Por Débora Passarelli

Jornalista por formação, redatora, mãe de gêmeos e alucinada por felinos.

Publicado em 26/06/2020. | Atualizado em 26/06/2020


Trabalhar no contexto atual está demandando muitos esforços adicionais para todos nós. Agora, como é a experiência de quem tem que trabalhar e tem filhos pequenos? Débora Passarelli, redatora freelancer, tem algumas dicas que podem ajudar!

Ser mãe é padecer na quarentena. É equilibrar uma rotina desafiante, com uma série de imprevistos, em um cenário atípico e inseguro. Às vezes, conciliar as tarefas domésticas com as funções da maternidade e, ainda, o home office parece impossível. E se os pequenos estão na escola, o trabalho é triplicado, afinal, é preciso acompanhar de perto o desempenho deles.

Durante o isolamento social, assim como muita gente, reinventei minha rotina e adotei algumas atitudes para tornar o dia a dia mais leve com as crianças. Não achei a fórmula mágica para lidar com isso, mas consegui ter um pouco mais de tranquilidade.

Confira meu texto a seguir!

1. Não se cobre tanto

No começo do isolamento social, vi uma porção de textos pipocarem na internet sobre produtividade e até uma certa desvalorização do ócio. Confesso que entrei nessa onda e fiz o possível para produzir mais como freelancer e, ainda, cuidar das crianças e da casa. Eu queria garantir que estava dando o meu melhor em todas as áreas.

Mas, não foi bem assim que rolou. Quem é mãe sabe que a rotina de cuidar dos pequenos pode ser pesada e imprevisível, especialmente se você tem mais de um filho. Às vezes, a gente não consegue dar conta de tudo e a louça fica na pia, aquela muda de roupa continua suja e o chão da cozinha não será limpo tão cedo.

Eu não sei você, mas eu sou perfeccionista e me vi exigindo demais de mim mesma durante o isolamento social. Eu queria fazer tudo o que fosse possível, mesmo que fosse humanamente impossível. O resultado disso? Fiquei exausta, obviamente. Ninguém consegue ser eficiente 100% do tempo, ainda mais durante uma pandemia.

É claro que tento manter uma rotina saudável para não enlouquecer durante esse momento delicado, mas parei de cobrar demais por não conseguir cumprir todas as tarefas. Em tempos instáveis como esse, o melhor é desacelerar, curtir o tempo com os pequenos e se perdoar por não conseguir manter a alta produtividade.

2. Recorra à divisão de tarefas, se possível

Por aqui, tenho a sorte de conseguir dividir as tarefas domésticas com meu marido. Ele me ajuda com a casa e com os cuidados com os gêmeos, a Catarina e o Miguel, de um ano e cinco meses. Durante a pandemia, a divisão de tarefas tem sido uma salvação para a rotina e, consequentemente, para a minha sanidade mental.

Se os seus filhos já estão grandinhos, é legal pedir ajuda deles nas tarefas domésticas. Isso contribui para o desenvolvimento das crianças e para a vida adulta, afinal, eles entendem desde cedo que é importante trabalhar para a organização do lar. Não deixe, claro, de respeitar a idade do pequeno e acompanhá-lo enquanto realiza as atividades.

3. Programe o entretenimento dos pequenos

Por vezes, vejo a carinha de tédio dos meus filhos no meio da tarde e gostaria de, ao menos, sair do apartamento para dar um rolê pelo condomínio com eles. A opção, no entanto, está fora de cogitação, porque recentemente um morador por aqui testou positivo para a Covid-19. Impossível não ter medo nessa situação, não é?

O jeito é ficar em casa, dar asas à criatividade e tentar proporcionar alguma diversão para eles, mesmo que seja simples. Não fiz nada mirabolante, tampouco segui um tutorial de dicas infalíveis para distrair as crianças durante a quarentena. Apenas bolei uma rotina fácil de diversão com a que tenho em casa. De manhã, eles assistem desenhos, de tarde, após o almoço e a soneca, os brinquedos se espalham pela sala, quartos e cozinha.

Às vezes, quando o trabalho não me engole, sobra tempo para inventar coisas diferentes. Veja, a seguir, algumas atividades descomplicadas para fazer com crianças pequenas:

  • teatro de fantoches;
  • contação de histórias;
  • sessão cinema;
  • teatro de sombras;
  • batucada com potes, chocalhos e colheres;
  • bolhas de sabão;
  • caixa de tesouros, com objetos diferentes para os pequenos explorarem bastante.

Que me perdoem as mães avessas à tecnologia, mas todos os dias agradeço por existir Mundo Bita, Palavra Cantada e Patrulha Canina. Quando eu preciso de um pouco mais concentração para fazer meus trabalhos de freela, eu recorro às cantorias e desenhos pela Netflix para entreter os pequenos.

4. Programe-se para descansar

No início do isolamento social, eu trabalhei todos os dias, incluindo os domingos. Tentei levar uma rotina insustentável por várias semanas, que me deixava nervosa e ansiosa e que quase prejudicou minhas produções de conteúdo. Lidar com a maternidade, afazeres domésticos e trabalho freelancer quase me levou a ter um troço, especialmente porque eu não descansava.

Então, eu me programei para ficar sem trabalhar alguns dias e relaxar nos momentos em que meus filhos estavam dormindo ou com meu marido. Tirar o pé do acelerador foi essencial para eu conseguir passar por esses momentos difíceis. Foi aí que lembrei o quanto o ócio criativo é tão importante, sobretudo para freelas de conteúdo.

Hoje, eu não me culpo por não pegar job porque estou cansada demais para escrever. Tampouco me sinto mal por tirar até uns dois dias da semana de “folga”. Eu entendi que é preciso reconhecer meus limites e respeitá-los verdadeiramente, não só por mim, mas pelos meus filhos.

5. Cuide do sono

Na minha ânsia por me tornar uma freelancer eficiente e uma mãe nota mil, virei noites trabalhando no computador. Eu queria compensar pelas tardes em que não conseguia escrever e, ainda, dobrar a minha produtividade no meio de uma pandemia. Pensando melhor agora, foi uma loucura fazer isso. É claro que, novamente, não deu muito certo.

Eu não recomendo que nenhum profissional deixe de dormir para trabalhar algumas noites, independentemente de ter filhos ou não. Isso porque o sono e a produtividade caminham lado a lado e é fundamental que o corpo descanse para recarregar as energias. Imagine, então, durante um cenário de pandemia?

Confira, abaixo, algumas dicas para conseguir dormir melhor!

  • evite o uso de eletrônicos antes de dormir: a luz das telas atrapalha a produção de melatonina, hormônio que induz o sono;
  • crie uma rotina do sono: tente dormir e acordar sempre nos mesmos horários;
  • evite bebidas estimulantes: antes de ir para cama, fuja do café, chocolates e até alguns chás;
  • tente não dormir durante o dia: isso prejudica o seu sono noturno;
  • elimine os ruídos do quarto: e cuide para tornar o ambiente o mais escuro possível;
  • evite comer antes de dormir: especialmente comidas gordurosas, picantes ou adocicadas.

6. Tenha uma rede de apoio

Com a rotina pesada da maternidade e do trabalho em um cenário tão incerto, às vezes, a gente se sente um pouco sozinha, não é mesmo? E tudo o que precisamos é de um ombro amigo, mesmo que ele esteja a quilômetros de distância de nós, dizendo em áudios longuíssimos pelo WhatsApp que vai ficar tudo bem no final, seja ele qual for.

Durante o isolamento social, meu filho Miguel passou muito mal e tivemos que correr com ele para o pronto-socorro de madrugada. Ele teve uma febre alta e convulsionou enquanto dormia. A coisa toda foi simplesmente aterrorizante. Embora os médicos digam que isso é comum em crianças pequenas, nunca estamos preparados para ver nossos filhos nessa situação.

Me lembro de percebê-lo frágil e desfalecido no meu colo e não sentir nada além de pânico. Do tipo que faz a gente esquecer de respirar ou até raciocinar, sabe? Ir à emergência de um hospital no meio de uma pandemia fez eu me sentir em um filme catastrófico, em que uma sucessão de coisas terríveis e impensáveis estivessem prestes a acontecer.

Por sorte, deu tudo certo e o susto fica agora apenas como uma lembrança muito ruim. Para passar por isso, pedir ajuda para familiares foi inevitável, afinal, era impossível lidar com a situação enquanto minha outra filha, Catarina, estava dormindo. Poder desabafar com amigos, mesmo a distância, foi essencial para eu conseguir manter a calma e me recompor depois do susto.

7. Evite o bombardeio de informações sobre a pandemia

Por fim, uma dica para todas as pessoas, mães ou não, freelas ou CLT’s: evitem o bombardeiro de informações sobre a pandemia. Pode até parecer difícil fazer isso, afinal, não dá muito para fugir do assunto na televisão, nos sites de notícias e até nas redes sociais. E as fake news que rolam? Complicado!

É importante que saibamos o que está acontecendo no mundo, mas acompanhar esse fluxo constante de informações, a todo momento, gera estresse, ansiedade e preocupações infinitas. Sentimentos que, como mães, já experienciamos demais no dia a dia, não é?

Então, o ideal é acompanhar as notícias de fontes confiáveis e, talvez, em momentos específicos do dia. Uma vez pela manhã ou outra à noite, por exemplo. Agora, o que podemos fazer é seguir adotando as recomendações de higiene largamente divulgadas e aprender a lidar com os tempos difíceis que ainda virão.

Essas são as minhas dicas para tornar a rotina com os pequenos mais leve! Tento segui-las todos os dias, mas não é fácil. Como mãe, constantemente me culpei por não achar a fórmula certa para lidar com tudo isso e não encontrei ainda, devo confessar. Todas as noites, enquanto meus filhos estão dormindo, eu respiro fundo, tento ter calma e me sinto aliviada por ter passado por mais um dia. No final das contas é isso, não é mesmo?

Como você tem lidado com a maternidade na quarentena? Compartilhe suas experiências nos comentários!

Posts populares com esse assunto