressão de sentimentos no espectador. Se esse recurso é usado até em uma série (a melhor de todos os tempos, diga-se de passagem), por que não no seu site?

Vale a pena dedicar um tempinho testando diferentes paletas e combinações que contribuam com alguma sensação, como o azul, que transmite confiança. Ferramentas como o Coolors podem ajudar.

Divirta-se com as atualizações

A dica final é que você se divirta nessa tarefa. O mais legal sobre como construir seu site pessoal é que você vai revisitar seu currículo, mas expor as informações com inúmeras possibilidades visuais e até multimídia. Então, conseguirá explorar melhor a forma de divulgar seus diferenciais.

E olha só: se você passar por uma crise existencial, o site pode até ajudar na autorreflexão. Afinal, você pode atualizar e alterar o conteúdo o quanto quiser, até deixá-lo da forma como gostaria de ser representado. Daí, fica mais fácil entender o que precisa mudar na sua carreira.

Agora que você sabe como construir seu site pessoal, não tenha medo de criá-lo, mesmo com pouco material. Com duas ou três páginas, você já começa a estabelecer sua presença digital. E não se esqueça de que essa é uma porta de entrada para oportunidades profissionais, então, mantenha-o sempre atualizado e atraente.

Ah, para complementar seu “dossiê virtual”, que tal criar um blog também? Aproveite e confira nosso curso completo do blog pessoal em formato de webinar!

curso completo do blog pessoalPowered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *