boas práticas de email marketing

7 boas práticas de email marketing que você precisa dominar

Muito se fala sobre o fim do email marketing, mas essa informação está completamente equivocada. Com algumas boas práticas, é possível conseguir resultados incríveis — e cobrar muito bem por isso!

Sim, é verdade, existem outros canais para estabelecer um bom relacionamento com o consumidor e divulgar novidades, como as redes sociais, mas ainda assim, os emails continuam sendo uma ótima plataforma para se comunicar de forma personalizada.

E o volume só tende a crescer. As estatísticas indicam que, até 2020, 3 bilhões de usuários da internet terão seu próprio endereço de email. Como sabemos, os trabalhos ainda funcionam através de email e quase todo mundo o confere, pelo menos, uma vez por dia, não é mesmo?

Com o público crescendo e a presença de novas ferramentas e features para otimizar as entregas, essa tática ainda é uma ótima opção para qualquer empresa, e para você se especializar também.

Por isso, vamos te ajudar a melhorar sua oferta desse serviço. Continue a leitura e confira já 7 boas práticas de email marketing!

Quer aprender tudo sobre criar pautas perfeitas para seu fluxo de nutrição? Então, assista ao webinar com a Malu, nossa especialista no assunto. Você vai aprender como escolher os melhores artigos para nutrir um lead em um fluxo e muito mais!

E que tal vê-lo até duas vezes mais rápido e aprender melhor? Veja como fazer isso com o hack que ensinamos para aprender rápido e se torne especialista em fluxo de nutrição na metade do tempo!


Se planeje de acordo com as suas metas

A primeira coisa que você deve se lembrar é que o email marketing engloba uma campanha, que por si só faz parte de uma estratégia maior.

Portanto, é necessário entender muito bem qual o objetivo e quem é o público, para definir então as ações, começar a construir os emails e definir como serão as entregas.

Entre as metas que vão dar todo o direcionamento podem estar:

  • Aumentar as vendas;
  • Expandir a presença online e o engajamento com os consumidores;
  • Dar um boost no tráfego;
  • Incentivar o download de materiais ricos, como e-books.

Você também deve saber com quem falar. A análise de uma persona, representação semi-fictícia do cliente ideal, vai servir como uma inspiração para os próximos passos.

E como em todo planejamento, é necessário acompanhar os resultados para ver o que deu certo, o que não deu e dar um upgrade nos próximos envios.

Para organizar todas essas informações, você pode utilizar alguns documentos, como planilhas para registrar os envios de acordo com a data e o horários e salvar todos os templates utilizados.

Fale somente com quem quer conversar

Uma prática super comum é comprar bases de dado prontas. Porém, essas listas são compostas basicamente por pessoas que não querem conversar, muito menos se interessam pelo que uma marca invasiva tem a dizer.

Consequentemente, os negócios que fazem isso ficam com péssima reputação online. Afinal, quando um não quer, dois não brigam, nem conversam, nem absolutamente nada, só acabam no spam.

Com o sucesso do Inbound Marketing, surgiram novas formas de conquistar o público. Ao ofertar boas newsletters, e-books, webinars, cursos e demais materiais ricos, é possível criar um relacionamento legal.

Afinal, o usuário que interagir, manifestou interesse pelas propostas. Desse modo, use listas opt-in, dos que permitirem esse contato e vá nutrindo eles com conteúdos de qualidade.

Lembre-se de que mesmo que alguém tenha te dado esse passe livre, eles podem não querer mais. Então, tenha sempre uma opção de descadastro no que for enviado.

Uma dica extra também é limpar sua base de tempos em tempos. Alguns contatos serão listados como bounce, que são os para quem os emails não chegam. Eles apenas pioram a saúde do seu domínio, então delete eles.

Segmente a base de contatos e aumente as oportunidades

Ao fazer um novo disparo, certamente você deve pensar na persona que será atingida.

E mesmo que tenha somente uma, as pessoas que realmente vão receber podem ter interesses distintos relacionados ao setor do negócio e ainda podem estar em estágios diferentes do funil de vendas.

Por exemplo, aqui no blog da comunidade trabalhamos com questões relacionadas à copywriting e design. Mas também lidamos com nossos queridos freelancers que já temos listados e os potenciais freelancers.

Considerando esses dois campos e essas duas etapas, temos pelo menos 4 opções possíveis de segmentação.

  • O designer freelancer;
  • O redator freelancer;
  • O designer que ainda não faz freelas (#mandafreelas);
  • O redator que ainda não faz freelas (#mandafreelastambém).

Considerando esses perfis, você pode criar fluxos de nutrição e fazer envios levando em conta suas características. Dessa forma, poderá conseguir maior engajamento, já que quanto mais personalizada for a comunicação, melhor.

Foque em conversões o tempo todo

O objetivo de um email marketing é quase sempre levar o consumidor a fazer alguma ação específica, seja visitar um e-commerce, acessar um blog ou baixar algum e-book. Existem algumas boas práticas para tal.

A primeira de toda é utilizar CTAs, os famosos call to action. Se tratam de chamadas que indicam a próxima ação, como “Acesse já”, “Baixe agora” e “Aprenda mais”. Nos emails, eles podem ser incentivados ainda mais com um bom design.

Visualmente falando, o ideal é ser objetivo. Mantenha um look clean, rápido de carregar em diversos dispositivos, e indique bem onde o leitor deve seguir, com botões e hyperlinks fáceis. Ou seja, vá com força na escaneabilidade.

Além disso, adote o mesmo para a parte textual e se mantenha breve. Crie um assunto de email atraente, curto, e direto ao ponto. Para o corpo da mensagem, siga os mesmos passos, ok?

Por fim, personalize o máximo que puder para ganhar a confiança do usuário. Sempre coloque o nome dele e invista em uma pegada mais íntima, indicando quando foi a última interação ou mesmo fornecendo um cupom especial.

Com as ferramentas de email marketing atuais, é possível automatizar tudo isso e ainda fazer um pouco mais, com testes A/B para conferir o que funciona melhor a fim de otimizar a taxa de conversão.

Saiba quando e quanto enviar

Quem nunca marcou uma empresa que fala demais como spam, que atire a primeira pedra.

Segundo a HubSpot, 78% dos consumidores já se sentiram assim e cancelaram a assinatura devido ao alto volume de entregas.

Algumas empresas enviam mais e outras menos. Os ciclos de venda variam de acordo com complexidade do produto e depende também da quantidade de conteúdo produzido para acompanhar, mas o ideal é sempre não lotar a caixa de entrada da lead.

Por isso, quando planejar os disparos, tenha noção do volume a ser enviado. Para um relacionamento ativo, mande algo pelo menos a cada 15 dias, mas evite mais do que três vezes por semana. Você não quer ser esquecido, nem cair no spam.

Preste atenção também nos dias e nos horários de envio. É recomendado manter uma rotina, que permite criar um hábito de leitura. Considere os momentos em que sua persona está mais ativa e aposte em emails marketing regulares.

Se preocupe com algumas questões técnicas

Da mesma forma que tudo na internet, têm algumas regras que você deve seguir para não ser barrado pelos algoritmos.

Use imagens e links, mas com bastante cautela. Evite colocá-los em excesso e garanta que eles venham de uma hospedagem segura e com descrições simples, sem termos proibidos.

Esses termos não devem estar no conteúdo do seu email marketing também, principalmente, no título. As expressões suspeitas se referem diretamente a dinheiro e oportunidades fáceis e qualquer coisa “mais”, tipo “venda mais, durma mais etc.”.

Também evite colocar números, caracteres especiais e tudo em caixa alta. Eles podem não ser bem interpretados e chegar em um formato estranho.

A regra é: pense naqueles banners com cara de “esquema fake” na web. Pois é, não replique no email. A melhor saída aqui é pegar leve e se manter organizado.

Se garanta e faça um teste enviando para si mesmo antes do disparo geral. Assim, você já vai saber de como vai chegar para a base.

Para dúvidas bem bem técnicas, como tags e demais códigos, você pode consultar este ótimo guia da Uol Host.

Acompanhe os resultados e otimize constantemente

Toda ação de marketing exige uma avaliação do que foi feito, considerando sua qualidade e, principalmente, seu desempenho. Somente com uma boa análise, é possível perceber os pontos de melhoria.

Isso depende dos objetivos estabelecidos, que são levados em conta na definição dos KPIs, as métricas principais relacionadas à determinada meta.

Por exemplo, se o objetivo de um cliente em suas ações de marketing for aumentar as vendas, a campanha deve focar no que está sendo oferecido e na conversão dos potenciais clientes.

Mas, se for engajar a base de contatos e manter um bom relacionamento com o cliente, a métrica analisada poderia ser a taxa de abertura dos emails.

Veja o que funciona com a base de clientes, foque no que deu certo, repita e vá fazendo novos experimentos para melhorar exponencialmente.

Como falamos antes, o email marketing depende de um bom conteúdo, uma vez que é uma forma a mais de agregar mais valor.

Por isso, vamos te ajudar com isso também. Criamos um glossário completo de produção de conteúdo para web que vai te ensinar os principais conceitos para fazer textos ainda melhores.