Priscila Kamoi - Colunista

Day One do Nomadismo: o dia que decidi dar adeus ao mundo corporativo e me tornar nômade digital

Eu sempre quis viajar mais, mas não sabia como. O ano era 2014 e eu estava infeliz, mas não sabia o porquê.

Eu sempre quis viajar mais, mas não sabia como. O ano era 2014 e eu estava infeliz, mas não sabia o porquê.

Ganhava bem, tinha um emprego “fixo” com estabilidade e um cargo alto em uma multinacional — trabalhava como analista sênior de marketing, após terminar o programa de trainee. Mas não era feliz. Ingratidão? Há pessoas que disseram que sim.

Acredito que a felicidade é muito mais que ter dinheiro para ter uma vida digna. Felicidade está relacionada a propósito e sentido de vida. Fazer o que ama sim, se sentir realizado sim.

Lembro quando li o blog do casal Eme e Jaque, os nômades digitais, no qual falavam sobre “um minuto de coragem” que tiveram para largar tudo e empreender. Arriscar, viajar e trabalhar ao mesmo tempo. Lembro que foi minha carta de alforria ler sobre o que são os nômades digitais e como eu poderia ser uma. Esse foi o dia que decidi mudar de vida.

priscila kamoi

Foto: @priscilakamoi

Na empresa onde trabalhava, um colega que não se dava muito bem comigo tinha se tornado meu chefe. Quando as coisas estão indo bem em nossa vida, é comum que a gente não reflita, não repense e acabe se acomodando.

Mas quando tudo está indo mal e bate o desespero, essa é a hora de sair da zona de conforto e mudar. Eu estava triste e decidi que não fazia sentido o que eu fazia lá. Eu queria ser diferente, deixar um legado, criar minha marca, minha imagem pessoal e fazer a diferença.

Queria me expressar pro mundo, expor o que eu sentia e tinha vontade, minhas felicidades, minhas dores. Comecei a pensar formas de ganhar dinheiro online, e aí surgiu o meu blog: Jornada Kamoi: Viagens e Felicidade.

Além do blog, que comecei como hobby para escrever relatos semanais de viagens sem fins lucrativos, criei também minha marca de camisetas, que não existe mais.

No começo, havia muitas incertezas e não sabia ao certo se esse estilo de vida daria certo. Após dois anos, decidi vender a empresa de camisetas e as coisas foram se ajeitando lentamente.

Naquela época, ninguém sabia ao certo como ganhar dinheiro com blog, e eu fui descobrindo aos poucos. Comecei a fazer roteiros personalizados de viagens, escrevi o ebook Uma Vida Notável e gravei um programa online de empreendedorismo.

Além disso, comecei a dar palestras sobre felicidade, propósito e sentido de vida, e me tornei sócia numa empresa de consultoria empresarial de negócios, em Curitiba, onde realizamos plano de negócios, estudo de viabilidade, gestão financeira, plano de marketing e pesquisa de mercado.

Inseguranças e como superá-las

Todo mundo sente medo. Eu senti, mas tive coragem o bastante para superá-lo.

Não acredito em estabilidade no mundo corporativo, pelo menos não neste cenário político e econômico que vivemos. Sobrevive quem é mais criativo e quem sabe se reinventar.

Se roubassem todo meu dinheiro, uma coisa ninguém tira: todo conhecimento que adquiri nesses quase 5 anos empreendendo. E se você for mandando embora hoje, o que faria? Como se reinventaria? E se não conseguisse se realocar no mercado de trabalho, o que você criaria?

Dinheiro cria mais estabilidade e segurança, portanto, sempre digo que, antes de “largar tudo”, comece guardando dinheiro, organizando, planejando e estudando.

Não existe essa de largar tudo pra viajar. E não existe hora perfeita para isso também. Muita gente acha que sim, mas não dá certo. Para mim, deu certo porque guardei dinheiro durante 7 anos no mundo corporativo para viver feliz caso não ganhasse nada nos próximos dois anos. Foi tudo planejado, organizado e seguro.

Por fim, pense o que de pior poderia acontecer se não der certo?

Você ainda pode retornar para o mundo corporativo. Afinal, após uma queda, garanto que você volta mais forte e mais esperto.

Se quiser conhecer mais sobre minha trajetória como nômade digital e de outros 9 nômades brasileiros, confira o ebook Partiu Mundo!