Por Gustavo Grossi

Analista de Marketing na Rock Content.

Publicado em 20/04/2017. | Atualizado em 18/10/2018


Precificar um serviço pode ser complicado e alinhar a expectativa do cliente e a sua parece impossível, mas garantimos que existe uma forma adequada de cobrar por um freelance!

Imersão Freelancer - maior curso online gratuito do BrasilPowered by Rock Convert

“Como cobrar um freelance de forma justa?”

Essa é a pergunta de 1 milhão de dólares para todo profissional freelancer.

Precificar nosso trabalho não é algo que aprendemos na escola ou na faculdade. Começamos a trabalhar sem saber exatamente o quanto vale aquilo que estamos produzindo e muitas vezes aceitamos o valor que o cliente oferece por pura falta de informação.

Existem vários quesitos que devem ser considerados para garantir um preço justo, que contemple as necessidades do profissional e os limites do cliente. Vamos falar sobre alguns deles neste post, que foi escrito especialmente para te ajudar a encontrar o jeito certo de cobrar por um trabalho freelance!

Vem com a gente!

Valor da hora trabalhada

O primeiro passo para saber como cobrar um freelance é descobrir o valor da sua hora de trabalho. Ele será a base para desenvolver orçamentos e pacotes para clientes. Existem diferentes formas de calcular esse valor, e você pode escolher a que mais se encaixar na sua realidade:

1. Usando um salário mensal como base

Se você trabalha ou já trabalhou em uma empresa ou agência, use o valor do seu salário para determinar o preço da sua hora. Por exemplo, se você recebia R$ 2.500 e trabalhava 8 horas diárias por 20 dias mensais, sua hora vai custar pouco mais de R$ 15. Você também pode usar a média salarial para a sua profissão.

Porém, um funcionário contratado gera outros custos para a empresa além do salário. Eles envolvem os benefícios (plano de saúde, auxílio para transporte e alimentação), impostos e outros gastos com a manutenção do empregado. Em geral, um funcionário custa quase o dobro de seu salário para a empresa.

Considerando o nosso exemplo, você custaria R$ 5.000 se fosse contratado como funcionário. Dividindo esse valor pelo número de horas trabalhadas no mês, chegamos a um valor arredondado de R$ 32.

É bastante provável que o cliente faça esse mesmo cálculo antes de decidir contratar um freelancer em vez de um funcionário novo para a empresa. Por isso, não se sinta inseguro para se basear nesse preço, pois o cliente já estará esperando um valor próximo do que você alcançou.

2. Fazendo o cálculo reverso

Em vez de adequar suas metas aos seus ganhos, você pode fazer o contrário. É possível calcular o preço da sua hora com base nos seus planos para o dinheiro. Para isso, você precisa responder às seguintes perguntas:

  • Qual é o seu objetivo: viajar, comprar um carro, dar entrada em um apartamento, reformar a cozinha?
  • Em quanto tempo você deseja alcançá-lo: 1 mês, 6 meses, 1 ano?
  • Quanto custa esse objetivo?
  • Quantas horas você está disposto a trabalhar diariamente?

Com essas informações, você consegue estabelecer um valor que te permita atingir a sua meta.

Se você quer viajar para a Europa e para isso precisa juntar R$ 10 mil em 6 meses trabalhando 6 h por dia, você precisa cobrar no mínimo cerca de R$ 14 por hora de trabalho. Esse valor te possibilita atingir pouco mais de R$ 10 mil em 6 meses.

Esse método é interessante para profissionais que trabalham como freelancer para ter renda extra. Se não for o seu caso, acrescente ao custo do seu objetivo a quantia de que você precisa para bancar suas despesas mensais. Ao final do cálculo você terá um preço adaptado às suas necessidades.

Tendo um valor de base para a sua hora de trabalho, você pode considerar outras questões que impactam no preço do serviço e fechar um orçamento para o cliente.

Complexidade do trabalho

Cada trabalho tem um nível de complexidade. Além do tempo que você vai levar para executá-lo, no hora de pensar como cobrar um freelance leve em conta também a especificidade do texto que será escrito, a quantidade de fontes que você precisará consultar, se será necessário buscar imagens para ilustrar o conteúdo, etc.

Cada um desses detalhes pode implicar mais horas de trabalho e outros gastos, e tudo isso precisa refletir no preço cobrado pelo serviço.

Preço médio no mercado

É necessário ajustar o preço do trabalho ao esforço do profissional e às possibilidades do cliente. Porém, guiar o valor por esses dois fatores pode trazer problemas, pois você pode acreditar em um valor como justo e o cliente em outro.

Para vencer esse embate, indicamos pesquisar o preço médio pago pelo tipo de serviço no mercado. As agências costumam seguir preços tabelados, padrões para cada produção, e se basear neles é uma boa ideia para balizar os seus valores de forma justa.

Você também pode consultar colegas e concorrentes para saber o quanto cobram por cada serviço.

Fazendo isso, você se certifica de que está valorizando seu trabalho e não está cobrando menos do que deveria. Além disso, aproximar seu preço da média do mercado é uma forma de eliminar questionamentos por parte do cliente, que quase sempre vai insistir em negociar para pagar menos.

Custos envolvidos na produção

Ao pensar em como cobrar um freelance, poucos profissionais se lembram de incluir no preço os custos da produção. Se você é redator, por exemplo, deve levar em consideração despesas como energia, internet e celular, que são largamente utilizados para contatar o cliente e produzir textos.

Já para profissionais com atuação mais robusta, é possível incluir o aluguel de sala ou escritório, os gastos com transporte e até contabilizar o tempo gasto com reuniões como horas extras.

Ao elaborar um orçamento, você deve detalhar cada um desses pontos para justificar o preço final para o cliente.

Não existe fórmula mágica ou receita infalível para cobrar um freelance. Todos os pontos que citamos devem ser considerados, sem esquecer que a disposição do profissional para negociar e a compreensão do cliente são fundamentais para alcançar um preço justo.

E aí, conseguiu responder à pergunta de 1 milhão de dólares? Se você ainda tem dúvidas sobre como cobrar um freelance da melhor forma, nós continuaremos esse assunto no artigo “Quanto vale o meu texto?“, um guia completo para redatores freelancers que querem aprender a precificar seu trabalho. Dê uma olhada!

Pronto para colocar todas as dicas em prática e começar a cobrar pelos seus freelas da melhor maneira possível? Se quiser uma forma mais prática e direta para isso, confira a nossa Calculadora de Preços para Freelancers!

Quanto cobrar pelo freela? Descubra na Calculadora de Preços para Freelancers

Posts populares com esse assunto