Por Luis Carlos Herrera

Editor do Blog Comunidade – Linguista e Tradutor

Publicado em 31/12/2020. | Atualizado em 21/12/2020


O ano de 2020 tem sido extremamente atípico: pandemia, estresse ao máximo, sensações de incerteza e muita ansiedade. No entanto, e apesar da adversidade, continuamos firmes e cada dia mais humanos.

Ninguém nunca imaginou que aquelas promessas e objetivos que traçamos há, exatamente, um ano sofreriam mudanças tão radicais como as que vivemos a partir de março de 2020 aqui no Brasil.

Permitam-me fazer uma exceção à regra que eu mesmo defini para o nosso trabalho durante este ano, que creio vale a pena lembrar: não vamos alimentar sentimentos de ansiedade, preocupação ou mal-estar nos nossos leitores e também no nosso maior bem: nossa base de talentos. 

E acredito que a tarefa foi cumprida, já que nosso foco foi pensar nas melhores formas que tínhamos disponíveis para ajudar — é só revisar o blog. Eu disse isso em março, e mantenho isso até hoje.

Já com essa declaração feita, posso prosseguir 🙂

Viagem inesperada

O ano acaba hoje, então considero que a conversa pode ser mais sincera e aberta: nós tínhamos planos ambiciosos de crescimento agressivo, crescimento que também impactaria de forma positiva todo o trabalho dos nossos talentos. Afinal, meu time de Talent Management existe para isso: ser uma ponte entre o conhecimento teórico e prático do marketing digital e das áreas correlatas à criação de uma carreira freelancer de sucesso e o desenvolvimento profissional de vocês.

No entanto, e caindo em clichês, a vida é cheia de surpresas e nem todas são agradáveis.

Lá por novembro de 2019, as primeiras notícias sobre um vírus que se espalhava pela China começaram a ser compartilhadas pela mídia. Porém, sendo sincero, acredito que ninguém deu a devida atenção. E tudo bem, dezembro estava aí, e com ele Natal e Reveillon  e, logo ali, o Carnaval. Aquele período no qual o Brasil entra em hibernação e revive apenas em março, nosso Brasil bem brasileiro — disse o estrangeiro.

Fast forward para a segunda semana de março: vários países já registravam casos de infecção pelo vírus e a preocupação era conter ao máximo a transmissão. Esse foi o ponto irreversível na vida do mundo inteiro.

Medos e incertezas

Quero ser bem claro: acredito que todas as pessoas sentiram medo em algum ponto desta viagem que ainda não terminou. 

Particularmente tive dois: desemprego sendo estrangeiro e a impossibilidade de voltar para o Chile sem saber se eu poderia ser vetor e levar o vírus até a casa dos meus pais, que, mesmo sendo novos, têm doenças crônicas. 

E a incerteza do início do ano, de não saber quando a situação se normalizaria? No começo, eram duas semanas, depois duas semanas a mais até o número de infectados diminuir. História que nunca acaba. Tenso!

Se pensamos no que você acabou de ler, o primeiro trimestre de 2020 já nos dava luzes e se mostrava imprevisível, ao ponto de duas semanas virarem 9 meses e contando. Agora é fazer o último esforço e ter paciência.

Fica claro por que decidimos não focar nossa produção de conteúdo apenas sobre a COVID-19? Overdose de informação é altamente tóxica, ainda mais quando vidas se perdem.

Ajustes de rota

O impacto global do vírus foi um duro golpe para várias áreas da economia, incluindo a nossa. Notícias de demissões em massa foram recorrentes e as empresas passaram a ajustar seus planos para sobreviver a uma situação completamente inusitada para, pelo menos, três gerações (a gripe espanhola data de 1918). 

No nosso caso, o nosso maior ajuste foi abraçar modelo de trabalho remoto 100%. Da mesma forma, ajustar a estratégia de conteúdos e melhorar ao máximo nosso relacionamento com nossos talentos viraram prioridade. 

Como trabalhamos diretamente com pessoas, acreditamos que os relacionamentos podem ser cultivados, ainda que seja por meio de uma plataforma. Porém, digamos que isso não foi um ajuste, mas uma reafirmação do nosso compromisso com relacionamentos humanizados.

Por outro lado, nem sempre os ajustes necessários são os mais populares e sentimos isso na pele com nossos talentos. Decisões objetivas têm que ser tomadas para a saúde do negócio, com o propósito de continuar proporcionando oportunidades de crescimento.

Ajustamos nossa rota para que ela fosse menos turbulenta possível e, mesmo sendo emocionalmente pesado, arcamos o custo para seguirmos em frente. 

Tripulação resiliente

Considero que, pensando no contexto geral, ninguém deveria julgar ninguém: todos nós, seres humanos, somos diferentes e temos níveis distintos de tolerância a períodos de estresse tão extensos quanto o que vivemos até agora. 

Acredito também que voltamos a sentir um dos nossos instintos mais primitivos: a própria sobrevivência e a do nosso círculo familiar — tarefa cansativa, que pede um estado de alerta constante.

Além da tarefa de cuidar da nossa saúde e da nossa família, as responsabilidades do dia a dia também não podiam ser negligenciadas. Afinal, contas têm que ser pagas e a vida tem que continuar, de um jeito meio estranho, mas não pode parar.

E é nesse contexto que eu quero usar a palavra resiliência, essa capacidade única de se manter firme perante adversidades e momentos de alto estresse que a vida nos traz.

Este é um especial agradecimento do time de Talent Management à nossa tripulação resiliente: nossos talentos.

Obrigado pela compreensão.

Obrigado pela paciência.

Obrigado pelo feedback sincero.

Obrigado pela disponibilidade.

Obrigado por nos dar a oportunidade de conhecer vocês.

Obrigado pela parceria.

Obrigado pela atenção e pela cordialidade.

Obrigado por ser parte da nossa comunidade.

Obrigado pelo ótimo trabalho.

Sabemos que nada do que foi conquistado em 2020 teria sido possível sem vocês. Esperamos, de coração, que 2021 seja melhor e que continuem confiando em nós, assim como confiamos em vocês.

Abraço fraterno,

Talent Management.

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *