Por Luiza Drubscky

Gerente de Marketing na Rock Content.

Publicado em 25/09/2018. | Atualizado em 16/07/2019


Quer entender o que está acontecendo no mercado e em eventos internacionais? Confira os melhores insights do Inbound e do Hypergrowth 2018!

Na semana de 3 a 7 de Setembro de 2018, tive a grande oportunidade de participar dos maiores eventos de Marketing Digital do mundo: o Inbound (realizado pela Hubspot) e o Hypergrowth (realizado pela Drift). São convenções para milhares de pessoas que acontecem em Boston, nos EUA.

Meu objetivo ao comparecer nesses eventos era absorver conhecimento mais técnico, descobrir o que os profissionais de Marketing estão fazendo de inovador no mercado e trazer tudo isso para a Rock Content.

Porém, fui surpreendida!

Não imaginava que o tipo de conteúdo que ia mais fazer impacto para mim eram os relacionados à carreira, a desenvolvimento pessoal e a autogestão!

Assisti a ótimas palestras sobre esses temas e acho que eles podem agregar muito na rotina da nossa Comunidade de freelancers, ou seja, você que está lendo agora! Então, confira alguns dos meus aprendizados no Inbound e no Hypergrowth 2018!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

1. Seja um eterno aprendiz

Esta dica é uma que já é muito comum no dia a dia aqui da Rock Content e que, ao decorrer dos eventos, se tornou ainda mais constante. Ser um eterno aprendiz diz respeito a estar sempre atento a oportunidades de aprendizado, a qualquer momento, qualquer lugar ou com qualquer pessoa.

Por exemplo, imagine esse cenário: um palestrante começa a falar muito só de si, falando de uma maneira muito prepotente, focando só nas suas conquistas. De imediato, você pode simplesmente parar de prestar atenção ou sair da palestra por não gostar muito do tom utilizado. Mas já parou para pensar que você pode tirar aprendizados de sucesso a partir da história dele também?

Em outra situação possível, você estaria em um ambiente em que não é natural de se aprender algo novo, como em um almoço ou happy hour. Porém, se estiver com essa mentalidade de que você pode sempre aprender algo novo e diferente que vai te agregar valor (mesmo que não imediatamente), você pode ouvir um caso sobre o dia de trabalho de um amigo e descobrir uma dica de produtividade, ou se deparar com uma nova dica de investimento que esteja valendo a pena no momento.

A grande questão é: procure abrir sua mente para estar sempre disponível para o aprendizado. Todas as suas interações podem te ensinar algo — mesmo que seja algo sobre a sua própria forma de pensar e agir.

E a habilidade de aprender é essencial para a vida freelancer, principalmente quando estamos tratando de produção de conteúdo para web, em que as regras e direcionamentos do Google estão sempre mudando. Fora isso, é necessário produzir conteúdo sobre diferentes nichos de mercado e para públicos diferentes, por exemplo.

2. Se conheça primeiro, antes de tudo

Uma das minhas palestras favoritas foi a da Molly Graham. Ela falou sobre coisas que ela gostaria que alguém tivesse contado para ela antes de entrar em uma startup.

E, como não poderia ser diferente, a maioria das dicas foi sobre comportamento e desenvolvimento pessoal — afinal de contas, aprender sobre métricas e sobre modelo de negócio é muito mais fácil do que sobre padrão de comportamento das pessoas e a amadurecer no ambiente de trabalho.

Algumas das principais dicas foram:

O seu único trabalho é aprender o mais rápido possível

Startups estão sempre crescendo, mudando os seus rumos e, se você quiser se manter saudável na empresa, é necessário estar disposto a mudar junto com a empresa.

Isso se aplica também a quem não está em uma empresa, ou que quer se desenvolver profissionalmente. Não foi à toa que o primeiro tópico desse texto foi sobre a importância de estarmos constantemente aprendendo.

Autoconhecimento é inestimável!

Você só vai conseguir dar um sentido para a sua carreira e aproveitar as oportunidades que aparecerem para você. Isso só é possível a partir do momento que você se conhecer profundamente. Analise quais são os tipos de tarefas ou temas que você:

  • se destaca e ama fazer;
  • manda bem mas não gosta de fazer;
  • não manda bem, mas adoraria fazer melhor;
  • não manda bem nem tem o interesse de saber fazer bem.

Assim, você desenvolve a sua carreira nos rumos que fazem mais sentido para você, construindo caminhos mais saudáveis e, consequentemente, de muito mais sucesso!

A síndrome do impostor é real

Já tratamos muito sobre a síndrome do impostor aqui no blog da Comunidade, sabemos do impacto que esse tipo de sentimento causa nos profissionais. É comum no mercado de freelancers e de produtores de conteúdo que as pessoas não achem que são capazes ou boas o suficiente para realizar aquelas tarefas.

O que a Molly apresentou como opção para conseguir superar esse sentimento foi falar sobre o assunto. Converse com colegas, profissionais que atuam no mesmo ramo que você.

Provavelmente, outras pessoas se sentem assim também e vocês poderão criar um grupo de confiança para conseguir perceber, juntos, que essa síndrome diz mais sobre a autopercepção de trabalho do que sobre as habilidades práticas de cada um.

Como um todo, a palestra contou com 9 dicas — e aspectos que ela gostaria de ter escutado antes:


3. Assuma as rédeas da sua carreira

O palestrante que falou sobre priorização e execução de tarefas foi um ex-agente de Operações Especiais da Marinha norte-americana, o Jocko Willink.

Inicialmente, eu não estava achando a palestra muito cativante. Ele estava fazendo uma contextualização de todas as suas operações táticas de guerra, o que tem um grande apelo emocional para o público americano, mas não tanto para uma brasileira.

Confira um compilado de dicas e leituras para se desenvolver e ter melhores resultados como um freelancer! 🚀
Marketing Pessoal: o que é e como trabalhar sua imagem profissional
Como criar um blog grátis personalizado: veja as 9 melhores opções!
Trabalho Remoto: 8 sites e 10 dicas para ganhar dinheiro sem sair de casa
As 13 melhores opções de trabalho de fim de semana!
Nômade digital: o que é, como se tornar um e as principais vantagens
Storytelling: a arte de contar histórias pode mudar os rumos de sua carreira!
Tudo o que você precisa saber sobre um profissional autônomo
Trabalho autônomo: 10 opções para quem quer mudar de carreira!
O que é freelancer e tudo que você precisa saber para se tornar um

Então, essa foi uma das primeiras oportunidades que tive de aplicar a primeira dica desse conteúdo (aplicar a mentalidade de aprendizado). Continuei prestando atenção e me deparei com algumas ótimas dicas e as que mais me chamaram a atenção foram:

Priorize e Execute

Seja trabalhando em uma empresa, seja trabalhando por conta própria como autônomo, todos passamos por momentos em que nos sentimos sobrecarregados com tantas tarefas, com prazos e com a falta de tempo de executar tudo que você quer — e precisa.

Por isso, quando você se sentir nessa situação em que você tem tanta coisa para fazer que não consegue executar nenhuma delas, pense como se estivesse em uma operação militar: você precisa tomar uma decisão rápida e executá-la; quando concluir esta tarefa, parta para a próxima mais urgente e execute, e repita esse ciclo até concluir todas as suas tarefas.

Muitas vezes, um dos maiores vilões da produtividade é a tentativa de resolver tudo de uma vez só. Para combater esse inimigo, lembre-se: priorize e execute!


Disciplina leva a liberdade

Por mais contraditória que essa dica possa parecer, ela faz muito sentido para profissionais freelancers autônomos. Ao invés de pensarmos em disciplina e liberdade como forças opostas, devemos pensar nelas como causa e efeito.

Acredito que o cenário que isso fica mais claro é no momento em que um profissional decide começar a viver de freelas, sair do seu emprego CLT e ser o seu próprio chefe. A priori, o sentimento inicial é de liberdade:

—Agora posso trabalhar na hora que eu quiser, de onde eu quiser! Eu monto a minha rotina! Liberdade é muito bom!

Mas, é difícil montar a sua própria rotina e conseguir seguir rigorosamente, afinal de contas, não tem uma terceira pessoa que vai conferir o seu trabalho, você não tem que apresentar resultados em uma reunião, por exemplo.

Porém, se você é freelancer, se você não cumpre a sua rotina de trabalho, o que acontece? Você não recebe pagamento no final do mês, não é mesmo?

É, por isso, que você precisa de disciplina! Crie metas para você mesmo de produtividade, para conseguir alcançar os seus objetivos e, aí sim, ter a Liberdade para conseguir curtir o seu tempo livre como quiser, sem ter que se preocupar com o pagamento das suas contas do mês.

Quadro de Produtividade Para FreelancersPowered by Rock Convert

Aplique a liderança extrema

Esse termo, também absorvido da palestra do Jocko, é um dos que mais absorvi para a minha própria carreira!

Ele diz que é muito importante que cada um assuma a liderança extrema da sua vida e carreira. Basicamente, é mais válido que você assuma a responsabilidade total pelas coisas que acontecem com você, sem dar desculpas e procurando maneiras de solucionar os problemas.

A maioria das coisas que acontecem com você são diretamente relacionadas às suas próprias atitudes.

Trazendo este ensinamento para a vida de um freelancer de produção de conteúdo, imagine o seguinte cenário: você recebeu uma pauta interessante, de um tema em que você já tem uma certa familiaridade. Então, você produz o conteúdo de imediato, feliz por poder aplicar os seus conhecimentos nesse texto. Porém, quando o cliente vai avaliar, dá uma nota baixa.

Você teria duas opções:

  1. Reclamar do cliente, que não sabe avaliar o seu texto;
  2. Tentar avaliar o que você poderia ter feito de diferente para poder ter alcançado uma nota maior e aplicar nos próximos textos que produzir.

A segunda opção te dá muito mais poder e autonomia para poder crescer e continuar aprendendo a partir dos feedbacks que receber. Afinal de contas, você pode conhecer muito sobre o assunto tratado no conteúdo, mas no fim do dia, o cliente que criou a demanda que tem a palavra final no seu conteúdo.

Então, você pode tomar atitudes como ajustar o texto de acordo com pedidos dele ou, se for o caso, educar o cliente sobre as suas metodologias para que ele entenda um pouco mais sobre o seu processo criativo.

Assim, você pode ter um papel mais ativo no desenvolvimento da sua própria carreira. Está tudo nas suas mãos.


4. Desenvolva o seu Branding Pessoal

Já falamos do assunto em outros posts, com a ajuda da Juliana Saldanha, por exemplo, mas personal branding é muito mais que isso.

É muito comum pensar em Branding quando estamos falando de empresas. Mas você já parou para pensar no seu Branding pessoal? Isso significa desenvolver uma “marca” para o seu trabalho, ser identificado por um tipo específico de trabalho ou por alguma característica que te defina.

Alguns palestrantes abordaram esse tema, inclusive o Ryan Deiss, fundador da Digital Marketer. Tive a oportunidade de tirar uma selfie com ele, da qual me orgulho bastante hehe.

Uma das frases do Ryan que mais me marcou foi a seguinte:

“Your brand is what other people say about you when you’re not in the room.”

Ou seja: A sua marca é o que as outras pessoas falam sobre você quando você não está na sala.

Identifique os seus pontos fortes e defina como você quer ser reconhecido no seu mercado de atuação.

Qual é o seu diferencial, do ponto de vista do cliente? E do ponto de vista de qualidade do produto final que você entrega?

Quando você definir muito bem essas questões sobre a sua marca profissional, as pessoas podem até mesmo te copiar ou tentar fazer as mesmas coisas que você, mas elas não conseguirão copiar a confiança que as pessoas sentem em você, uma vez que, você já tem a sua autoconfiança suficientemente formada para vender o seu peixe e garantir a sua fatia do mercado, o que é essencial para a carreira de freelancer.

5. Comunique-se!

A última dica desse post é de nenhuma palestra específica, mas surgiu a partir de algumas reflexões minhas junto com o restante da equipe da Rock Content que participou dos eventos.

A ideia de se comunicar é muito ligada a tomar proatividade em sair da sua própria bolha de convívio, trocar ideia com pessoas diferentes, expandir os seus horizontes de relacionamentos profissionais.

O insight surgiu do momento em que eu percebi que eu estava em Boston, fazendo parte de eventos enormes, com muitas oportunidades de contato, mas que eu estava interagindo apenas com as pessoas da Rock que estavam lá comigo. Não me entenda mal: eu adoro as pessoas que trabalham aqui e troquei ótimas ideias com eles.

Porém, posso fazer isso nos outros 360 dias do meu ano. A oportunidade de conversar com pessoas que são referências para mim, ou com pessoas que podem até mesmo vir a ser parceiros no futuro, era única ali naquele momento!

Então, a partir desse momento, comecei a interagir mais com outras pessoas e a criar redes de conexões muito mais amplas do que eu tinha ao sair do Brasil.

Com essa dica, finalizo esse conteúdo sobre insights de desenvolvimento pessoal e profissional. De uma maneira geral, os eventos foram excelentes, muito bem organizados e com ótimos palestrantes. Parabéns à Hubspot e à Drift!

Se você tiver gostado e achado as dicas úteis, deixe um comentário por aqui, quero me comunicar com vocês também! Olha a aplicação prática da dica 5 bem aqui. 😉

Networking para freelancersPowered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto